MENU

Figueirense vence Grêmio no Olímpico por 3 a 1

Figueirense vence Grêmio no Olímpico por 3 a 1

Atualizado: Quinta-feira, 13 Outubro de 2011 as 8:45

O Dia das Crianças foi de festa para o Figueirense e seus torcedores. Em Porto Alegre, os catarinenses brincaram de jogar futebol, e deixaram o Grêmio na roda com a vitória por 3 a 1 conquistada na tarde desta quarta-feira, reafirmando a invencibilidade de oito anos no Estádio Olímpico. Elias, Aloísio e Wellington Nem marcaram os gols do Figueira, que sobe para a oitava colocação do Campeonato Brasileiro, com 41 pontos. Edcarlos descontou para o Grêmio, que estaciona em 39 pontos, no 11º lugar.

Pela 30ª rodada, o Grêmio visita o Santos, às 16h do próximo domingo, na Vila Belmiro. Antes, às 18h de sábado, o Figueirense recebe o América-MG, no Estádio Orlando Scarpelli.

Brincadeira

Em sua própria casa, o Grêmio decidiu ser um anfitrião afável. E ofereceu ao Figueirense o presente: entrar na área de Victor estava mais fácil que roubar pirulito de um bebê.

Bem posicionado no 4-4-2 com meio-campo em losango, o time catarinense fechou espaços e não deixou o Grêmio entrar na brincadeira. Com a bola, só quem participava eram os visitantes.   Aloísio comemora o primeiro gol do Figueirense sobre o Grêmio (Foto: Wesley Santos/Agência Estado)       Inicialmente voltado à defesa, o Figueirense diagnosticou a facilidade para avançar frente à passividade gremista. Em ritmo de feriado, os tricolores apenas assistiram aos gols quase simultâneos de Aloísio, com uma bomba de direita, e Elias, em chute que Victor errou o posicionamento, facilitando a conclusão, após os trinta minutos.

Sem infiltrações, o Grêmio passou a arriscar de longe, com Douglas e Marquinhos - ambos acertaram o travessão.

Feriado

Elias foi o regente do Figueirense - errou o primeiro passe apenas aos 15 do segundo tempo. De seus pés organizaram-se as melhores transições do time, que segurou o Grêmio com naturalidade.

No intervalo Celso Roth ainda tentou reanimar a equipe. Saíram Rafael Marques e Escudero, entraram Gilberto Silva e Miralles. Os problemas técnicos, entretanto, persistiram - principalmente os erros nos passes e cruzamentos.

Sem conseguir entrar na área, o Grêmio investiu na bola alta. Douglas cruzou para Edcarlos, zagueiro que recebia críticas pela participação no primeiro gol do Figueira. E, de cabeça, ele fez 2 a 1, dando indícios de uma reação à moda tricolor. Seis minutos depois, entretanto, Wellington Nem brilhou. Primeiro, brincou de pega-ladrão com Gilberto Silva. Depois, de pique-esconde com Victor. Driblou ambos, e fez o terceiro gol do Figueira, destruindo um sistema defensivo que estava de feriado.

Ele, na sequência, desperdiçou mais três chances para golear, exagerando nas firulas. Gremistas, atônitos, procuraram os portões de saída do Olímpico. O Figueira, alguns pensavam, não sabe brincar.                

Vídeo: Youtube

veja também