MENU

Engenhão não consegue seduzir Luxemburgo

Engenhão não consegue seduzir Luxemburgo

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 4:46

A estreia de Ronaldinho levou mais de 42 mil torcedores ao Engenhão. A euforia tomou conta das arquibancadas e a torcida rubro-negra foi primordial no segundo tempo, quando apoiou o time sem parar até Wanderley marcar o gol da vitória sobre o Nova Iguaçu por 1 a 0.

Mesmo com toda a mobilização em cima do astro e a possibilidade de o número de torcedores aumentar consideravelmente a cada jogo, o técnico Vanderlei Luxemburgo não se deixa seduzir pelo Engenhão. Segundo ele, o Flamengo não joga "em casa" no estádio.

“Aqui não é nosso estádio, é um pouco distante do torcedor. Não se prepararam para ficar sem o Maracanã. Flamengo e Fluminense estão prejudicados. O campo está com grama rala, e é difícil para o torcedor chegar aqui. Não sei se teremos tantos torcedores em todos os jogos mesmo com o Ronaldinho. Os governos municipal e estadual tinham de criar alternativas. O Flamengo tem de alugar o estádio, pois pertence ao Botafogo. Aqui, somos sempre visitantes e são muitas taxas. É muito complicado”, disse Luxemburgo, indicando que Macaé passará a ser uma opção cada vez mais escolhida pela diretoria rubro-negra.

“O Flamengo tem de buscar alternativas, sempre achei que precisava de um estádio para 30, 40 mil pessoas. Vamos ver se Macaé pode ser um estádio alternativo. Gostei muito. Copa e Olimpíadas no Brasil são coisas muito legais, mas e os clubes que perderam? Como fica?”, questionou.

Durante a estreia de Ronaldinho, o Engenhão evidenciou problemas no entorno e na parte interna. Engarrafamentos, confusões, e até pequenos furtos foram acontecimentos corriqueiros nos acessos ao estádio.

Por Vinicius Castro

veja também