MENU

Em noite de Giovannoni e Benite, NBB fecha temporada com festa em SP

Em noite de Giovannoni e Benite, NBB fecha temporada com festa em SP

Atualizado: Quarta-feira, 1 Junho de 2011 as 9:50

Quase no mesmo momento que Dirk Nowitzki entrava em quadra pelo Dallas Mavericks, em Miami, para iniciar a disputa pelo título da temporada da NBA contra o Miami Heat, Guilherme Giovannoni era exaltado em cima de um palco no clube Paulistano, em São Paulo, nesta terça-feira. Comparado ao astro alemão por conta dos arremessos certeiros que ajudaram o Brasília a ser campeão no NBB, o ala-pivô trocou o uniforme pelo terno e teve uma noite de consagração. Na festa de encerramento da terceira edição do campeonato, Giovannoni recebeu os prêmios de melhor jogador da temporada e das finais e melhor pivô.

- Sem dúvida, é uma grande honra. Mas o que importa mesmo é o troféu grande que recebemos depois (do título do NBB). É uma consagração - afirmou o jogador.     Giovannoni e Vitor Benite com seus troféus na festa do NBB (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)       Vice-campeão com o Franca, Vitor Benite também saiu com três troféus. Foi eleito a revelação do campeonato, jogador de maior evolução e o melhor sexto homem. Alex, também do Brasília, foi outro a brilhar. Saiu da festa com o prêmio de melhor defensor e melhor ala, ao lado de Marquinhos, do Pinheiros. Os campeões ainda terminaram com o melhor ataque. Hélio Rubens, de Franca, foi escolhido o Técnico do Ano.     Marcelinho, do Flamengo, terminou como o cestinha da competição. Na disputa pelo Craque da Galera, prêmio do canal SporTV, o ala Chico, do Araraquara, surpreendeu e levou a melhor contra outros 14 candidatos e ficou com o troféu.     Cipriano no palco com o seu rap na festa do

NBB (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)     Rap de Cipriano dá início à festa

A festa começou ao som do rap de Cipriano, campeão com o Brasília. Na sequência, o presidente da Liga Nacional de Basquete (LNB), Kouros Monadjemi, foi para o palco. Depois de uma longa lista de agradecimento, aos patrocinadores e apoiadores, o dirigente comemorou o sucesso de mais uma edição do campeonato.

- Estou muito feliz com o NBB3. Acompanhamos o NBB1, depois o NBB2, que foi melhor, e o NBB3, que, por tudo o que foi dito, estamos de parabéns. O brasileiro tem a mania de elogiar individualmente por esses eventos. Mas, e não é da boca para fora, parabéns a todos os 15 clubes que participaram. A Liga foi um sucesso porque todos os clubes contribuíram para o sucesso da Liga. E também a equipe campeã. Virou uma febre. Com todo o respeito a Franca, que é capital do basquete, Brasília também é uma capital do basquete.

Foi a vez, então, do início da entrega de prêmios individuais. Shilton, do Joinville, líder em rebotes, foi o primeiro. Fúlvio, do São José, ausente na festa, terminou como líder em assistências. Pela terceira vez em três edições do campeonato, Marcelinho recebeu o prêmio de cestinha da competição.

Terceiro colocado, o time do Pinheiros foi para o palco na sequência para receber as medalhas pela temporada. Uberlândia (Fair Play), São José (Melhor Defesa) e Brasília (Melhor Ataque) foram premiados logo depois, seguidos por Andreia Regina Silva, árbitra revelação, o melhor trio de arbitragem, formado por Cristiano Maranho, Marcos Benito e Sérgio Pacheco, e o árbitro Carlos Renato dos Santos, o Renatinho, que acertou uma bola de três no Jogo das Estrelas deste ano.     Festa Marcelinho terminou a competição novamente como cestinha (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)     Eleito craque da galera, o ala Chico, do Araraquara, revelou que sua família fez campanha em casa para ficar com o prêmio. Agora, vai precisar pagar algumas divídas pela conquista.

- Quem fez campanha foi a minha esposa, avisou à família inteira. Os outros jogadores, como Olivinha, Benite, Alex, também tentavam fazer uma meta de votos por dia. Mas agora vou precisar pagar uns três churrascos por isso.

Um dos jogadores mais importantes do Franca na campanha do vice-campeonato, Vitor Benite subiu ao palco três vezes para receber os prêmios de Revelação, Jogador de Maior Evolução e Melhor Sexto Homem. O jovem comemorou a boa campanha.

- É muito bom ter esse reconhecimento por todo o trabalho, por ter crescido tanto na temporada. É bom por tudo o que eu vinha trabalhando.

Alex, que subiu ao palco duas vezes para receber os prêmios de Melhor Defensor e Melhor Ala, exaltou o trabalho do Brasília durante toda a competição.

- Isso comemora tudo o que foi feito durante a temporada. Os jogadores trabalharam muito em quadra e sair daqui com esses prêmios é especial.

Após o anúncio de Melhores Alas (Alex, do Brasília, e Marquinhos, do Pinheiros), Melhores Pivôs, (Guilherme Giovannoni, do Brasília, e Murilo, do São José) e Técnico do Ano (Hélio Rubens, do Franca), foi a hora dos prêmios mais importantes da noite. Giovannoni subiu ao palco mais uma vez para a entrega de melhor jogador da temporada. Logo depois, foi a vez do time do Brasília receber o troféu de campeão, encerrando a noite com festa.     Equipe do Brasília sobe ao palco para a receber o troféu de campeão (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)     Confira os prêmios da festa de encerramento do NBB

Líder em Rebotes – Shilton (Joinville)

Líder em Assistências – Fúlvio (São José)

Cestinha – Marcelinho (Flamengo)

Melhor Defesa – São José

Melhor Ataque – Brasília

Árbitra Revelação – Andreia Regina Silva

Melhor Trio de Arbitragem – Cristiano Maranho, Marcos Benito e Sérgio Pacheco

Árbitro Destaque  - Carlos Renato dos Santos

Craque da Galera (Sportv) – Chico (Araraquara)

Revelação do NBB – Vitor Benite (Franca)

Jogador da Maior Evolução – Vitor Benite (Franca)

Melhor Defensor do NBB – Alex (Brasília)

Melhor Sexto Homem – Vitor Benite (Franca)

Melhor Armador – Larry Taylor (Bauru)

Melhores Alas – Alex (Brasília) e Marquinhos (Pinheiros)

Melhores Pivôs – Guilherme Giovannoni (Brasília) e Murilo (São José)

Técnico do Ano – Hélio Rubens (Franca)

Melhor Jogador da Temporada e das Finais – Guilherme Giovannoni (Brasília)          

veja também