MENU

Ex-zagueira da seleção, Carol sonha com Paralimpíadas após acidente

Ex-zagueira da seleção, Carol sonha com Paralimpíadas após acidente

Atualizado: Sexta-feira, 16 Dezembro de 2011 as 12:22

Em abril de 2001, a Granja Comary recebia pela primeira vez as categorias de base da seleção feminina. Marta estava na equipe e tinha apenas 16 anos. Na defesa estava Carol Basílio, zagueira titular e candidata a craque. Porém, dez anos depois, uma lesão no joelho e um acidente de moto acabariam por transformá-la em uma nova atleta. Forçada a amputar as duas pernas, a ex-promessa do futebol feminino se mudou para a natação, sonha disputar as Paralimpíadas do Rio-2016 e ainda busca um reencontro com a ex-companheira, hoje a melhor do mundo nos gramados ( assista ao vídeo ).

- Meu objetivo central são as Paralimpíadas de 2016, até porque a natação tem um longo prazo para treinamento. Mas eu não descarto possibilidade de competir em Londres - explica Carol sobre os planos nas piscinas.

Carol na época em que defendia a seleção feminina

(Foto: Reprodução SporTV) A fatalidade na vida de Carol aconteceu em abril de 2010, quando ela teve as duas pernas amputadas depois de um acidente de moto. A ex-zagueira explica que foi praticamente atropelada por uma caminhonete a 120 km/h, que havia avançado um sinal vermelho. A perda dos membros pôs fim à carreira de professora de educação física.

Carol, no entanto, não demorou para encontrar um novo caminho. Um mês após o acidente, Carol começou um trabalho de recuperação na piscina e descobriu na natação paralímpica uma motivação de vida.

- Antes do acidente, esse espírito competitivo estava adormecido. Eu estava mais ligada em dar aulas mesmo, convencida daquilo. Depois do acidente, aflorou esse espírito de querer me sentir útil de novo - comenta.

Carol afirma que nunca foi de se intimidar. Na seleção, era a mais brincalhona, e colocava apelidos em todos, inclusive em Marta, a quem chamava de "Zoião". Hoje, a melhor do mundo do futebol feminino faz parte de um sonho não só de Carol, mas de toda a família.

- Para mim seria um sonho ver e proporcionar esse reencontro da Carol com a Marta - diz emocionado Basílio, pai da atleta.

Além do objetivo de disputar as Paralimpíadas em 2016, a ex-zagueira também busca ter contato novamente com Marta.

- Foi a nossa primeira vez e por isso eu tenho certeza de que ninguém esqueceu - disse a atleta.        

veja também