MENU

Ex-colega de Schumi diz que alemão correu fora do regulamento em 1994

Ex-colega de Schumi diz que alemão correu fora do regulamento em 1994

Atualizado: Quarta-feira, 7 Dezembro de 2011 as 2:38

Um dos mais controversos campeonatos da história da Fórmula 1 voltou à tona nesta quarta-feira. O holandês Jos Verstappen, companheiro de Michael Schumacher em 1994 na Benetton, acusou o alemão de ter corrido com um carro fora do regulamento na temporada de seu primeiro título na Fórmula 1. Em entrevista à revista holandesa "Nusport", ele disse que apenas o modelo usado pelo colega tinha os sistemas eletrônicos proibidos no fim do ano anterior na F-1.

Schumacher à frente de Ayrton Senna na largada do GP do Pacífico de 1994, em Aida (Foto: Getty Images) - Michael também depende do carro. Ele era Deus para muitas pessoas, mas não é o Super-Homem e nunca foi. Quando corri de kart, ele nunca me venceu. Sei o que aconteceu quando estivemos juntos na Benetton em 1994. Ele tinha auxílios eletrônicos. Os membros da Benetton nunca vão admitir, mas estou certo disso. Mais tarde, perguntei a Flavio Briatore e ele me disse para não falarmos disso. Então estou convencido - disse Verstappen.

Na época, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) proibiu todas as ajudas eletrônicas desenvolvidas principalmente pela Williams por causa do desequilíbrio do campeonato. A medida deixou os carros mais instáveis e a equipe inglesa perdeu terreno para a Benetton. A ilegalidade do time de Flavio Briatore chegou a ser levantada na época, mas a investigação não foi adiante.

Segundo Verstappen, os sistemas eletrônicos estavam camuflados no carro de Schumi. O ano de 1994 acabou marcado na Fórmula 1 pelas mortes de Ayrton Senna e Roland Ratzenberger no fim de semana do GP de San Marino, em Ímola. O brasileiro tricampeão chegou a reclamar da ilegalidade do carro do rival, mas a Williams não quis protocolar uma reclamação oficial.

- As pessoas pensam que pretendo me justificar, mas sei que o carro dele era diferente. Eu freava no limite e andava o mais rápido que conseguia em todas as curvas. Então, o que poderia fazer quando Schumacher conseguia e eu não? Não estava certo. Guiei o carro dele algumas vezes. Em Hockenheim, por exemplo, rodei. Não tinha como eu ser tão rápido com aquele acerto. Mas o sistema que Michael usava não estava ativo no carro naquele momento - completou.      

veja também