MENU

Falcão chega a 50 dias de Inter com títulos, problemas e indefinições

Falcão chega a 50 dias de Inter com títulos, problemas e indefinições

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 4

Já são 50 dias deixando o carro no estacionamento do Beira-Rio e rumando para o vestiário, e ali conversando com os jogadores, e dali partindo para os treinamentos, e então formando times, e então comandando jogos. Paulo Roberto Falcão atinge a marca sem a paz que pretendia. Envolto em altas e baixas desde que foi escolhido como substituto de Celso Roth, o técnico do Inter conseguiu comemorar duas conquistas, mas ficou sem a Libertadores. E agora convive com problemas no Brasileirão.

O aproveitamento é de 50%. Falcão ganhou 15 dos 30 pontos que disputou em dez jogos. São quatro vitórias, três empates e três derrotas, uma delas muito dolorosa, em casa, para o Peñarol, o que custou ao Inter o sonho de conquistar a Libertadores pela terceira vez. Foi o contraponto às vitórias sobre o Grêmio nos pênaltis na decisão do returno do Gauchão e depois, mais importante, na finalíssima do Estadual.

Falcão está preocupado com o destino do Inter no Brasileirão (Foto: Lucas Uebel / Vipcomm)  

Agora, Falcão mergulha no Campeonato Brasileiro com claros problemas. O Inter fez apenas um ponto nas duas primeiras rodadas – o do empate por 1 a 1 com os reservas do Santos. Neste sábado, o time colorado perdeu em casa para o Ceará por 1 a 0. E a torcida perdeu a paciência. Vaiou muito o time, e nisso esteve incluso o treinador.

 Falcão formou diferentes esquemas desde que assumiu o Inter. Testou o 4-4-2 com o meio em linha e em losango; observou o 4-2-3-1; montou o 4-4-1-1; em treinos, ficou de olho no 4-3-3. Fez atletas variarem de posição constantemente. E, acima de tudo, não encontrou a compactação que tanto queria.

Depois de chegar ao Beira-Rio dizendo que pretendia se divertir na casamata, vendo um time que jogasse bonito, o treinador pede reforços. Neste domingo, para a Rádio Gaúcha, ele surpreendeu: disse que não vê o Inter, com o atual elenco, em condições de ser campeão brasileiro. E citou clubes como Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Corinthians e São Paulo como concorrentes mais bem equipados para a disputa do torneio.

- A gente tem que ter a noção exata do time que a gente tem. Já passei aquilo que penso. Acho que precisamos de mais jogadores, qualificar algumas funções, para chegar ao final da temporada almejando algo mais, uma Libertadores. Acho que não temos, hoje, um grupo em condições de ser campeão brasileiro – disse Falcão.

A opinião de Falcão contraria o discurso dos treinadores que passaram pelo Inter nos últimos anos, sempre indicando o elenco colorado como um dos melhores do Brasil – quer os resultados comprovassem isso, quer não.

Com o novo treinador, o Inter marcou 14 gols – 1,4 por partida. E sofreu 12 – média de 1,2. O time vermelho não venceu nenhum dos últimos quatro jogos disputados em casa – empate com o Grêmio e derrotas para Peñarol, Grêmio e Ceará.

Os dez jogos de Falcão no Inter

Inter 1 x 0 Santa Cruz – Beira-Rio – Gauchão

Inter 2 x 0 Emelec – Beira-Rio – Libertadores

Juventude 1 x 2 Inter – Alfredo Jaconi – Gauchão

Peñarol 1 x 1 Inter – Centenário – Libertadores

Inter 1 x 1 Grêmio (4 a 2 nos pênaltis – Beira-Rio – Gauchão

Inter 1 x 2 Peñarol – Beira-Rio – Libertadores

Inter 2 x 3 Grêmio – Beira-Rio – Gauchão

Grêmio 2 x 3 Inter (5 a 4 nos pênaltis) – Olímpico – Gauchão

Santos 1 x 1 Inter – Vila Belmiro – Brasileirão

Inter 0 x 1 Ceará – Beira-Rio - Brasileirão          

veja também