MENU

Flu empata em estreia marcada por duelo entre He-Man e Niell

Flu empata em estreia marcada por duelo entre He-Man e Niell

Atualizado: Quinta-feira, 10 Fevereiro de 2011 as 8:24

A estreia do Fluminense na Libertadores 2011 pode ser resumida em um duelo cabeça a cabeça: Rafael Moura x Niell. O grandalhão tricolor, de 1,89m, fez os gols tricolores, enquanto o baixinho de 1,60m do Argentinos Juniors marcou os dois de seu time no empate por 2 a 2, válido pelo Grupo 3 da competição, nesta quarta-feira, no Engenhão.

Além dos dois artilheiros da noite, alguns destaques negativos no time das Laranjeiras, como a zaga formada por Gum e André Luis, além do goleiro Diego Cavalieri, que voltou a falhar e foi vaiado. O craque Conca se esforçou muito, fez algumas boas jogadas, mas não estava tão inspirado. Outro aspecto decepcionante foi o público presente, cerca de 16 mil torcedores (14.031 pagantes), mesmo com o time sendo o atual campeão brasileiro, entre os favoritos ao título deste ano e com a melhora na organização das vendas dos ingressos.

Com o resultado, Fluminense e Argentinos Juniors ficam com um ponto. Os outros integrantes do grupo, América do México e Nacional, do Uruguai, estreiam na próxima quarta, dia 16, na Cidade do México. Quem vencer assume a liderança.

Argentinos mais eficientes

O jogo começou quente, com dois lances de perigo em menos de dois minutos, um para cada lado. No primeiro, Oberman recebeu lançamento dentro da área e só foi desarmado por Edinho quando se preparava para chutar. Em seguida, Willians arriscou de longe, dando trabalho para Navarro.

Com o passar do tempo, a tática dos visitantes ficou clara: deixar o tempo passar. O goleiro Navarro chegou a ser punido com cartão amarelo por retardar a reposição de bola algumas vezes. Ansioso, o Tricolor errava muitos passes. Perto dos 20 minutos, os torcedores já demonstravam impaciência, principalmente com Willians, que parecia nervoso. As principais jogadas de ataque surgiam com tabelas entre Souza e Conca e algumas vezes pelas laterais. Aos 21, Mariano arrancou e tocou para Rafael Moura na entrada da área. O atacante chutou bem, mas Navarro defendeu. Pouco depois, Souza tentou de longe, e a bola passou raspando o travessão.

Aos trancos e barrancos, o Flu ia à luta. Os argentinos, de seu jeito, conseguiam deixar o jogo mais parelho. O volante Basualdo se destacava pela marcação e pela qualidade no passe e alguns belos dribles até se arriscando no ataque.Enquanto isso, Rafael Moura interrompia vários ataques tricolores por estar em posição de impedimento.

Até que aos 36, polêmica do Engenhão: contra-ataque do Argentinos Juniors, Salcedo cruzou para Niell, que dividiu com Gum. A bola passou por Diego Cavalieri, mas André Luis se esticou e chutou para longe. Para a arbitragem paraguaia, comandada por Carlos Torres, a bola não ultrapassou toda a linha do gol.

Mas, aos 43, não teve jeito: silêncio da maioria e festa dos poucos argentinos presentes ao estádio. Após escanteio da direita, Niell subiu, cabeceou forte, a bola ainda desviou em Diguinho e enganou Cavalieri. 1 a 0 para os visitantes. Das arquibancadas soaram alguns gritos de incentivo, como ‘vamos virar, nense’, mas o primeiro tempo terminou com o Flu em desvantagem.

He-Man x Neill: o grandão contra o baixinho

O Flu voltou do vestiário com Rodriguinho na vaga do vaiado Willians. E logo no primeiro ataque, uma ótima chance para empatar. Souza cobrou falta da esquerda, a bola desviou na zaga e quase enganou Navarro, que ainda teve reflexo para espalmar a bola para fora da área, aos dois minutos.

E, na pressão, o time das Laranjeiras chegou ao empate. Aos 12, Carlinhos cruzou da esquerda, Rafael Moura tocou de cabeça, Navarro colaborou, a bola passou por baixo dele e beijou as redes. 1 a 1 e empolgação dos tricolores no campo e nas arquibancadas.

Aos 25, o baixinho apareceu de novo. Salcedo fez bela jogada pela direita, cruzou, Cavalieri saiu mal, Gum também falhou, e Niell, mais uma vez de cabeça, fez o segundo dos argentinos. No mesmo momento, parte da torcida tricolor passou a gritar 'Berna, Berna', pedindo a entrada do goleiro reserva. Mas Muricy preferiu arriscar e tirou André Luis para colocar o meia Marquinho. E deu certo.

O He-Man também estava com a força, e voltou a deixar tudo igual aos 28. Conca cruzou da direita, Marquinho cabeceou, a bola passou em frente ao gol e sobrou para Mariano tocar para o meio da pequena área. Rafael Moura testou e desviou de Navarro para colocar 2 a 2 no placar. Foi o quarto gol dele em dois jogos pelo Flu este ano - fez os dois da derrota por 3 a 2 para o Botafogo, domingo.

Aos 38, o grito de 'uhh' no Engenhão. Souza cruzou da direita, Conca desviou de cabeça, e a bola passou perto da trave direita de Navarro. O Flu ainda tentou a virada no abafa, mas tropeçou no cansaço e na boa defesa argentina. Fim de jogo, e decepção tricolor. Melhor para o baixinho Niell, que ajudou seu time a conquistar um ponto fora de casa.

Próximos jogos

Na segunda rodada da Libertadores, o Flu enfrenta o Nacional-URU, de novo no Engenhão, no dia 23, às 21h50m (de Brasília). Os argentinos encaram o América do México no dia seguinte, às 21h30m (de Brasília), em Buenos Aires.

No domingo, pela última rodada do Grupo B da Taça Guanabara, o Tricolor (15 pontos) encara o Madureira, às 17h (de Brasília), em Volta Redonda, e precisa vencer e torcer contra o Botafogo (16 pontos), que pega o Macaé, para terminar em primeiro.

veja também