MENU

Fla goleia o Galo, e Ronaldinho Gaúcho faz as pazes com a torcida

Fla goleia o Galo, e Ronaldinho Gaúcho faz as pazes com a torcida

Atualizado: Domingo, 26 Junho de 2011 as 8:09

                                      Ronaldinho Gaúcho é o termômetro do Flamengo. A partir do momento que o camisa 10 esquenta, o time embala e caminha junto. Foi o que aconteceu na noite deste sábado, no Engenhão. Com um golaço do craque (veja ao lado), a equipe rubro-negra venceu o Atlético-MG de virada por 4 a 1 e conseguiu encerrar a incômoda sequência de empates. Além de Ronaldinho, Deivid (duas vezes) e Thiago Neves marcaram. Justamente na semana em que recebeu mais críticas desde que chegou ao clube, em função da frequência na noite carioca, o camisa 10 mostrou que ainda pode fazer a diferença. E o Atlético-MG pagou o pato. Depois de sair na frente do placar e recuar, viu o rival conseguir a reação com direito a "olé" da torcida.

Com o resultado, o Flamengo chega a dez pontos, subindo para a quinta colocação. O Galo fica com oito pontos, em sétimo. Na próxima rodada, o Fla enfrenta outro mineiro, o América, na quarta-feira, na Arena do Jacaré, enquanto o Atlético-MG recebe o Inter no mesmo local, mas na quinta-feira.

Com muita disposição, os dois times jogavam em velocidade, mas até certo ponto afobados, o que determinava grande número de passes errados. No Flamengo, Ronaldinho, que teve seu nome gritado antes da partida, dava sequência às jogadas, mas encontrava os parceiros de frente - Thiago Neves e Wanderley - numa noite ruim. Léo Moura jogava com a disposição de sempre, mas Junior Cesar não conseguia acertar os cruzamentos.

Com um meio-campo e um ataque rápido, o Galo subia bem algumas vezes, principalmente quando a bola chegava em Guilherme. Daniel Carvalho exagerava nos lançamentos e acertava muito pouco, facilitando a vida da zaga do Flamengo. O árbitro Wilson Luiz Seneme deixava o jogo correr, ignorando várias faltas, o que começou a irritar o time rubro-negro. O juiz teve que começar a trabalhar firme após entradas duras de Guilherme e Dudu Cearense. Os dois jogadores do Atlético-MG foram punidos com o cartão amarelo, assim como Thiago Neves, que reclamou muito após uma falta não marcada.     Ronaldinho reverencia a torcida após marcar seu gol no Engenhão (Foto: Alexandre Loureiro / Vipcomm)

    Vaias na saída para o intervalo

Em menos de três minutos, o Flamengo criou duas boas chances e quase marcou, em chutes de Renato Abreu e Léo Moura que passaram muito perto. Mas o Galo também estava atento e aproveitava a desorganização dos três zagueiros do rival. Tanto que Felipe foi obrigado a fazer boa defesa em conclusão de Guilherme. A prova do equilíbrio da primeira etapa foi traduzida no número de passes errados - 23 a 23 - e a posse de bola, com o Flamengo com 51%, contra 49% do rival. E os comandados de Vanderlei Luxemburgo ouviram vaias na saída para o intervalo.

Irritado com a atuação do time nos primeiros 45 minutos, o técnico Dorival Júnior voltou para o segundo tempo com Renan Oliveira e Neto Berola nas vagas de Daniel Carvalho e Magno Alves. O Galo ganhou mais velocidade e conseguiu sair na frente aos sete minutos. Serginho mandou o chuveirinho para a área, e Dudu Cearense, livre, desviou de cabeça para fazer 1 a 0.

Ronaldinho, enfim, acorda e recebe aplausos

Sem ver saída para o Flamengo reagir, Luxemburgo fez duas alterações aos 14, colocando o time mais para frente. O zagueiro David Braz deu lugar ao atacante Negueba, enquanto o inoperante Wanderley saiu para a entrada de Deivid.

E, finalmente, Ronaldinho apareceu como Ronaldinho. Foi aos 21 minutos, quando a bola foi cruzada da direita e encontrou o camisa 10 do lado esquerdo da área. Ele dominou na coxa e bateu com muito estilo, mandando no ângulo esquerdo para fazer um golaço. 1 a 1. Na comemoração, Ronaldinho fez um gesto reverenciando a torcida, como fazem os japoneses em sinal de respeito, apesar das vaias que recebeu no empate com o Botafogo.

O gol serviu como uma injeção de ânimo para o Flamengo, que passou a criar diversas chances em sequência. Thiago Neves e o próprio Ronaldinho quase viraram o placar em chutes perigosos. O Galo, inexplicavelmente, parou de jogar, asstindo ao ataque rival trocar passes.

A empolgação rubro-negra se transformou na virada aos 31, quando Negueba foi acionado na área pela direita e bateu cruzado, encontrando Thiago Neves livre para tocar para a rede e fazer 2 a 1. Festa no Engenhão.

Solto em campo, Ronaldinho distribuía passes com categoria e ouviu mais uma vez seu nome gritado pela torcida. A galera rubro-negra voltou a vibrar aos 40, quando Muralha achou Deivid em boa condição, e o atacante bateu no alto, na saída de Renan Ribeiro, para fazer 3 a 1.

Mas não parou por aí. Aos 45, o baile ficou completo. Leo Moura recebeu de Negueba e teve toda a calma do mundo para achar Deivid. O centroavante só empurrou a bola para o gol e fechou o caixão do Galo. Final: 4 a 1. Nos embalos de sábado à noite, Ronaldinho se destacou.          

veja também