MENU

Exímios batedores, Zico, Junior e Pet 'carimbam' gol de falta de Ronaldinho

Exímios batedores, Zico, Junior e Pet 'carimbam' gol de falta de Ronaldinho

Atualizado: Quarta-feira, 2 Março de 2011 as 9:55

Cobrança de bola parada de Zico no fundo das redes era mais que normal. Nos anos 70, uma delas inspirou Jorge Ben Jor a fazer canção das mais conhecidas. Ao avisar nos versos a falta na entrada da área, ele já pede para adivinhar quem vai bater: "É o camisa 10 da Gávea", canta sempre o compositor nos seus shows. A música, feita em homenagem ao Galinho de Quintino, poderia ser hoje de Ronaldinho Gaúcho, que decidiu na penalidade, no último domingo, a Taça Guanabara na vitória por 1 a 0 do Flamengo sobre o Boavista.

Ou de Petkovic, que deu o tri carioca em 2001 no tiro indefensável sobre o Vasco (3 a 1). Ou até para Junior, que, apesar de sempre ter usado a camisa 5, era o Maestro e craque do time na conquista do penta brasileiro.

Foi dele, por sinal, o gol de falta que praticamente selou o título em 1992, na segunda partida da decisão contra o Botafogo, no Maracanã. Na primeira, o Rubro-Negro vencera por 3 a 0, o que o deixou em vantagem, podendo perder por até dois gols. A cobrança do Capacete, aos 42 do primeiro tempo, praticamente pôs fim ao sonho do Botafogo de reação.     O jogo terminou 2 a 2, mas a imagem que marcou foi a de Junior comemorando o gol aos pulos, como uma criança, tal como Pet mergulhando de joelhos no chão ou Zico dando socos no ar após o segundo gol na final da Libertadores contra o Cobreloa, em 1981. Na inauguração dos campos de futebol soçaite, segunda-feira, eles deram o carimbo de qualidade ao lance de Ronaldinho.   Perguntado sobre o esquecimento de seu gol ao comentarem a cobrança de falta de Ronaldinho Gaúcho no último domingo, Junior, às risadas, até brincou.

- Pois é, eles só fizeram um e eu fiz dois, né? (o outro, na primeira partida, foi com a bola rolando). Mas tudo bem... A gente está exaltando uma coisa que sempre foi normal. Não é novidade. Ronaldinho sempre bateu faltas pra caramba. Legal aí foi a coincidência com o Zico, comigo, o Pet... O detalhe do negócio para a gente, que cobrou falta, é que quando ele bateu na bola já saiu correndo para comemorar. Isso é típico de quem treina, pega o jeito, sabe como vai passar por cima da barreira. Ele demorou para bater uns três segundos antes de comemorar... Não tinha jeito para o goleiro pegar não, saiu muito rápida.     O atual comentarista da TV Globo, que durante bom tempo foi o principal cobrador da equipe rubro-negra e nessa segunda-feira, na pelada no CFZ, brindou os convidados com mais um repertório de lindas jogadas, acha que a tendência agora é Ronaldinho se soltar cada vez mais no Flamengo.

- Você percebe que o cara está no ambiente dele. Aí, tudo começa a remar a favor. Estava vendo o scout de quilometragem dele... Ronaldinho correu muito, está entusiasmado. Acho que parou no Flamengo na hora certa. O clube queria resgatar alguma coisa, ele também.

Outro que carimbou o "selo" de qualidade para a falta de Ronaldinho foi Petkovic. O golaço que marcou em 2001, na final contra o Vasco, no ângulo, sem defesa para o goleiro Helton, até hoje é lembrado pela torcida rubro-negra. O sérvio ressalta que a cobrança foi diferente, mas com o toque de categoria dos grandes craques.     - Ele pegou muito bem na bola. O Ronaldinho há muito tempo é dos grandes batedores. Matou o goleiro no lance. Eu estava lá no camarote do Engenhão assistindo. Depois, vi que ele me citou, foi muita gentileza dele. Lembrar do Zico é no automático, normal. De mim, já demora mais um pouquinho... afirmou o gringo, bem-humorado, pouco antes de dar um show à parte na pelada em que realizou o sonho de tabelar com o Galinho de Quintinho.

Zico, que estava vendo a partida pela TV, entendeu a comemoração antecipada de Ronaldinho no lance do gol. Quando Thiago Neves foi derrubado na entrada da área, achou a posição boa, ainda que fosse melhor para um jogador canhoto.

- Quando eu vi a armação da barreira e a posição do goleiro, senti que ia ser gol. Aquela posição, na verdade, é mais difícil para um destro bater. Mas tanto o Ronaldinho como qualquer outro grande cobrador de falta tem de estar sempre se reinventando, para enganar o goleiro. Eu mesmo batia falta dos dois lados. E o Ronaldinho já provou que tem capacidade para isso.     De falta, Zico entende. O gol mais importante em bola parada foi em uma decisão, e de Libertadores. O ano era o de 1981. Na terceira partida contra o Cobreloa, no estádio Centenário, em Montevidéu, o camisa 10 bateu na bola com perfeição. Deixou paralisado o goleiro Wirth e garantiu a vitória rubro-negra por 2 a 0. Mas o Galinho nem acha esse o mais perfeito.

- Meu gol de falta mais marcante foi aquele do Cobreloa. Mas a cobrança mais perfeita foi numa partida contra o Fluminense, em 76. O Renato (ex-goleiro) tinha ido do Flamengo para o Fluminense e sabia do meu jeito de bater. Aí tive de ser mais eficiente. Fiz quatro gols naquele jogo. Outro muito bonito foi contra o Santa Cruz, em 1987.

A partida contra o Santa Cruz aconteceu no dia 22 de novembro daquele ano e classificou o Flamengo para a semifinal contra o Atlético-MG. Já o Fla-Flu foi válido pela Taça Nelson Rodrigues de 1976, um torneio amistoso, no dia 7 de março.    

veja também