MENU

Firuleiro ou decisivo? Desconstruindo os 'mitos' sobre Cristiano Ronaldo

Firuleiro ou decisivo? Desconstruindo os 'mitos' sobre Cristiano Ronaldo

Atualizado: Sexta-feira, 3 Junho de 2011 as 11:15

Os adjetivos para descrever Cristiano Ronaldo são muitos. E variam de pessoa em pessoa. Há os que acreditam que ele é "firuleiro". Outros, que é vaidoso demais. Uns dizem que o português é individualista. Quem não o conhece, logo pensa que é "marrento". Mas será que o maior artilheiro de uma edição do Campeonato Espanhol (41 gols) na história é tudo isso mesmo?

Os números e os depoimentos de pessoas que conviveram com o craque mostram o contrário. Apesar de toda a preocupação com a imagem, ex-companheiros do gajo garantem que ele, de fato, não é marrento. Vaidoso, talvez, mas humilde e amigo, é o que dizem jogadores como Fábio, Rafael e Kleberson, que compartilharam boas experiências com Cristiano no Manchester United.

Sobre ele ser firulento e individualista, as estatísticas da carreira de CR7, eleito melhor jogador do mundo em 2008, mostram o oposto. São dez títulos desde a temporada 2003, sua primeira em um clube de ponta, justamente o United. Os gols também vêm com facilidade: 240, em 506 jogos. Com destaque para os dois últimos anos, já no Real Madrid: 86 tentos em 89 partidas.

- O Cristiano Ronaldo dribla, mas sempre com objetividade. Prova disso é o número de gols que ele fez nessa temporada. Alguns adversários acabam perdendo a paciência às vezes, mas faz parte do jogo. É preciso entender que é uma virtude dele ter esse drible e a técnica apurada - disse o lateral-esquerdo Fabio, do Manchester United, que conviveu com Cristiano Ronaldo por duas temporadas no clube inglês.     Cristiano Ronaldo: braços abertos para decolar em mais uma temporada incrível no Real Madrid (Foto: AP)       "Dava para perceber que ele seria craque"

A carreira de Cristiano Ronaldo começou a decolar no Sporting Lisboa, de Portugal, e ele logo chamou a atenção da famosa equipe de olheiros do Manchester United, que está sempre de olho nos jovens destaques do futebol em todo o mundo. Em 2003, ele foi para a Inglaterra com apenas 18 anos. Demorou um pouco para se adaptar, é verdade, mas chegou ao auge justamente no clube britânico. O pentacampeão Kleberson, que foi apresentado junto com Ronaldo no United, se lembra com carinho do ex-companheiro e garante: já dava para ver que era craque.     - Dava para perceber que ele seria craque, porque ele  já chegou com a técnica que tinha e caiu num clube de grande importância no futebol. Deu sorte também, porque pegou treinador experiente, jogadores experientes quando chegou, e na realidade foi só lapidar. Já chegou como uma joia, uma promessa, e aos poucos foi aprendendo coisas diferentes e hoje se tornou esse atleta - contou o apoiador, hoje no Atlético-PR.

A expectativa se tornou realidade e ele conquistou tudo o que era possível no Manchester United. Títulos ingleses, Liga dos Campeões e Mundial (veja os números da carreira de CR7 mais abaixo). Com o ciclo encerrado, foi para o Real Madrid na temporada 2009/10. Passou uma temporada em branco, sem títulos, mas com muitos gols, e agora, em 2010/11, faturou a Copa do Rei e fez história ao se tornar o maior artilheiro de uma só edição do Campeonato Espanhol.

"Convivi com ele e não tinha nada de marra"

Cabelo moicano, esparadrapo no braço e nos meiões, chuteira sempre colorida e uma atenção quase que obsessiva pela sua imagem. Para boa parte das mulheres, não há dúvida: Cristiano Ronaldo é um sonho de consumo. E talvez seja por isso que tantos tentem rotulá-lo como vaidoso demais, brincando, por conta disso, com a opção sexual do gajo, que namora a modelo russa Irina Shayk e tem um filho fora desse relacionamento. Mas quem trabalhou com ele garante: a preocupação com o visual não significa nada.     - Convivi com ele e não tinha nada desse negócio de marra. É um cara vaidoso e às vezes se confunde, mas sempre se portou com tranquilidade, brincava, ia na minha casa, fazíamos churrasco. É uma pessoa vaidosa, gosta de aparecer na mídia, mas não passa disso. Ele é muito tranquilo e muito amigo - revelou Kleberson.

