MENU

Em sua melhor atuação na temporada, São Paulo bate o Azulão e entra no G-4

Em sua melhor atuação na temporada, São Paulo bate o Azulão e entra no G-4

Atualizado: Quinta-feira, 4 Fevereiro de 2010 as 12

Na véspera da partida contra o São Caetano , o técnico do São Paulo , Ricardo Gomes, avisou que o time que entraria em campo seria aquele que estrearia na  Taça Libertadores , assim todos poderiam esperar que a equipe mostraria em campo que está em franca evolução. Pelo apresentado em campo nos 90 minutos da vitória por 3 a 0 sobre o Azulão, na noite desta quarta-feira, na Arena Baruei, o torcedor tem motivos para sorrir, ficar feliz e se encher de esperança.

Na sua melhor apresentação neste começo de temporada, o Tricolor do Morumbi venceu com autoridade e entrou no G-4 do Campeonato Paulista , ocupando a vice-colocação, com 11 pontos, dois a menos que o surpreendente líder Botafogo-SP - o time pode até ser superado, mas as chances de perder três posições são bem remotas.

Para isso, a rodada de quinta-feira precisaria terminar com a seguinte combinação de resultados: vitória de Santos ou Santo André (as duas equipes se enfrentam no ABC Paulista), uma vitória por três gols de diferença do Palmeiras sobre a Portuguesa; e uma goleada do Mogi Mirim diante do Mirassol por nada menos que nove gols de vantagem.

As duas equipes voltarão a campo no próximo domingo, pela sétima rodada do Estadual. O São Paulo faz o clássico contra o Santos, às 17h (de Brasília), na Arena Barueri. Já o São Caetano - que completou três jogos sem vencer e, com oito pontos, caiu para a nona posição e ainda pode despencar mais quatro na tabela - buscará a reabilitação diante do Mirassol, às 19h30m (de Brasília), no estádio José Maria de Campos Maia.

Um começo arrasador do Tricolor

O início de partida do São Paulo empolgou. Com apenas seis minutos, a equipe já havia criado três oportunidades. Aos dois, a primeira: Marcelinho Paraíba desceu pela esquerda e cruzou para Washington, que dominou e bateu à direita do gol de Luiz. No lance seguinte, Jean recebeu passe de Hernanes e, já na área, bateu rasteiro, também à direita da meta adversária. Para completar, aos seis, novamente Washington recebeu passe açucarado de Marcelinho Paraíba e mandou por cima do gol.

O São Caetano, que até então só assistia ao jogo, assustou aos sete, em lance de Wanderley, que Rogério Ceni defendeu com o peito. Mas ficou nisso. Até os 20 de bola rolando, os comandados de Ricardo Gomes mantiveram o domínio da partida. A grande novidade no posicionamento da equipe da capital foi a total liberdade dada pelo treinador a Marcelinho Paraíba e Dagoberto, que alternavam os lados do gramado. Pelo meio, Hernanes também se aproximava, facilitando bastante a vida de Washington, que passou a ser municiado constantemente.

Se do meio para frente, as coisas funcionavam bem, defensivamente ficou claro que o time vai levar um tempo para assimilar a saída de André Dias, que, como o próprio técnico havia lembrado antes do confronto, era o único que sabia fazer a sobra. A partir da metade do primeiro, o Azulão passou a ter mais espaço para tocar a bola, chegando à área adversária. Everton Ribeiro, aos 18, entrou livre na área, mas, em vez de chutar, preferiu cruzar, e a zaga tricolor afastou o perigo.

Aos 24, quando o time do ABC já havia equilibrado a partida, o São Paulo abriu o marcador. Pela terceira vez na partida, Washington recebeu passe açucarado na área, desta vez de Dagoberto, após bela jogada pela esquerda. Desta vez, o Coração Valente foi mais feliz na conclusão e, de pé direito, mandou no ângulo de Luiz: 1 a 0. Em desvantagem, o São Caetano foi para frente. Aos 33, Wanderley assustou Rogério Ceni em chute de fora da área.

Ao mesmo tempo em que passou a rondar com perigo a área adversária, o Azulão passou a deixar espaços para o Tricolor jogar da maneira que mais gosta, ou seja, no contra-ataque. E foi assim que saiu o segundo gol, aos 36. Marcelinho Paraíba avançou livre e, na entrada da área, foi travado por Jairo. Na sobra, Dagoberto avançou e tocou na direita para Washington, que recebeu e cruzou na medida para o mesmo Dagoberto fuzilar no ângulo: 2 a 0. Um belo gol.

Vitória encaminada, era a hora de experimentar

Satisfeito com o desempenho da equipe, Ricardo Gomes aproveitou para fazer experiências. Ele sacou o zagueiro Renato Silva e colocou o estreante Cléber Santana. Com isso, Richarlyson foi recuado para a zaga. Depois, tirou Marcelinho Paraíbapara a entrada de Léo Lima. As mudanças, no entanto, fizeram o time diminuir seu ritmo.

Sem Marcelinho Paraíba, que ao lado de Dagoberto confundia a marcação adversária, o Tricolor tornou-se previsível, valorizando a posse de bola e esperando o momento certo para atacar. Como o São Caetano também continuava sem levar perigo, o jogo perdeu muito em qualidade.

A primeira jogada de perigo surgiu apenas aos 27 minutos, quando Washington, de cabeça, exigiu bela defesa de Luiz após cruzamento de Jean pelo lado direito. O adversário respondeu em lance de Wanderley no minuto seguinte, mas Rogério Ceni apareceu bem. Aos 32, após cruzamento da esquerda, Xandão foi afastar de cabeça e quase marcou gol contra.

Sem ser ameaçado, o Tricolor diminuiu ainda mais o ritmo, e o São Caetano seguia batalhando pelo primeiro gol. Aos 39, Wanderley chutou pela esquerda, Rogério Ceni falhou, e a bola bateu no travessão. Quatro minutos depois, um replay do lance anterior: Wanderley voltou a arriscar, o goleiro são-paulino defendeu parcialmente, e a bola acertou a trave. Já nos acréscimos, Hernanes, que até então estava em noite apagada, avançou pelo meio-campo e, em belo chute de fora da área, acertou o canto esquerdo de Luiz, colocando números finais no marcador.

veja também