MENU

Experiência dos norte-coreanos no exército vira arma contra o Brasil

Experiência dos norte-coreanos no exército vira arma contra o Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 2 Junho de 2010 as 8:50

Enquanto as duas Coreias trocam provocações diplomáticas e fazem o mundo temer pela eclosão de uma guerra entre elas, é uma boa o Brasil abrir o olho para a força do exército do país comunista, seu primeiro adversário na Copa do Mundo. Mas a preocupação se resume às quatro linhas. Jong Tae-Se, o principal destaque da Coreia do Norte, aposta na mentalidade de um elenco acostumado à disciplina como trunfo da seleção asiática no Mundial.

- Quase todos foram para o exército. Eu não fui porque nasci no Japão. Somos fortes na mentalidade. Também somos como um exército. O Japão, onde eu jogo, é bom tecnicamente, mas não tem o mesmo espírito que a Coreia do Norte – afirmou o atacante.

Jong Tae-Se confia em vitória sobre o Brasil, embora admita que não é nada fácil. Ele pede que sua equipe use todas as armas na estreia dos dois países na Copa.

- Será um jogo muito difícil para nós. Podemos vencer o Brasil porque temos uma mentalidade muito boa. Vamos ter que usar 100% da nossa força – comentou o jogador.

O atacante, chamado de Rooney asiático, elogia o Brasil. E destaca seus atletas preferidos.

- Todos sabem como joga o Brasil. É um time que troca muitos passes, que é muito rápido, que vai com força na direção do gol. Eu gosto muito do Kaká. É o melhor para mim. E também do Robinho.

veja também