MENU

Exaltado no Arpoador, Slater brilha na estreia e vai à terceira fase no Rio Pro

Exaltado no Arpoador, Slater brilha na estreia e vai à terceira fase no Rio Pro

Atualizado: Terça-feira, 17 Maio de 2011 as 11:52

A chuva do início do dia não favoreceu as primeiras baterias do Rio Pro, terceira etapa do Circuito Mundial. Com o tempo fechado na praia do Arpoador, que recebeu a disputa após seis adiamentos na Barra da Tijuca, os surfistas tinham dificuldades para encontrar boas ondas. Quando Kelly Slater chegou, no entanto, a chuva parou. E o americano, dez vezes campeão mundial, aproveitou.

Slater venceu a sexta bateria do dia com a melhor onda até então, um 9,00. Somou 15,17 e garantiu a classificação direta para a terceira fase. Com o resultado, mandou o australiano Julian Wilson, segundo colocado, e o brasileiro Peterson Crisanto, terceiro, para a repescagem.

Outro forte candidato ao título, o australiano Mick Fanning também estreou com vitória no Rio. Em bateria disputada, o bicampeão mundial derrotou o brasileiro Simão Romão e o havaiano Dusty Payne. A decepção ficou por conta do sul-africano Jordy Smith, que vai precisar ir para a repescagem, depois de cair diante do americano Patrick Gudauskas. O brasileiro Igor Morais ficou em terceiro na disputa.

Fanning vence disputa com Simão Romão

Fanning começou com um ritmo mais lento em relação a Payne, que abriu com uma nota 5,00. Surfista local, Simão Romão encaixou um 5,43 em sua segunda onda.

Aos poucos, no entanto, Fanning passou a tentar ondas intermediárias e passou a dominar a bateria. Com rasgadas fortes e um surfe rápido, o australiano conseguiu um 7,00 e um 8,07 e não foi mais ameaçado. Payne tentou, mas conseguiu apenas um 5,73, enquanto Simão teve um 6,93 em sua melhor onda na bateria e terminou em segundo, com 12,36.

Após o fim da bateria, Fanning elogiou o brasileiro, a quem enfrentou pela primeira vez.

- Eu o conheço há alguns anos. Ele disputou alguns eventos, mas nunca o havia enfrentado no circuito. Parece ser um cara bem bacana. Foi muito bom conseguir vencer aqui, na casa dele.

Smith perde a prancha e vai para a repescagem

Na bateria seguinte, o atual vice-campeão mundial Jordy Smith teve trabalho. Perdeu a prancha em uma das ondas, teve de voltar à areia e sofreu para encontrar sua melhor onda. Vindo da triagem, o brasileiro Igor Morais chegou a sonhar com uma classificação direta à terceira fase, com a melhor onda até então, um 4,07.

Mas o sul-africano conseguiu sua melhor onda no retorno (4.57) e tomou a liderança da bateria pela primeira vez. Mas não por muito tempo. O americano Patrick Gudauskas, que havia liderado a disputa no início, tomou a dianteira e mandou Smith e Igor para a repescagem.

Slater brilha no Arpoador

Na sexta bateria do dia, Kelly Slater foi o último a entrar na água. Quando o sinal tocou, ainda passava pela arrebentação, enquanto o australiano Julian Wilson abria sua participação com uma boa onda, tirando um 7,77 dos juízes. Já o brasileiro Peterson Crisanto, outro surfista na chave, não conseguia encontrar boas ondas.

Tranquilo, Slater esperou. Já havia conquistado um 6,17 em sua terceira onda. Três ondas depois, brilhou. Com duas rasgadas perfeitas, conseguiu a melhor nota do dia, um 9,00, e assumiu a liderança na bateria para não sair mais.Wilson ainda tentou, mas não chegou a ameaçar o americano.

Na saída da água, Slater foi bastante saudado pela torcida que lotava a areia da praia do Arpoador. Satisfeito com o resultado, o americano confessou ter entrado na água com um ritmo mais lento.

- Comecei mais devagar, mas consegui encaixar algumas boas manobras - afirmou o americano.          

veja também