MENU

Felipão se incomoda com mira do Inter em Edinho e joga alto nos nomes

Felipão se incomoda com mira do Inter em Edinho e joga alto nos nomes

Atualizado: Quinta-feira, 16 Dezembro de 2010 as 3:36

O técnico Luiz Felipe Scolari se mostrou um pouco incomodado com o interesse do Internacional em Edinho, que atualmente defende o Palmeiras. O motivo da insatisfação do treinador alviverde se dá pela forma como o time gaúcho deseja ter de volta o jogador, que foi campeão mundial com o próprio em 2006. O comandante ironizou uma possível troca com o Inter, mas citando nomes que o clube gaúcho não quer liberar.

- Posso falar aquilo que tenho dito à direção. Quando nós procuramos um contato para saber sobre o Jóbson (do Botafogo), algo sobre tentativa de empréstimo ou troca, a primeira coisa que nos foi solicitado foi um valor financeiro, não dava para fazer troca. O Inter falou em troca com o nosso volante Edinho. Tudo bem, podemos até pensar, mas primeiro pensaríamos num valor financeiro. Agora, se querem realmente trocar, então a gente pode pensar em D'Alessandro, Kléber, Guiñazu, Giuliano... Nós também podemos pensar em fazer uma troca com esses jogadores. Quando nós queremos, nós temos de pagar. Quando os outros querem, os outros também vão ter que pagar. Se não for assim, cada um fica com o seu e faz o seu melhor. Os jogadores que o Inter não deseja e nos oferece, nós também não desejamos - ressaltou o técnico palmeirense, em entrevista ao site oficial do clube.

Felipão falou ainda sobre a busca do Palmeiras por reforços para 2011. O comandante está com os pés no chão, mesmo sabendo que Ronaldinho Gaúcho é um dos desejos do clube para a próxima temporada e a diretora tenta captar parceiros e recursos para ter o craque.

- A questão não é só de dificuldade, a questão é dos clubes nos primeiros contatos solicitarem valores, e não trocas. Neste momento, os valores para nós do Palmeiras são um pouco mais difíceis. Precisamos de mais alguns investimentos e equilibrar nossa situação financeira. Não adianta só ter nomes que interessam, mas também ter valores acessíveis para isso. Mas é uma dificuldade grande não apenas para nós, mas para todos os clubes brasileiros - acrescentou o treinador.    

veja também