MENU

Em jogo de muitas emoções, Cruzeiro bate Vôlei Futuro e sai na frente

Em jogo de muitas emoções, Cruzeiro bate Vôlei Futuro e sai na frente

Atualizado: Sábado, 2 Abril de 2011 as 10:27

Aconteceu de tudo no Ginásio do Riacho, em Contagem, na noite desta sexta-feira. Teve até time ficando sem levantador depois de lambança da comissão técnica. E teve também uma partida disputada ponto a ponto, com o Cruzeiro levando a melhor no tie-break, vencendo o Vôlei Futuro por 3 sets a 2 (25/20, 25/22, 23/25, 23/25 e 15/9) e saindo na frente no primeiro jogo das semifinais da Superliga Masculina.

- Semifinal, contra o Vôlei Futuro, só craque. Fico feliz por ter conseguido essa vitória dentro de casa, com a torcida que vem sempre nos apoiando e merece. Vamos focar agora para o jogo de sábado (9 de abril), porque lá vai ser ainda mais duro. Tomara que seja 3 a 2 de novo para nós – disse o levantador William.

As equipes voltam a se enfrentar no dia 9 de abril, às 10h, no Ginásio Plácido Rocha, em Araçatuba. A TV Globo transmite o confronto.

O jogo começou com as duas equipes se alternando na frente do placar. Foi o Cruzeiro quem conseguiu se desgarrar primeiro, em uma diagonal de Wallace, abrindo três pontos (14/11). O que se viu a partir daí foi um jogo de gato e rato. O Vôlei Futuro diminuía a desvantagem para um ponto, e o time mineiro voltava a se distanciar. Com um ace de Felipe e um bloqueio em cima de Leandro Vissotto, a equipe da casa ficou cinco pontos à frente (24/19) e depois fechou o set por 25/20.

O segundo set começou de maneira diferente. Em um saque de Dentinho, Léo Mineiro e Serginho não se entenderam, e o Vôlei Futuro abriu 5/2. Bem no bloqueio, os paulistas mantiveram o ritmo e chegaram a abrir seis pontos (11/5), mas o Cruzeiro reagiu, comandado por Wallace. Foi o oposto quem empatou o jogo (18/18) com uma diagonal curta. Foi ele também quem colocou os mineiros na frente, ao bloquear Camejo para fazer 21/20. No fim, dois erros seguidos de Leandro Vissotto deram a vitória ao time da casa: 25/22.

O time de Araçatuba mais uma vez começou o set dominando e abriu 5/1, mas outra vez o Cruzeiro tirou a vantagem. Em uma recepção errada de Camejo, a distância caiu para dois pontos (6/4). A equipe da casa seguiu em cima e, quando Léo Mineiro explorou o bloqueio, conseguiu o empate (12/12). O Vôlei Futuro não se abateu e seguiu comandando a partida, abrindo três pontos após bloqueio de Ricardinho (18/15). Com confiança, Lucão soltou a pancada no saque para fazer 25/23 e diminuir para 2 sets a 1.

A vitória deu moral para os visitantes, que mais uma vez começaram muito bem e foram para o primeiro técnico vencendo por 8/2. Mas, como era de se esperar, o Cruzeiro reagiu. A equipe paulista passou a errar muito e sofreu o empate quando Ricardinho e Lucão não se entenderam em um levantamento.

Os mineiros tomaram a dianteira quando mais uma bobeira do Vôlei Futuro mudou o rumo do set. O time se enganou no número de substituições e ficou sem levantador em quadra, com Camejo passando a fazer a função. A confusão não abateu os paulistas. Pelo contrário, deu mais força. Com saques potentes e se superando nos bloqueios, a equipe virou e ganhou por 25/23, levando a decisão para o tie-break.

Apesar da virada no fim do set anterior, o Cruzeiro entrou bastante concentrado no tie-break. O Vôlei Futuro, por outro lado, parecia ansioso e cometia erros, como o ataque para fora de Leandro Vissotto, que deixou os mineiros vencendo por 7/4. O time da casa seguiu sobrando em quadra e chegou ao set point em um ataque do fundo de Wallace. Duas bolas depois, Felipe marcou o ponto da vitória celeste por 3 sets a 2.

- Acho que temos que corrigir os altos e baixos que nossa equipe teve. Acreditamos que nossa equipe é forte para conseguir a vaga nessa final. O Cruzeiro jogou bem, teve o apoio da torcida que fundamental. Mas temos plena certeza que lá em Araçatuba vai ser uma outra história - destacou Dentinho.

veja também