MENU

Equipes se preparam para o inovador Oi Desafio de Surf

Equipes se preparam para o inovador Oi Desafio de Surf

Atualizado: Terça-feira, 28 Outubro de 2008 as 12

Dois times com excelentes surfistas vão representar seus respectivos paises no Oi Desafio de Surf Brasil x EUA, que vai mostrar um outro lado do surfe competição, de 7 a 9 de novembro, na Praia de Maresias, São Paulo. As equipes brasileira e americana vão se enfrentar num formato de surfe totalmente diferente do que já se viu no Brasil, colocando em jogo nada menos que US$ 80 mil, sendo US$ 45 mil para os vencedores e US$ 35 mil para os perdedores.

Idealizado pelo surfista americano Brad Gerlach, o novo formato de competição busca tornar o surfe mais dinâmico e mais interessante para quem assiste, tanto na praia, quanto na TV. Além de cinco surfistas, cada equipe terá dois técnicos, um na água e outro na areia. Para o time verde-amarelo, os escolhidos foram Adriano de Souza, o Mineirinho, Fábio Gouveia, Bruno Santos, Danilo Grillo e Marcelo Trekinho. O esquadrão americano será defendido por Tom Curren, Jamie O'Brien, Cory Lopez, Shane Beschen e Clay Marzo. Os técnicos são Pedro Muller e Peterson Rosa pelo Brasil, e CT Taylor e Kyle Knox pelos EUA.

"É muito importante que eles trabalhem verdadeiramente como equipe, até porque é a primeira vez que o Desafio acontece no Brasil e o formato de disputa é novidade para todos. Aproveitar o tempo de cada game com eficiência e pegar as ondas certas será muito importante", explica Brad Gerlach, o criador do formato de disputa do Oi Desafio de Surf Brasil x EUA.

A disputa acontece numa melhor de três Games, na qual a equipe que vencer dois será a vitoriosa. Um game é formado por três períodos de 12 minutos, totalizando 36 minutos para cada time (por jogo).

O Game

Em cada período de 12 minutos (as equipes se revezam), quatro surfistas entram na água e a melhor onda de cada um entra para a soma do time, sendo 40 o máximo de pontos possíveis por período (120 pontos por Game). Ganha a que fizer mais pontos.

Os técnicos têm direito a cinco pedidos de tempo (dois minutos de duração) por Game, para substituições, instruções ou trocas de posicionamento na água, por exemplo.

"Vamos entrar na água para vencer mesmo, sempre usando a inteligência para buscar os pontos e a vitória", diz Adriano Mineirinho, um dos destaques do time brasileiro.

No sábado, dia 8 de novembro, acontecerão os treinos livres e o primeiro Game. E no domingo, 9 de novembro, com transmissão ao vivo pela TV, os jogos decisivos.

Ao contrário das competições habituais, não existe confronto direto entre surfistas adversários na água. Cada time entra em "campo" para jogar sozinho e os técnicos são responsáveis por escolher a melhor tática. Depois de analisarem as condições do mar, eles podem escolher melhor as ondas que cada surfista entrará, de acordo com as características de cada competidor.

História

Criado pelo americano Brad Gerlach, que depois de competir durante muitos anos no Circuito Mundial (WCT) e chegar a ser o segundo melhor do mundo, achou que precisava criar um novo tipo de disputa, que não fosse tão desgastante para os competidores e mais interessante para público da praia e da TV. Ele também queria aproximar mais os surfistas dos fãs e tornar os eventos não só simples competições, mas uma forma de reunir amigos que têm em comum o mesmo life style.

veja também