MENU

Falcão ataca imprensa, cita 'coisas plantadas' e sugere 'mau-caratismo'

Falcão ataca imprensa, cita 'coisas plantadas' e sugere 'mau-caratismo'

Atualizado: Terça-feira, 14 Junho de 2011 as 3:32

Falcão se mostra incomodado com críticas

(Foto: Alexandre Alliatti / Globoesporte.com)

  Enquanto tenta aplicar ao Inter as novidades táticas que prometeu ao chegar ao clube, o técnico Paulo Roberto Falcão adota uma estratégia quase tão antiga quanto o futebol em suas declarações públicas. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva, o treinador atacou a imprensa para se defender das críticas que recebe, eco do momento instável do time – menos de 50% de aproveitamento no Brasileirão, cinco jogos sem vitórias em casa e defesa vazada em todas as últimas dez partidas (foram 16 gols sofridos desde a vitória por 2 a 0 sobre o Emelec, no dia 19 de abril). O comandante do time colorado fez fortes acusações a jornalistas cujos nomes ele jamais citou. Falcão falou em notícias plantadas, em desconhecimento e em problemas de postura de profissionais da imprensa. Chegou a sugerir mau-caratismo.

O ataque mostra um treinador na defensiva. Falcão, a exemplo do que fizeram treinadores que recentemente passaram pelo Inter (Mário Sérgio, em especial), usa a tática para blindar seu vestiário. Nesta terça, porém, o que chamou a atenção não foi o ataque, já habitual, mas sim o conteúdo dele. Falcão colocou em interrogação o caráter de jornalistas.

- Estou na aldeia há algum tempo. Sei por que determinados comentaristas sugerem que tem treinador chegando. São coisas plantadas. Não é sério. Convivi com muitos profissionais, e muitos me decepcionaram. Não pela crítica, que é normal, mas pela postura, pelos interesses e pelo desconhecimento, para não dizer mau-caratismo. Tenho o maior orgulho de defender o time que amo. Não vou deixar que mexam com a instituição Internacional.

Falcão se mostrou especialmente irritado com a crítica à distância entre D’Alessandro e Oscar em campo. No esquema do treinador, cada um fica em uma ponta do campo.

- Ouvi esse absurdo. Comentarista de resultado é uma barbada. Aprendi isso na minha profissão. É muito fácil fazer isso. Eles jogaram rigorosamente igual a como jogaram contra o América-MG, com o D’Alessandro na esquerda e o Oscar na direita. Treinamos isso. Se colocar os dois juntos, grudados, quem é que marca os laterais? Se eles estivessem centralizados, seriam dois contra um sempre. Falar de futebol, todo mundo fala. Poucos entendem. Ver futebol, todos veem. Poucos enxergam.

O treinador disse que baterá de frente com críticas que possam atrapalhar o Inter. Ele pretende proteger seu elenco com o gesto.

- O que estiver acontecendo externamente, vou dominar no peito. Vou tentar preservá-los. Isso significa resultado? Não.

Existe pressão interna, sobre a diretoria colorada, pela saída de Falcão. Nesta terça, porém, o vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Siegmann, deu respaldo ao trabalho do treinador.          

veja também