MENU

Em vez da crise, o encanto: Falcão renasce e vê Inter engrenar

Em vez da crise, o encanto: Falcão renasce e vê Inter engrenar

Atualizado: Sexta-feira, 1 Julho de 2011 as 12:46

Treinador supera maré ruim e vive ótimo momento

no Inter (Foto: Lucas Uebel / Vipcomm)

  Cinco jogos sem derrotas. Duas goleadas seguidas. Melhor ataque do Campeonato Brasileiro. Eis que Paulo Roberto Falcão alcança uma reviravolta que parecia impossível no Inter. Depois de ter o pescoço colocado na guilhotina do Beira-Rio, o treinador deu um jeito de renascer. E passou a ver seu time melhorar gradativamente, até encontrar a melhor atuação do ano na goleada de 4 a 0 sobre o Atlético-MG.

O Inter encantou. Teve tudo aquilo que Falcão sempre colocou como lemas: aproximação entre os setores (D’Alessandro esteve mais no campo de defesa, solidário à marcação, do que no ataque), saída rápida (especialmente pelo lado esquerdo de ataque, incendiou os defensores atleticanos, com toques curtos e diretos), poder de fogo (os quatro jogadores mais de frente, Oscar, D’Alessandro, Zé Roberto e Leandro Damião, fizeram um gol cada na partida). Não por acaso, Falcão emanava satisfação de todos os poros de seu corpo depois da goleada desta quinta-feira.

É que o jogo tem toda a pinta de divisor de águas. Ele mostra um time que (excetuada uma impressão muito errada) parece apto a engrenar. Falcão foi quase poético ao comentar a atuação: disse que sentiu presenteado pelos jogadores.

- Sempre disse aos jogadores que eles estão me surpreendendo a cada dia, pela participação, pelo comprometimento, pelo entendimento do trabalho e pela alegria. Isso é fundamental. O resultado é do futebol. O que não pode acontecer é não ter entrega. No Internacional, está todo mundo comprometido. Foi um grande jogo. Não significa que vá ser sempre assim. Mas o que quero é viver esse momento que os jogadores do Internacional me proporcionaram – disse Falcão, leve, em Sete Lagoas. O que anima Falcão em especial é perceber elementos dos treinamentos serem transportados aos jogos. O primeiro gol do Inter contra o Atlético-MG foi em cobrança de falta sistematicamente praticada no Beira-Rio. Nos outros, houve jogada de aproximação, algo muito exigido por ele.

- Vamos tomar gols, vamos ter dificuldades, vamos perder jogos, vamos ganhar jogos. Mas estamos felizes, porque vemos coisas que começam a aparecer, e são coisas que treinamos.

O reflexo disso é o respaldo público da diretoria ao trabalho de Falcão – a mesma diretoria fortemente pressionada a demiti-lo, por correligionários, há menos de um mês.

- A alegria maior é a equipe estar crescendo. O time foi solidário. Mesmo depois de estar vencendo, vimos dez jogadores atrás da linha da bola. A equipe se entregou, jogou no seu limite, e isso é mérito dos jogadores, mas também é trabalho da comissão técnica, do treinador, da preparação física. Mais do que mostrar a equipe se encorpando, para mim mostra uma evolução taticamente, de entrega, na questão física, e mostra o trabalho da comissão técnica – comentou o presidente do clube, Giovanni Luigi.

Agora, a meta do Inter é embalar no Brasileirão. Oitavo colocado, com 12 pontos, o Colorado recebe na quarta-feira, no Beira-Rio, o Atlético-PR, lanterna da disputa, com apenas um ponto.            

veja também