MENU

Fifa investiga mais dez dirigentes caribenhos por suspeita de suborno

Fifa investiga mais dez dirigentes caribenhos por suspeita de suborno

Atualizado: Quarta-feira, 26 Outubro de 2011 as 2:53

A Fifa anunciou nesta quarta-feira que investigará dez dirigentes da União Caribenha de Futebol (UCF) por suposta quebra de conduta ética. Segundo o organismo, os investigados teriam cometido infrações ao Código de Ética durante a campanha eleitoral de Mohamed bin Hamman, ex-candidato à presidência da Fifa.

Alguns funcionários de diferentes federações já foram banidos da Fifa, inclusive Hamman. O envolvimento dos dez novos acusados começará a ser analisado já em meados do mês de novembro.

A Comissão de Ética solicitou entrevistar os oficiais Raymond Guishard e Damien Hughes (ambos de Anguilla), Everton Gonsalves e Derrick Gordon (ambos de Antígua e Barbuda), Lionel Haven (Bahamas), Patrick John e Philippe White (ambos de Dominica), Vincent Cassell e Tandica Hughes (ambos de Montserrat) e Oliver Camps (Trinidad e Tobago).

A investigação da Comissão de Ética é consequência da denúncia feita às vésperas das eleições passadas à Presidência da Fifa, pelo americano Chuck Blazer, secretário-geral da Concacaf, contra o ex-candidato Mohamed bin Hammam, único rival de Joseph Blatter no pleito.

Blazer acusava Bin Hammam e o vice-presidente da Fifa, Jack Warner, de pagarem os delegados presentes na reunião da União Caribenha de Futebol, em troca de votos na eleição presidencial.

Bin Hammam foi suspenso das eleições. Já Jack Warner, também suspenso provisoriamente por descumprir o Código de Ética, renunciou voluntariamente no dia 20 de junho, por isso a Fifa cancelou todos os procedimentos abertos pela Comissão de Ética e manteve sua presunção de inocência.

veja também