MENU

Em busca de equilíbrio, Jadson estreia na elite

Em busca de equilíbrio, Jadson estreia na elite

Atualizado: Segunda-feira, 1 Março de 2010 as 12

Sobre os ombros de Jadson André, a pressão é grande. No ano passado, o surfista potiguar brilhou no circuito WQS, divisão de acesso para a elite. Chegou a liderar o ranking em alguns períodos, venceu a etapa seis estrelas prime de Durban e fechou a temporada em terceiro lugar, atrás do australiano Daniel Ross e do americano Patrick Gudauskas. Em 2010, o brasileiro faz a sua estreia no Circuito Mundial. Durante toda a temporada, surfará ao lado de feras como Mick Fanning, Kelly Slater, Andy Irons e da principal esperança brasileira, Adriano de Souza, o Mineirinho, que terminou 2009 em quinto lugar na elite. Jadson, no entanto, tenta manter os pés no chão. O primeiro objetivo é não fazer feio e conseguir se manter entre os melhores do esporte.

- Estou procurando encarar com naturalidade (a estreia na elite do surfe), mantendo os pés no chão e sabendo que tenho de trabalhar cada vez mais para poder ser sólido no tour - afirmou o surfista, em entrevista por e-mail ao globoesporte.com.

A primeira missão de Jadson na elite é na Gold Coast, na Austrália. A estreia não poderia ter sido melhor. Em sua primeira bateria , ele somou 14,94 e se classificou em primeiro lugar para a terceira fase. Para manter o bom ritmo e ter tranquilidade para seu ano de estreia, ele analisa suas características na água e trabalha pesado o lado físico.

- Tenho procurado estar tranquilo e analisar mais meu surfe. Além disso, estou tendo uma pré-temporada mais forte no aspecto físico. Meus objetivos são procurar dar o meu melhor, como sempre. Tentar manter meu ritmo e meu foco, analisar e evoluir a minha performance em busca de bons resultados - disse.

O potiguar terá a companhia de outro brasileiro estreante na elite: o catarinense Marco Polo, que, em sua estreia foi para a repescagem após derrota para Kelly Slater e depois foi eliminado pelo sul-africano Jordy Smith, também vai surfar pela primeira vez no Circuito Mundial. Apesar de os dois não terem muito contato, Jadson é só elogios para o compatriota.

- O Marco Polo é um cara determinado e experiente. Tem tudo para se dar bem no Circuito Mundial. Eu não tenho muito contato com ele, mas temos uma relação bem tranquila – afirmou o surfista, que, além de Marco Polo e Mineirinho, vai ter a companhia do outro brasuca Neco Padaratz.

Em entrevista no ano passado, Jadson disse que trabalhava duro para não se tornar "mais um louco no esporte". O primeiro passo, que era chegar à elite, ele alcançou. Agora, é manter o ritmo na elite.

- Eu venho desenvolvendo um trabalho com meu técnico e manager Luiz Pinga desde criança e sempre conversamos sobre o futuro, os objetivos e o que devo fazer para conseguir alcançar eles e depois me manter. Dentro disto, inclui saber que eu devo ter uma boa imagem. O principal é a busca do equilíbrio.

Jadson aposta em seu repertório de manobras para poder surpreender. Ele acredita que, assim, vai ter chances de brilhar na elite do Circuito Mundial.

- Acho que, se conseguir aplicar as manobras de meu repertório, como aéreos e snaps (rasgadas), aliando a um surf de linha, polido, posso conquistar algo.

veja também