MENU

Flu sofre no início, mas goleia o Americano

Flu sofre no início, mas goleia o Americano

Atualizado: Domingo, 10 Abril de 2011 as 6:30

por Cahê Mota

“Enquanto você estiver vivo, vivas estão suas esperanças”. A faixa exposta por um torcedor na arquibancada do estádio Cláudio Moacyr, em Macaé, tinha como objetivo incentivar os jogadores do Fluminense na dura caminhada rumo às próximas fases da Taça Rio e da Libertadores. No Carioca, a missão não ficou tão árdua assim após este domingo. Com uma goleada por 5 a 1 sobre o Americano, pela sétima rodada, o Tricolor mudou o panorama e agora depende apenas de suas forças para chegar à semifinal. Araújo, duas vezes, Conca (um gol e participação nos outros quatro), Mariano e Marquinho marcaram na vitória que coloca a equipe treinada por Enderson Moreira na ponta do Grupo B – Gustavinho abriu o placar para o Americano. Com os mesmos 14 pontos do Olaria, o Flu leva a melhor no saldo de gols (6 a 5), e se classifica, independentemente de outros resultados, se derrotar o Nova Iguaçu, domingo, às 16h (de Brasília), no Engenhão. O Botafogo, porém, pode assumir a liderança caso vença o Flamengo em clássico ainda neste domingo. O Americano, por sua vez, desperdiçou oportunidade de entrar na zona de classificação para a semifinal. Com 11 pontos, a equipe de Campos permanece na terceira colocação do Grupo A, mas estará eliminado se o Flamengo levar a melhor diante do Glorioso, no Engenhão. O Vasco se garantiu na chave. Na última rodada, os campistas encaram o Bangu, também domingo, às 16h, em Moça Bonita. Dois lances de Conca colocam o Flu em vantagem Ainda baqueado pela crise agravada com a derrota para o Nacional, no Uruguai, na última quarta-feira, e pressionado para não se ver em maus lençóis no Carioca, o Fluminense entrou em campo nervoso, perdido, e foi presa fácil para o Americano nos minutos iniciais. Com Araújo e Deco nas vagas de Emerson e Souza, a equipe tricolor cometia erros infantis no meio-campo e deixava clara a desatenção ao não marcar a principal e repetitiva jogada do time de Campos: as subidas do lateral Carlos Alberto pela esquerda. Foi por ali que o Americano testou a atenção de Berna com três cruzamentos sem muito perigo. E também pelo setor que a equipe de Campos encontrou seu gol. De tanto insistir, Carlos Alberto, que passou com enorme facilidade por Mariano, foi a linha de fundo e cruzou na pequena área. O goleiro tricolor titubeou, mas Gustavinho não. De cabeça, o apoiador testou firme para o fundo do gol, aos 20. Abatido, o Fluminense se mostrava travado em campo. Tanto que foi o zagueiro Edinho, na base da força, quem criou as melhores oportunidades até os 30 minutos, com arrancadas e chutes perigosos. Diante do panorama, somente a qualidade individual poderia mudar as coisas para o Tricolor. Foi o que aconteceu. Bastante cobrado por suas atuações em 2011, Conca acordou, e em um espaço de um minuto foi o principal responsável pela virada no placar. Aos 34, em cobrança de falta, o argentino acertou o ângulo esquerdo de Jefferson para empatar. Na comemoração, abraços e um somente o sorriso. Já no minuto seguinte, o argentino descolou um lindo passe para Julio Cesar na esquerda, que foi ao fundo e rolou com açúcar para o meio da área, onde Araújo bateu para fazer 2 a 1. Era o suficiente para o Flu descer para o intervalo mais tranquilo e em vantagem. Antes do fim do primeiro tempo, porém, uma polêmica em dividida entre Mariano e Carlos Alberto na área. O time campista pediu pênalti, mas o árbitro Leonardo Garcia Cavaleiro nada marcou. Dez minutos para virar goleada A virada relâmpago fez com que o Fluminense voltasse mais ligado no segundo tempo. E bastaram apenas dez minutos para que o vantagem sofrida se transformasse em goleada. Logo aos cinco, Conca lançou a bola no peito de Fred. O camisa 9 prendeu e acionou Marquinho. O meia dominou e rolou para trás. Mariano apareceu em velocidade e encheu o pé para fazer 3 a 1. Sem perder o embalo, o Tricolor se manteve no ataque em busca do quarto gol, que, de quebra, lhe daria também a liderança do grupo, superando Olaria no saldo de gols. E ele apareceu aos dez. Melhor em campo, Araújo recebeu belo passe de Conca, deu um lindo drible de corpo no defensor do Americano, e tocou no cantinho esquerdo de Jefferson. Com o placar que precisava, o Flu tirou o pé do acelerador e viu o Americano pressionar. Apostando sempre na velocidade e nas jogadas pelas laterais, os campistas até obrigaram Berna a fazer boas defesas, carimbaram o travessão em cabeçada de Felipe, mas não conseguiram reduzir a desvantagem. Do lado tricolor, os aplausos para Araújo e Fred, substituídos, acabaram se tornando o ponto alto. Aos 42, o Flu fechou o placar. Conca lançou Tartá. O goleiro Jefferson saiu mal do gol e chutou para o alto. Marquinho, que entrou muito bem no time, acreditou no lance e cabeceou para o gol, enquanto o arqueiro tentava voltar desesperadamente para a meta. Foi a senha para que os gritos de "o campeão voltou" ecoassem pelo Moacyrzão. Uma demonstração que a confiança voltou para o Flu e sua torcida. Na Taça Rio, a vaga para a semifinal já está bem encaminhada. Falta a Libertadores.

veja também