MENU

Em jogo dramático, Ceará derrota Avaí na ressacada e deixa o Z-4

Em jogo dramático, Ceará derrota Avaí na ressacada e deixa o Z-4

Atualizado: Segunda-feira, 7 Novembro de 2011 as 9:03

No duelo entre dois times desesperados na parte de baixo na tabela do Brasileirão, o Ceará levou a melhor sobre o Avaí neste domingo. Em jogo dramático, o Vovô, que estava sem vencer há seis rodadas, jogou com inteligência, no contra-ataque, explorando os buracos deixados por um anfitrião tenso e desorganizado taticamente. Fora isso, Fernando Henrique, com boas defesas no fim, garantiu o resultado. Com péssimo retrospecto em plena Ressacada, tendo vencido apenas quatro vezes no Brasileirão, a equipe catarinense acabou derrotada por 2 a 1 e tem a situação mais complicada ainda na tabela.

Thiago Humberto e Felipe Azevedo marcaram os gols - William fez o do Avaí - que dão esperanças ao Ceará de fugir do rebaixamento. Com a vitória por 2 a 1 - além da goleada do Flamengo sobre o Cruzeiro por 5 a 1-, o Vovô fugiu do Z-4, a zona de descenso. Agora ocupa o décimo sexto lugar, com 35 pontos ganhos. Na 34ª rodada, no domingo, recebe o Santos no estádio Presidente Vargas.

O Avaí agoniza no Brasileiro. Mantém-se com 29 pontos, na penúltima colocação, e a seis pontos do Ceará, o primeiro fora da degola. No próximo sábado, encara o São Paulo no Morumbi e vê reduzidas suas chances de escapar do rebaixamento.     Bruno não ganha deí Euzébio: Ceará não deixa Avaí dar sequência às jogadas (Foto: Ag. Estado)   Gol do Vovô

O Avaí entrou com a missão de abafar o adversário. Marcar logo um gol seria o ideal, para aumentar a pressão. Só que o primeiro lance com perigo foi do Vovô, num chute de Juca de fora da área, bem defendido por Felipe. Parecia um aviso do que aconteceria no primeiro tempo. Mas o time catarinense, no começo, não se abalou e deu o troco. Robinho iniciou bem a jogada para Lincoln levantar na área. Cléverson, pela esquerda, tocou de cabeça para fora. Pouco depois, em centro de Fernandinho, Vicente tentou cortar e quase marcou contra. Fernando Henrique salvou.

Já eram dois lances de perigo para o Avaí. A torcida se contorceu pelo grito de gol que não houve. O time atacava, mas deixava espaços na defesa. E num erro de saída de bola, o Vovô se aproveitou. Felipe Azevedo tocou na medida para Thiago Humberto colocar sem defesa, abrindo o placar aos 15 minutos.

Daí em diante, o panorama mudou e resumiu bem o primeiro tempo. O Avaí ficou tenso junto com sua torcida. O Ceará, vestido de preto, botou a bola no chão. Thiago Humberto, que já se destacava, quase ampliou. Mesmo assim, o Vovô não mudava a tática. O segredo era esperar o adversário subir para se aproveitar dos buracos e dar o bote. A tranquilidade era fundamental.

Avaí erra muito

O maior problema do Avaí era, além de precisar pôr fim ao nervosismo, arrumar o conjunto, encurtar a distância entre seus jogadores. Cléverson tentava pela direita, sem companhia. Lincoln e Pedro Ken procuravam virar o jogo, mas muito de trás. Pela esquerda, Fernandinho até conseguia alguma coisa. Em uma das jogadas, bateu com perigo, cruzado, para fora, assustando Fernando Henrique.

Aos poucos, o Avaí, se não melhorava o posicionamento, ao menos recuperava a posse de bola. E pela esquerda saíam as melhores jogadas. Por ali, Cléverson, que mudava de lado constantemente, teve outra boa chance. Mas, em grande parte dos primeiros 45 minutos, a defesa, juntamente com o meio-campo do Vovô - destaque para Eusébio, João Marcos e Juca -, mostrou boa postura, deixando poucos espaços. E foi só terminar a primeira etapa para as vaias chegarem ao técnico do Avaí, Toninho Cecílio.

Fernando Henrique brilha

No segundo tempo, Toninho Cecílio sacou Daniel para pôr Caíque. Deslocou Pedro Ken para o lado direito e optou por formação mais ofensiva, com três atacantes. O time começou mais agressivo e quase marcou logo aos cinco minutos. Novamente pela esquerda, Fernandinho cruzou, Cléverson deu o carrinho para escorar, mas tocou fraco na bola.

O Vovô não se abalava. Continuava na mesma toada. E aos 12 minutos, marcou o segundo gol em jogada polêmica. Daniel Marques recebeu em posição adiantada e centrou na área. A defesa do Avaí bateu cabeça, e a bola sobrou para Felipe Azevedo apenas colocar, aos 12, ampliando o placar. O Avaí reclamou do impedimento, mas a arbitragem confirmou o gol.

Com a vantagem, o Vovô se retraiu mais. O Avaí partiu para o tudo ou nada. Aos 15, após centro de Caíque, William, de cabeça, diminuiu.  Daí até o fim, foi pressão, ainda que de forma desorganizada. Era coração na chuteira.

Cléverson perdeu dois gols. O Ceará ficou sem Vicente, que saiu com suspeita de fratura na canela. A partida ficou bem dramática. O Avaí deu sufoco, e Fernando Henrique apareceu como herói para o Ceará no fim, com duas grandes defesas, principalmente no tirambaço de Cléverson, aos 46 - a outra, aos 45, foi numa cabeçada à queima-roupa de William. Era mesmo dia do Vovô.            

veja também