MENU

Excursão tricolor para São Paulo termina com confusão e reclamação

Excursão tricolor para São Paulo termina com confusão e reclamação

Atualizado: Segunda-feira, 29 Novembro de 2010 as 2:12

Depois da festa pela vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras (veja o vídeo com a cobertura do Globo Esporte) , momentos de apreensão. Tricolores que contrataram o serviço da agência ST Viagens para assistir à partida na Arena Barueri, neste domingo, viveram momentos de tensão no aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Com voos cancelados da TAM, a confusão foi instalada, pois diversas pessoas foram remanejadas para voos da Gol. Vale lembrar que a delegação do próprio Fluminense teve alterado o horário de retorno para o Rio de Janeiro na manhã desta segunda.

Com isso, saídas que estavam previstas para 21h10m (horário de Brasília) atrasaram e deixaram alguns torcedores transtornados. A insatisfação em grande parte vinha pela ausência dos nomes nas listas da Gol. Exaltados e reclamando de falta de organização da empresa, alguns tricolores exigiam soluções imediatas e houve discussão. Organizadores  prometeram reembolsar quem comprasse passagens em outras empresas e garantiram o pagamento da estadia de 12 torcedores que resolveram ficar na cidade para retornar ao Rio de Janeiros da parte da manhã.

- Não justifica. Se todos tivessem com a passagem em mãos, não teria esse problema - disse o economista Marcos Carvalho.

A principal cobrança era sobre a passagem de volta. A empresa havia informado que o retorno estava programada para às 21h10m, com partida de Congonhas. Dois organizadores que viajaram até São Paulo ficaram no aeroporto para tentar tirar as passagens e fazer o check in.

- Assumimos a responsabilidade de tudo que aconteceu. Mas o problema com a TAM não é nossa culpa. Nós pagamos o hotel para outras pessoas que não quiseram viajar de madrugada e recebemos alguns agradecimentos pela nossa postura hoje na parte da manhã, por ter assumido as responsabilidades – disse Haroldo Couto, um dos organizadores da excursão, que garantiu que todas as passagens de volta já haviam sido compradas, apesar de não ter havido o check-in no Rio de Janeiro.

Ele aproveitou ainda para admitir que errou na troca dos nomes de dois clientes. Já para explicar o motivo pela qual os voos não foram fretados, como dizia o site da empresa, ele explica que teria de pagar  R$ 1.200 por pessoa para essa opção. O valor do pacote, com traslado e ingresso, era de R$ 694, daí a decisão de não fretar voos.

Além do valor de R$ 129 pela hospedagem de cada uma das 12 pessoas que ficaram em São Paulo até a manhã desta segunda-feira, 19 torcedores serão reembolsados por gastar cerca de R$ 526 com passagens, garante Haroldo Couto, que apresentou um e-mail com o recibo de pagamento da passagem de um dos passageiros.

Veja o relato do economista Marcos Carvalho, que adquiriu o serviço da empresa:

"Me disseram que tinham dois a três aviões fretados, ingressos e ônibus assegurados para ir e voltar do estádio. Nada melhor, se não fosse pela tamanha desorganização da agência. Após o pagamento feito, ficaram de enviar um voucher com informações sobre a viagem. Liguei a semana inteira, e sempre diziam que eu estaria recebendo isso tudo no dia seguinte, até que resolveram dizer que receberia no sábado, sendo que viajaria domingo de manhã. Mas não recebi absolutamente nada. Fui para o aeroporto na base da emoção e confiança em um agência na qual nunca tinha ouvido falar. No meu caso, fui com um amigo, e pediram para que chegássemos no aeroporto Santos Dumont uma hora e meia antes do voo, que estava marcado para 12h10m (horário de Brasília).

Chegamos antes do combinado, estacionamos o carro no próprio aeroporto e fomos ao encontro do pessoal no saguão. Quando chegamos lá, já fomos direto falar com um dos organizadores da ST VIAGENS, que estava com uma lista impressa, com muitas anotações a mão pedindo nossos nomes para confirmar que estávamos no voo de 12h10m. Bom, quem tinha falado que estávamos tinham sido os próprios, que depois de conferir aquele bando de papéis, acharam nossos nomes e mandaram que fôssemos fazer o check in diretamente no auto atendimento da Gol. Maravilha, cartões de embarque de ida em mãos, rumo a Congonhas. Mas e a passagem de volta? Chegando lá, conforme combinado, os ônibus nos aguardavam sem problemas, porém, não existia uma lista fixa para cada ônibus, ou seja, já começava a se desenhar uma confusão. Os ônibus tinham apenas um papel colado no vidro da frente especificando a companhia aérea e nada mais. Até aí, tudo bem.

