MENU

Florianópolis derruba o Pinheiros em virada fantástica

Florianópolis derruba o Pinheiros em virada fantástica

Atualizado: Quarta-feira, 3 Março de 2010 as 12

O caldeirão até demorou para ferver, mas quando esquentou, o que se viu na noite desta terça-feira foi uma virada espetacular do time da casa e, acima de tudo, um grande jogo de vôlei. No ginásio Capoeirão lotado, o Florianópolis perdeu os dois primeiros sets e emplacou uma reação que parecia impensável para derrotar o Pinheiros por 3 sets a 2. Após as parciais de 20/25, 18/25, 25/22 e 25/16, o público foi brindado com um tie-break de tirar o fôlego, vencido pela equipe catarinense por incríveis 27/25. Ao fim da batalha, estava quebrada a sequência de seis vitórias dos paulistas, enquanto os catarinenses se mantiveram no topo da Superliga masculina.

Foi a 21ª vitória do Florianópolis, que pulou para 45 pontos e evitou a chegada do Cruzeiro ao topo da tabela. Os mineiros bateram o Vôlei Futuro por 3 a 0 nesta terça (25/17, 25/18, 25/13) e agora somam 44 pontos. O Pinheiros, que pouco usou Marcelinho, com uma virose, tem 41, em quarto lugar, logo atrás do Sesi, com 42.

- Nesta Superliga, todo jogo é de decisão. A equipe se superou nos momentos mais complicados. Eu vacilei muito no início, eles me marcaram muito bem. Aos poucos a gente foi entrando no jogo. Não é só esta partida que tem cara de final. É bom para o voleibol brasileiro – afirmou o levantador Bruninho ao SporTV, para logo depois ser interrompido por Giba, que chegou para dar um abraço no amigo.

Capitão da seleção, Giba abriu o sorriso apesar da derrota e elogiou a partida.

- Em momento algum a gente se desrespeitou na quadra. O equilíbrio é o grande ponto desta Superliga, os jogos não fogem disso. No quinto set, foi coração – afirmou o atacante. 

Diante da torcida em Santa Catarina, o Florianópolis repetiu a vitória do primeiro turno. A diferença é que, naquela ocasião, o placar foi bem mais fácil – 3 a 0. Desta vez, os paulistas mostraram desde o início que estavam dispostos a frustrar os torcedores locais. A equipe do técnico Cebola controlou o placar até a primeira parada técnica, mas o Florianópolis chegou a virar para 12 a 11. O Pinheiros retomou a liderança em 14/13 com um saque de Leo. A vantagem aumentou, e foi com outro saque perfeito de Leo que os visitantes fecharam o primeiro set em 25/20.

O time da casa deu a entender que responderia na parcial seguinte, mas o que se viu foi um passeio paulista. O Pinheiros assumiu a frente com 5/4 e não olhou mais para trás. O placar chegou a ficar em 12/6 e, depois disso, o time de Giba só administrou a diferença. A torcida sentiu o golpe e passou o set quieta, sem incomodar o adversário. Mais uma vez com Leo sacando, os paulistas fecharam a parcial em 25/18, num ataque de Rodrigão após uma recepção ruim do rival.

Veio o terceiro set, e o Capoeirão acordou. Com um vôlei muito mais consistente do que nas parciais anteriores, o Florianópolis levantou os fãs nas arquibancadas e abriu 12/8. O Pinheiros, no entanto, respondeu à altura e empatou em 15/15. O equilíbrio se estendeu até a parte final do set, quando os donos do ginásio abriram 23/20, mantiveram a cabeça no lugar e fecharam em 25/22, garantindo a sobrevivência no confronto.

O time da casa pegou moral para o quarto set e, sob o comando do atacante Thiago Alves, logo abriu seis pontos, para delírio da torcida. Foi a vez de o Pinheiros perder a concentração, e a diferença chegou a 19/12, obrigando o técnico Cebola a parar o jogo. Um saque potente de Thiago deixou o placar em 22/14. Bastou administrar até 25/16 para forçar o tie-break.

Com Bob de um lado e Giba do outro, o set decisivo foi marcado pelo equilíbrio. Thiago Alves, mesmo esgotado fisicamente, aproveitou um erro do cubano Rocca na recepção e fez 14/13 para Florianópolis. Rocca voltou a errar na recepção, mas consertou com um belo ataque na diagonal para empatar o jogo de novo. Os catarinenses voltaram a virar com Éder, mas Thiago sacou na rede. Com um bloqueio de Giba, quem passou a ter a bola do jogo foi o Pinheiros, e aí foi a vez de Bob igualar tudo de novo.

Os match points se revezaram até Gustavo, do Pinheiros tocar na rede no ataque: após 2h34m de batalha, a virada incrível do Florianópolis se concretizou: incríveis 27/25 no tie-break, 3 a 2 para os donos da casa em um dos melhores jogos da Superliga 2010.

veja também