MENU

Florianópolis vence Pinheiros e é finalista da Superliga

Florianópolis vence Pinheiros e é finalista da Superliga

Atualizado: Sexta-feira, 23 Abril de 2010 as 12

Era a casa do Pinheiros, e do outro lado da rede quatro medalhistas olímpicos vestiam a camisa do time paulista. O cenário desfavorável para o Florianópolis não impediu que o atual campeão da Superliga Masculina de Vôlei eliminasse o “galáctico” Pinheiros com uma vitória por 3 sets a 1, parciais de 25/23, 23/25, 25/16 e 25/20, fechando a série da semifinal em 2 a 0 em São Paulo, e garantisse presença na decisão da competição, contra o Montes Claros, pela quinta vez consecutiva.

– Olha a história desses caras do outro lado. Não dava para respirar em nenhum minuto, mas soubemos respeitar e lutar até o último ponto. Os guris jogaram com alma e coração. Somos uma grande família – afirmou o técnico do Florianópolis, Marcos Pacheco.

Contra o Montes Claros, que passou pelo Cruzeiro a fechar a séria também por 2 a 0, o Florianópolis pode igualar o recorde de títulos da Superliga, que pertence ao Minas. A equipe que esteve na final desde o primeiro ano em que foi criada, em 2005, terá a oportunidade de se sagrar tetracampeã no próximo sábado, dia 1° de maio, sábado, no ginásio do Ibirapuera (SP).

– Estou acabado, muito cansado mesmo. Fazer uma estratégia constante, jogando com esses caras, que têm uma leitura de jogo muito boa, é complicado. Mas estou muito feliz também por termos conseguido a proeza de chegar a cinco finais consecutivas – disse o levantador Bruninho.

Bruninho brilha na distribuição no primeiro set

Com o passe alto, Bruninho forçou a jogada de segurança com Bob no início do jogo. O oposto virou quatro bolas e ditou o ritmo já no set inicial, chamando a responsabilidade em quadra. Do outro lado, Giba foi a opção de Marcelinho e também respondeu à altura. No entanto, o levantador tinha apenas esta jogada e a de Gustavo no meio como eficientes. Com a recepção também ruim, o Pinheiros forneceu muitos contra-ataques para o Florianópolis, que abriu cinco pontos no placar.

A boa atuação de Bruninho também rendeu maior vantagem aos visitantes. O levantador foi o destaque do Florianópolis, distribuindo para Thiago Alves na entrada de rede e Éder no meio. O Pinheiros tentou reagir com um ace de Giba, que levantou a torcida em São Paulo, e o bloqueio de Léo, diminuindo a diferença no marcador para um ponto. Porém, após a paralisação do jogo a pedido do técnico Marcos Pacheco, o time catarinense voltou a pontuar e fechou no ataque de Bob em 25 a 23.

Pinheiros cresce com falhas do Florianópolis

Na volta à quadra, os erros de saque deram o tom do duelo. No início da parcial, o Florianópolis pontuou somente quando o Pinheiros forneceu os pontos de graça. Com Gustavo bem no meio, os donos da casa aproveitaram as falhas do adversário e abriram vantagem no placar. Porém, a equipe, que conta com campeões olímpicos, não usou a experiência na partida e demonstrou ansiedade no momento de definir o set. Assim, os visitantes encostaram no marcador, com Thiago Alves e Renato pontuando na entrada de rede.

Depois de equilibrar o jogo, no entanto, o Florianópolis também errou bastante. Bruninho forçou bolas com Bob, que estava apagado e não repetiu o desempenho do primeiro set, e só acertou as jogadas com Éder no meio. Mas do outro lado havia o melhor jogador do mundo. Giba virou duas bolas quase perdidas na recepção, fechando em 25 a 23.

Pinheiros sofre apagão no terceiro set

Apesar de a torcida incentivar Giba e companhia, a equipe paulista parou em quadra no terceiro set. Depois de assumir o comando e empatar a partida, o Pinheiros foi atropelado pelo Florianópolis, que encaixou o saque e prejudicou muito a recepção rival. Com direito à medalha de Lucão em Rodrigão e ace de Bob, o atual campeão fechou a parcial em 25 a 16. 

– É difícil dizer o que faltou. No terceiro set, só fomos cada vez mais para baixo, sem pensar. Bruninho jogou muito bem taticamente e rodou na hora certa. Pecamos no contra-ataque – afirmou Giba. 

O Pinheiros reagiu no início da quarta parcial, mas parou nas mãos do líbero Mário Jr, que foi o fio condutor do Florianópolis no set. E Bruninho, no bloqueio, também estava bem. Do outro lado, uma equipe cabisbaixa ouviu do seu técnico, Cebola, que era preciso ter “espírito de guerreiro”, e Giba tentou colocar isso em prática, acertando duas bolas de fundo.

Porém, já não dava mais tempo. Thiago Alves brilhou no bloqueio simples e foi para o saque para pesar o braço e facilitar o bloqueio de Éder em Roca. Assim, pela quinta vez, o Florianópolis chegou à final da Superliga.

– Será uma final, no mínimo, eletrizante. A torcida pode esperar um grande espetáculo – avisou Bob.

veja também