MENU

Entre a aposta e a realidade: Oscar se aproxima do time titular do Inter

Entre a aposta e a realidade: Oscar se aproxima do time titular do Inter

Atualizado: Quarta-feira, 2 Março de 2011 as 9:48

Celso Roth chamou os 11 titulares, um a um, e distribuiu coletes a eles na tarde desta terça-feira. Ali estava a experiência de figuras como Índio e Kleber, a consolidação de sujeitos como Bolatti e Leandro Damião, a segurança de símbolos como Guiñazu. E ali estava uma novidade: Oscar, 19 anos, pernas finas, ainda franzino, mas munido da aposta do chefe em um Inter mais agressivo.

De tão sólido, quase pode ser tocado o crescimento de Oscar pelos lados do Beira-Rio. Ele passou por um processo quase matemático desde sua chegada ao clube: a timidez nos primeiros treinos, as broncas do técnico, a ida para o time B, o retorno ao elenco principal, o bom rendimento no trabalho diário, os gols, a chance de ir ao Mundial de Clubes, a convocação para conquistar o título do Sul-Americano Sub-20 com a seleção brasileira, o retorno em alta ao Beira-Rio, o gol contra o Jaguares, a presença entre os titulares no treino desta terça. Para cada passo atrás, dois à frente. E agora parece questão de tempo a presença do meia como um dos 11 donos de camisa no Colorado.

É bem verdade que a chance recebida por Oscar tem relação com a lesão de D’Alessandro. Mas o garoto sabe aproveitar a oportunidade. Ele fez um gol, arriscou chutes de longe e se movimentou sem parar no treino em que foi testado como titular. Foi o destaque da atividade.

- O jogador tem a oportunidade e faz por si. Não é o treinador que escala. É o jogador que se escala. O treinador tem que dar a oportunidade a quem está melhor. Se ele continuar assim, poderá ter outras oportunidades, mesmo que a concorrência seja à altura. As coisas são assim - disse Roth.

O próximo jogo do Inter é na quinta-feira da próxima semana, contra o Ypiranga, no Beira-Rio, pelo Gauchão. D’Alessandro não terá condições de jogo até lá, e a tendência é de que Oscar comece a partida como titular. Será a chance para ele mostrar, na prática, que pode resolver o problema de contundência ofensiva do Inter.

- Fizemos o primeiro trabalho tático da semana, e coloquei o Oscar porque ele entrou no jogo (contra o Jaguares), fez um gol. É um jogador que vai em direção ao gol, que bate bem na bola – comentou o técnico.

E Roth gostou do que viu no treino. Mesmo assim, ele não garante nada em termos de escalação:

- O Oscar teve a oportunidade e mostrou que tem qualidade. O time ficou ofensivo, com ultrapassagens. Realmente, fica um time muito ofensivo, com os dois volantes bem posicionados. É uma possibilidade, mas temos muito tempo até o dia 10. Temos alternativas.

Oscar chegou ao Inter após brigar judicialmente com o São Paulo. Ele tem sete partidas pelo clube colorado. O gol marcado sobre o Jaguares foi seu primeiro com o time profissional.    

veja também