O grupo, de uma forma coerente, conseguiu se organizar por si só, tendo em vista que não teríamos outra saída. Conforme explicitado no pacote oferecido, paramos em uma churrascaria para almoçar a caminho do estádio, e depois do almoço fomos para o jogo. Chegando no estádio, todos gostariam de saber como fazer na hora de ir embora para pegar o ônibus certo e também chegar a tempo no aeroporto para não perder o voo. Voo? Que voo? Aproximadamente 50% das pessoas que adquiriram o pacote não tinham um voo marcado de volta. Revoltante.

Como assim, se eu paguei um pacote no qual dizia que tinham voos fretados? Então, começou aquela confusão no aeroporto de Congonhas, com pessoas correndo de um guichê para outro, tentando desesperadamente voltar para o Rio, quem sabe ainda em tempo de comemorar a vitória. Lamentável, pois dentre essas pessoas tinham famílias com crianças, idosos e etc. Então, nesse tempo, alguns afortunados conseguiram voltar no voo de 20h40m, outros no de 21h10m. Mas e o restante? Não tinham mais voos. O aeroporto de Congonhas ia fechar em breve. O organizador, se é que posso chamar ele assim, chegou a dizer que teríamos um ônibus que iria levar o restante para o Rio de volta. Como assim, chegaria no Rio por volta de 3h, e ainda de ônibus?  Depois de muito vai e vem, a melhor (?!) solução apareceu. Um voo saindo de Guarulhos às 1h05m da manhã, que ia para o Galeão. Não queria mais discutir, e sim chegar em casa. Fui para Garulhos com um grupo de tricolores no ônibus da Gol e aguardamos o voo.

Lembrando que o carro do meu amigo estava no estacionamento do Santos Dumont. Aguardamos, e o voo atrasou. Resumindo, só sai de Guarulhos por volta de 2h30m da manhã, chegando no galeão quase 3h30m, e ainda tive que pegar um táxi até o Santos Dumont para buscar o carro. Isso foi um total desrespeito para com o cliente (não quero dizer nem torcedor), que pagou por um serviço anunciado como impecável. Mas a prestação do mesmo não chegou nem perto do que foi oferecido. Isso sem dizer que em nenhum momento eles organizaram o pessoal para passar as coordenadas. Se você não ficasse em cima, ia ter que descobrir por terceiros qual seria o procedimento a seguir, se é que existia algum.

Greve da TAM? realmente foi um empecilho, pois muitos passageiros da TAM foram remanejados para a Gol. Mas se eu tivesse com o meu cartão de embarque da volta ainda no Rio, nada disso teria acontecido. Ou melhor, se eles realmente tivessem fretado um avião, nada disso teria acontecido. Ou melhor, se eles fossem um pouco mais organizados,e não pensassem apenas em vender quantidade, e sim qualidade, nada disso teria acontecido.

Confira a nota oficial da empresa vendedora dos pacotes:

Em função do enorme movimento gerado dada a importancia do jogo do FLUMINENSE, neste fim de semana em São Paulo, contra o PALMEIRAS, em BARUERI o "TOURCEDOR", inicialmente vem se desculpar por algumas de suas falhas ocorridas em função deste movimento citado, vem tambem esclarecer que apesar de não ser CULPADO na maioria dos problemas ocorridos AINDA ASSIM ASSUMIMOS TODAS AS RESPONSABILIDADES (o que não é mais do que nossa obrigação evidentemente) com reembolso de eventuais despesas geradas por per noites em São Paulo, daqueles que não conseguiram embarcar logo após ao jogo como previsto inicialmente, bem como aqueles que resolveram embarcar po outra companhia, cumprindo desta forma com nossa obrigação de assumir nossas responsabilidades perante aos passageiros / torcedores que foram prejudicados em função da não confirmação no embarque de retorno em São Paulo dos bilhetes emitidos através desta empresa , apesar de terem sidos confirmados pela companhia por ocasião da emissão destes bilhetes.

Todo o problema foi iniciado pelo cancelamento de vôos da TAM ocorrido durante todo o dia deste último Domingo, sobre carregando desta forma todos os vôos da GO num efeito cascata.    

veja também