O lateral Rafael, praticamente adotado pelo português como um irmão mais novo no Manchester United, na temporada 2008/09, observa que o jogador não tem nem um pouco da tão falada marra. Nem dentro, nem fora de campo. Segundo ele, Cristiano só ficava um pouco irritado quando perdia alguma partida no tênis de mesa.

- Fora de campo é uma pessoa engraçada e brincalhona, mas no dia dos jogos ficava mais concentrado e quieto. Foram momentos muito bons. Ele era muito querido no grupo de jogadores e disputávamos animadas partidas de ping-pong. Quando ele perdia ficava um pouco nervoso, mas era tudo na brincadeira - explicou o jovem jogador revelado pelo Fluminense.

"Dribla, mas sempre com objetividade"

Dentro de campo, há quem diga que Ronaldo só dá dribles sem efeito e que não joga para o time. Mais uma teoria que, segundo seus ex-companheiros, não tem o menor fundamento. Fábio, irmão gêmeo de Rafael, explica que o número de gols do português na temporada já prova o quanto ele pode ser decisivo.     - O Cristiano Ronaldo dribla, mas sempre com objetividade. Prova disso é o número de gols que ele fez nessa temporada. Alguns adversários acabam perdendo a paciência às vezes, mas faz parte do jogo. É preciso entender que é uma virtude dele ter esse drible e a técnica apurada - frisou o lateral.

Rafael concorda e lembra que Cristiano sempre foi um grande amigo. Na ocasião em que os gêmeos foram contratados, o português foi uma espécie de mestre de cerimônias do clube para os meninos, sempre ajudando no que fosse preciso.

- Ele é um cara simples e muito gente boa. Ele foi o primeiro a nos receber quando chegamos ao Manchester e a facilidade do idioma nos aproximou bastante também. Eu e meu irmão íamos muito na casa dele e ele na nossa. Era um grande amigo que guardaremos sempre com boas lembranças - completou.

"Foi um dos jogadores mais difíceis que marquei"

Quem já enfrentou o português garante: ele é complicado de ser parado. Thiago Silva até teve sucesso, no primeiro confronto com o gajo, no amistoso entre Brasil e Portugal, em 2008, que terminou com goleada brasileira por 6 a 2. No entanto, o zagueiro admite: Cristiano é um dos melhores jogadores do mundo.     - O Cristiano Ronaldo é um grande jogador, já provou isso algumas vezes, e foi um dos mais difíceis que já marquei na minha carreira - confessou o "Monstro", que pode ter que marcar Cristiano Ronaldo novamente na próxima temporada, caso as especulações de uma transferência para o Barcelona se concretizem.

O zagueiro acredita que Ronaldo é sim um pouco "abusado" em campo, mas diz que fora dele, as coisas são bem diferentes.

- De fato, dentro de campo ele é meio marrento mesmo, mas fora, não tem isso. Ele é gente boa - finalizou o ex-defensor do Fluminense.

Cristiano Ronaldo em números

Pelo Sporting, primeiro clube de Cristiano Ronaldo, números modestos: 31 jogos e apenas cinco gols marcados. Mas depois da transferência para o Manchester, tudo mudou. Na Inglaterra, fez 118 gols em 292 jogos, e conquistou nove títulos (três Ingleses, uma Copa da Inglaterra, duas Copas da Liga, uma Supercopa, uma Liga dos Campeões e um Mundial Interclubes), além de diversos prêmios individuais (Jogador do Ano na Inglaterra duas vezes, Jogador do Ano no Manchester United quatro vezes, Chuteira de Ouro, Artilheiro da Liga dos Campeões, Melhor Jogador da Europa e Melhor do Mundo, todos na temporada 2007-08).

Pelo Real Madrid, média mais impressionante: 86 gols em 89 jogos nas duas temporadas em que vestiu a camisa merengue. Ganhou mais uma chuteira de ouro, foi artilheiro do Espanhol, quebrando o recorde de gols de uma só edição da competição, e também o maior goleador da Copa do Rei, em que ele fez o tento decisivo da final contra o Barcelona, dando o título ao Real. Ele, inclusive, já entrou na lista dos 20 maiores goleadores da história do clube.

Na seleção portuguesa, ainda não conquistou títulos, mas vem participando assiduamente desde as categorias de base. Fez cinco jogos e um gol pelo time sub-20, dois gols em seis jogos pelo sub-21, três jogos e dois gols no time olímpico e 26 gols em 80 jogos na equipe principal. Já disputou duas edições da Euro (2004 e 2008) e duas Copas do Mundo (2006 e 2010).          

veja também