MENU

Em jogo equilibrado, Bahia e Furacão empatam em Salvador: 1 a 1

Em jogo equilibrado, Bahia e Furacão empatam em Salvador: 1 a 1

Atualizado: Quinta-feira, 14 Abril de 2011 as 8:21

Em partida marcada pelo equilíbrio, Bahia e Atlético-PR empataram por 1 a 1 no Estádio Pituaçu, em Salvador, na noite desta quarta-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O atacante Guerrón, aos 44 minutos do primeiro tempo, abriu o placar. Camacho, aos 36 da etapa final, deixou tudo igual. Antes da partida, o Tricolor anunciou o técnico René Simões como o substituto de Vagner Benazzi . Ainda sem o novo treinador, que assistiu à partida de um hotel, na capital baiana, o time foi comandado pelo interino Chiquinho de Assis.

Os times voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, dia 20, às 21h50m (de Brasília), na Arena da Baixada. Empate sem gols garante a classificação ao Furacão. Se os times empatarem por dois ou mais gols, o Tricolor avança. Se der 1 a 1, a decisão vai para os pênaltis. E quem vencer passa para as quartas de final.

Quem se classificar pega o vencedor do confronto entre Náutico e Vasco. No jogo de ida, em Pernambuco, o time carioca venceu por 3 a 0.

Antes disso, as duas equipes tem compromissos pelos estaduais. No sábado, às 16h, o Furacão recebe o Paranavaí, pelo Paranaense. No dia seguinte, o Tricolor enfrenta o Vitória da Conquista, às 16h, no Pituaçu, pelo Baiano.

Zezinho e Gabriel disputam a jogada no empate entre Bahia e Atlético-PR (Foto: Agência Estado)

  Furacão sai na frente

O Atlético começou melhor e dominou os primeiros dez minutos. Neste período, Robston chutou de longe, por cima. Depois, Guerrón recebeu livre e bateu forte. Omar fez a defesa parcial, e Thiego mandou para escanteio após o rebote. Por fim, Kleberson cruzou e Adailton cabeceou para firme defesa do goleiro do Bahia.     O Tricolor equilibrou a partida, mas não conseguiu ameaçar o gol de Renan Rocha. Thiego, em cobrança de falta, e Zezinho, de fora da área, finalizaram por cima. Aos 23, Marconi cruzou direto e o goleiro rubro-negro defendeu.

Na sequência, Adilson Batista teve de fazer a primeira mudança: ele tirou o machucado Kleberson e colocou o volante Fransérgio. O Bahia melhorou, mas ainda pecava na conclusão das jogadas. Camacho chutou por cima, e Zezinho bateu para defesa de Renan Rocha. Souza, após cruzamento da direita, errou o cabeceio em gol que parecia certo.

O Furacão, pior em campo, assustou com Rafael Santos, que bateu para outra defesa de Omar. Quando o 0 a 0 parecia certo na etapa inicial, o Atlético armou um contra-ataque perfeito. Após escanteio do Bahia e rebote da defesa rubro-negra, Madson tocou para Wagner Diniz, que deixou Guerrón livre. O equatoriano chutou cruzado e abriu o placar em Salvador.

Bahia cresce e empata

Os times voltaram sem alterações para o segundo tempo, mas desta vez foi o Bahia quem começou melhor. Logo nos primeiros minutos, após cruzamento da direita, Marcos e Souza erraram a finalização. Em seguida, Renan Rocha fez a defesa em dois tempos após chute de Marcos. O Atlético respondeu com Adaílton, que arriscou de fora da área, para defesa de Omar.

Aos 16, Chiquinho de Assis mudou em dose dupla: Ramon e Souza, vaiados pela torcida tricolor, saíram para as entradas de Maurício e Rafael. Adilson Batista trocou Madson por Gabriel Pimba. Aos 21 minutos, Guerrón tentou em chute cruzado, e Omar só acompanhou a defesa afastar o perigo. Depois disso, o número de chances de gol diminuiu.

O Bahia buscava o ataque, mas, de forma desordenada, tinha dificuldade para chegar ao gol de Renan Rocha. Numa rara chance, Maurício soltou uma bomba, que passou perto. Camacho foi mais eficiente. Aos 39, ele acertou a pontaria e igualou o placar. Após rebote da defesa, o meia bateu firme e acertou o canto, sem chance para o goleiro atleticano.

Nos últimos minutos, o Bahia tentou pressionar em busca do gol da virada, mas parou na defesa rubro-negra. O Furacão, sem forças, não conseguiu recuperar a vantagem. E a decisão fica para a Arena da Baixada, na próxima semana.      

veja também