MENU

Em duelo ambicioso, Fluminense recebe o Cruzeiro de Cuca

Em duelo ambicioso, Fluminense recebe o Cruzeiro de Cuca

Atualizado: Quinta-feira, 22 Julho de 2010 as 11:02

Um reencontro para lá de especial e com ambições bem mais prazerosas do que da última vez em que Fluminense e Cuca estiveram juntos em uma partida pelo Brasileirão. Na ocasião, no dia 6 de dezembro de 2009, em Curitiba, equipe e técnico conseguiram um empate que evitou o rebaixamento tricolor. Resultado que não é suficiente para Fluminense e Cruzeiro alcançarem suas metas nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília), no Maracanã, em partida válida pela décima rodada da competição nacional.

Com 19 pontos, o Flu deixou de lado a intensa luta contra a Série B do ano passado. De lado, não. Deixou bem distante. O que está em jogo agora é a liderança. Segundo colocado, o Tricolor ocupa a ponta da tabela em caso de triunfo. Isso porque o Corinthians, primeiro, com 21, foi derrotado pelo Atlético-GO por 3 a 1 na rodada.

Cuca também não tem do que se queixar. Demitido do Fluminense em abril, quatro meses após efetuar o “milagre da salvação”, assumiu o Cruzeiro com tempo para trabalhar e chega ao G-4 se vencer os ex-comandados. Com 15 pontos, a equipe é sexta colocada, mas pode superar Flamengo, Internacional e até mesmo o Ceará.

No Flu, respeito e preocupação superam saudade de Cuca

Ex-cruzeirense, Fred elogia amigo Cuca

(Foto: Jorge William / Agência O Globo)   A despedida com aplausos e palavras de incentivo ficaram para trás. O carinho por Cuca ainda permanece pelo trabalho realizado em 2009, mas o agora adversário chama mais a atenção nas Laranjeiras pelas armadilhas que pode armar dentro de campo do que pelos laços afetivos.

Há apenas duas partidas no comando do Cruzeiro, Cuca conquistou 100% de aproveitamento no clube mineiro e preocupa o artilheiro Fred.

- O que mais me preocupa é a evolução do Cruzeiro com o Cuca, são dois jogos e duas vitórias. Mas como sempre falei, vamos estar com nossa torcida, vamos estar em casa, e vamos jogar com inteligência para buscar os três pontos.

Fred, por sinal, está ligado emocionalmente não somente ao treinador cruzeirense, mas ao clube como um todo.

- Tem o Cuca, o Cuquinha, o Eudes (auxiliares), e o Cruzeiro, que é uma das minhas casas, tenho amigos lá, carinho pela torcida.

Quem também demonstrou preocupação com o rival mineiro foi Muricy Ramalho. Ciente da expectativa do torcedor em se tornar líder, o treinador fez questão de ressaltar a força do adversário e o grau de dificuldade do jogo.

- O Cruzeiro, como o Fluminense, depende muito do coletivo. É um time entrosado, que não mudou muito nos último anos. O que o torcedor tem que saber é que do outro lado há um time. É um adversário bem treinado e que vai ao Maracanã tentar nos vencer. É preciso ter humildade quanto a isso. Vai ser um clássico duríssimo.

Para a partida, o Flu não tem escalação confirmada. Apesar da boa atuação diante do Santos, a tendência é que Leandro Euzébio fique no banco, com a entrada de Marquinho no meio e o retorno para o esquema 4-4-2. Já no ataque a dúvida está no companheiro de Fred. Alan leva vantagem na disputa com Rodriguinho.

No Cruzeiro, estratégia é o contra-ataque

Cláudio Caçapa vai reencontrar amigo Fred

(Foto: Vipcomm)   O técnico Cuca já definiu a estratégia para conquistar a vitória sobre o Fluminense em pleno Maracanã: o contra-ataque. Os três pontos deixam o Cruzeiro no G4, a um ponto do próprio Tricolor. Ninguém na Toca da Raposa II esconde os cuidados que terão diante de Fred e Conca, considerados as estrelas tricolores. Os dois serão vigiados de perto pelos marcadores cruzeirenses.

- O Fred, além de um grande atacante, é um amigo com quem convivi por muito tempo no Lyon. Ele faz gols e é imprevisível para marcar. Não podemos dar espaço para ele e nem para o Conca, que comanda as jogadas. Este jogo vai ser um grande teste para a nossa defesa, que não leva gols há duas partidas – declarou o zagueiro Cláudio Caçapa.

Para o técnico Cuca, que se reencontrará com a equipe que salvou do rebaixamento no Brasileiro do ano passado, o Maracanã proporcionará ao Cruzeiro impor uma nova postura de jogo.

- Temos que ter velocidade no contra-ataque e uma postura para não tomar gols. O campo beneficia a posse de bola, e temos jogadores velozes e com qualidade técnica. É ter atenção na nossa saída para o ataque.

O treinador celeste não terá a presença do lateral-direito Jonathan, suspenso, e do meia Roger, lesionado. Rômulo e Everton, recentemente contratados, estão confirmados. Outra novidade será a presença de Marquinhos Paraná no banco de reservas. O volante se recuperou de um estiramento na coxa esquerda e será opção para o segundo tempo.

Por Cahê Mota e Fernando Martins Y Miguel Rio de Janeiro e Belo Horizonte

veja também