MENU

Em 'casa', Inter vence América-MG, e Falcão respira aliviado no Brasileirão

Em 'casa', Inter vence América-MG, e Falcão respira aliviado no Brasileirão

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 8:24

Campo Grande fica a cerca de 1500km de Porto Alegre. Mas nem parecia. O Internacional jogou como se estivesse em casa no Morenão. Nas arquibancadas, a nação vermelha, que dominou o estádio, abriu o bandeirão e comemorou. Ali, bem longe do Beira-Rio, o Colorado conquistou sua primeira vitória no Brasileirão: 4 a 2 sobre o América-MG. Mérito da dupla Oscar e D’Alessandro, que contrariou quem dizia que os dois não poderiam jogar juntos. O técnico Paulo Roberto Falcão respira aliviado por ter a primeira noite de tranquilidade depois de muitos dias de pressão.

O resultado fez o Inter pegar o elevador na classificação do campeonato. Com a vitória, segunda em oito jogos, o time subiu cinco posições e chegou ao 10° lugar. Já o América-MG caiu três postos e ligou o alerta. Na 16ª colocação, o Coelho está à beira da zona de rebaixamento.

Para a quarta rodada do Brasileirão, Inter continuará sem Leandro Damião e Bolatti, convocados para as seleções brasileira e argentina. O time receberá o Palmeiras no Beira-Rio no domingo, às 16h. No sábado, o América-MG irá à Ressacada para enfrentar o Avaí, às 18h30m.

Oscar marca dois gols e brilha em campo

Também longe de casa, por opção, o Coelho começou o jogo sorrateiro pela direita. Sem tomar conhecimento do adversário, o time de Mauro Fernandes jogou como mandante que era e assustou com cruzamentos de Marcos Rocha para Fábio Júnior e Eliandro. O segundo chegou até mesmo a mandar uma bola na trave, que fez a torcida colorada respirar fundo no Morenão.

Sem Kleber, lesionado, o Colorado dependia de Juan na lateral esquerda. Improvisado, o zagueiro de 19 anos abriu uma avenida para o ataque mineiro, que, apesar do espaço, foi mal nas finalizações e não conseguiu definir.     Oscar levou vantagem sobre a zaga em quase todas as jogadas (Foto: Hélder Rafael/Globoesporte.com)       Falcão percebeu o perigo e mudou. Gritou, mexeu os braços e conseguiu corrigir a marcação, trazendo os volantes Guiñazu e Tinga para a direita e recuando D’Alessandro para também ajudar a atrapalhar as saídas do rival.

As mudanças apagaram o América-MG.  Em compensação, do outro lado, um jogador começou a brilhar. Depois de tentativas de cruzamento pela direita que procuravam Leandro Damião, que está com a Seleção, e encontravam um vazio na grande área, Oscar resolveu assumir a responsabilidade. Em jogada individual, avançou pelo meio e chutou. Teve a sorte de o rebote do goleiro Flávio encontrar o zagueiro Gabriel, que, todo atrapalhado, deixou a bola escapar para Cavenaghi. O argentino cruzou para o próprio Oscar, que cabeceou para abrir o placar, aos 13.

Não deu tempo nem de comemorar direito. Três minutos depois, Zé Roberto fez um belo lançamento para D’Alessandro na esquerda. O argentino preparou a canhota e mandou de primeira no canto esquerdo do gol mineiro.

O placar de 2 a 0 era o que bastava para a torcida colorada se manifestar ainda mais no Morenão. Das arquibancadas, onde havia gremistas reforçando a pequena torcida do Coelho, era possível ouvir os gritos de “segunda divisão”, como provocação ao adversário que subiu para a Série A neste ano.

E ninguém segurava Oscar. Lençol, cruzamento perfeito para a área e chutes que deram trabalho ao goleiro Flávio. Em nova falha da defesa, que não conseguia encontrar o camisa 16, o meia recebeu um lançamento direto da zaga e mandou de primeira para quase furar as redes mineiras. Fora do campo, Falcão levou as mãos à cabeça e olhou para cima, como se agradecesse pelo que estava vendo no gramado. Era o terceiro gol do Inter em menos de dez minutos.

Coelho balança as redes, mas não evolui Com 0 a 3 no placar, o América-MG sabia que só restava sair para o jogo. E foi o que fez. Mas o maior domínio de bola no início do segundo tempo ainda não era suficiente para um time que errava muitos passes e não conseguia finalizar. Até que, aos 10, o esforço deu certo. Após escanteio, Eliandro ajeitou de peito, e Rodriguinho estufou as redes coloradas com um chute no ângulo de Renan.

O golaço levantou a torcida mineira, que ensaiou gritos de “América”. A comemoração, porém, durou apenas cinco minutos. Em bela jogada individual, Zé Roberto passou por um, dois, três marcadores, invadiu a área. O desarme do zagueiro foi a assistência perfeita para Cavenaghi, sozinho, marcar seu segundo pelo clube colorado. Na comemoração, o argentino tirou a camisa e ganhou cartão amarelo, o que irritou Falcão.

O quarto gol do Inter acordou o Coelho. O time passou a subir mais para o ataque e dar trabalho. Após cobrança de escanteio, Anderson cabeceou para dentro das redes. Porém, o jogador se apoiou no zagueiro colorado, e a arbitragem anulou o gol, marcando falta.

O esforço do sistema ofensivo mineiro, no entanto, não foi em vão. Após bela tabela com Fábio Júnior, Alessandro invadiu a área e marcou seu segundo gol no Brasileirão. A vantagem no placar diminuiu, mas, dentro de campo, o Inter continuou dominando. Aos 45, D'Alessandro e Thiago Carleto se desentenderam e iniciaram uma discussão, após o jogador do Coelho atingir o argentino no rosto. Com os ânimos já acalmados, o árbitro deu o apito final, e a torcida vermelha concluiu a festa no Morenão.                          

veja também