MENU

Flu vai decidir a vida no primeiro semestre longe do Rio de Janeiro

Flu vai decidir a vida no primeiro semestre longe do Rio de Janeiro

Atualizado: Quarta-feira, 30 Março de 2011 as 5:02

Mais do que nunca o Fluminense precisará ser um time de guerreiros. Em situação complicada na Taça Rio e na Libertadores, o Tricolor definirá sua vida longe do Rio de Janeiro em ambas as competições. Em um roteiro que incluí visitas a Volta Redonda, Campos, Montevidéu e Buenos Aires, o clube das Laranjeiras jogará em um mês o seu sucesso, ou fracasso, no primeiro semestre de 2011.

Uma inspiração pode ser a campanha do tricampeonato brasileiro em 2010. De seus 19 jogos fora de casa, o Tricolor venceu oito, empatou seis e perdeu apenas cinco, conseguindo um aproveitamento de 52,6%. Na atual temporada os números são ainda melhores: quatro vitórias, um empatem uma derrota e aproveitamento de 72,2%.

- Temos que jogar para ganhar. Só nos restar vencer. Todo mundo está ciente disso. Não podemos nem pensar em empatar. Só as vitórias vão nos fazer chegar ao topo da tabela – disse o zagueiro André Luis, de volta ao clube menos de um mês após ser liberado para negociar sua transferência, sem dar bola para o mando de campo.

A corrida pela classificação começa neste sábado, contra o Volta Redonda, às 16h, no Estádio Raulino de Oliveira. Com oito pontos em cinco jogos, o Fluminense ocupa a terceira posição no grupo B da Taça Rio, a dois pontos do Botafogo e a quatro do líder Olaria. Dependendo da combinação de resultados, uma derrota na Cidade do Aço pode praticamente decretar a eliminação tricolor do estadual. O compromisso seguinte será em Macaé, contra o Americano, que faz boa campanha no Grupo A, com dez pontos em cinco jogos. Jogo no Engenhão novamente só no dia 17 de abril, contra o Nova Iguaçu.     Paralelamente, o Fluminense buscará, também fora de casa, a sua vaga nas oitavas de final da Libertadores. No próximo dia 6, o adversário será o Nacional-URU, em Montevidéu. Duas semanas depois será a vez de enfrentar o Argentinos Juniors, em Buenos Aires.

Comandante da equipe interinamente, Enderson Moreira admite que a “tabela ingrata” complica a vida do Fluminense. Entretanto, procura ver pontos positivos e aposta na experiência da equipe para superar as adversidades.

- Sem dúvidas, a dificuldade aumenta. Mas o grupo é maduro, acostumado a ganhar fora de casa, a decidir fora. São jogadores capazes de absorver esta dificuldade e transformar em algo positivo. O adversário nestas situações sai mais para o jogo e podemos aproveitar os espaços.

Enderson Moreira já comandou o Tricolor em duas oportunidades, ambas no Engenhão: 3 a 2 contra o América (MEX), pela Libertadores, e 0 a 0 com o Vasco, pela Taça Rio.      

veja também