MENU

Felipão evita comentar situação de Kleber, mas mantém afastamento

Felipão evita comentar situação de Kleber, mas mantém afastamento

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 3:30

Felipão não vai mais se pronunciar sobre futuro de

Kleber (Foto: Paulo Liebert / Agência Estado / AE) O técnico Luiz Felipe Scolari não vai mais falar publicamente sobre a situação de Kleber, mas deixou bem claro nesta sexta-feira que mantém a postura de deixar o atacante afastado do elenco do Palmeiras. Após conversas com o presidente Arnaldo Tirone, Felipão baixou o tom nas críticas ao Gladiador para evitar maiores problemas. A diretoria alviverde está ao lado do comandante, mas não quer resolver o caso na Justiça, alternativa estudada pelo jogador e seu empresário.

- Minha posição é a mesma, a diretoria vai resolver o assunto na próxima semana, não sei. Minha posição é a mesma que passei para a direção, não vou discutir em público – avisou Felipão.

- Não adianta insistir, a direção tem o que discuti e acertei – completou.

Kleber não treinou com o elenco na manhã desta sexta e só deve aparecer no CT à tarde, quando os jogadores já estarão concentrados para o duelo deste sábado contra o Figueirense, às 18h (de Brasília), no Canindé. Na quinta-feira, o jogador foi ao Sindicato dos Atletas de São Paulo para buscar orientações sobre sua situação. Recebeu apoio da entidade, mas ainda não definiu se vai ou não buscar seus direitos na Justiça.

O fato é que o Gladiador está liberado para negociar com outros clubes, e Felipão admite que ele pode servir como boa moeda de troca em contratações para a próxima temporada. O Grêmio aparece como principal interessado no futebol do atacante, e pode envolver o meia Douglas em uma possível transferência. Sem comentar muito, o técnico apenas acompanha o desenrolar do caso.

- É mais um nome, vão surgir uns 200 agora – brincou.

A direção do Palmeiras não tem pressa para resolver a situação de Kleber, mas ele não deve mais jogar pela equipe. Os direitos econômicos são divididos igualmente entre Palmeiras e Cruzeiro, e o valor mínimo para uma negociação definitiva é de 6 milhões de euros (R$ 14 milhões).      

veja também