MENU

Flu vence e assume a ponta do Grupo A

Flu vence e assume a ponta do Grupo A

Atualizado: Sexta-feira, 5 Março de 2010 as 12

O Fluminense nem precisou mostrar as garras para despachar o Tigres por 3 a 0 nesta quinta-feira, dia 4, no Engenhão, pela segunda rodada da Taça Rio. O mais arisco em campo foi o menino Wellington Silva, que com mais uma boa atuação, protagonizou os lances mais empolgantes da vitória, como o do gol de Everton. Fred, de cabeça, e Conca, de falta, completaram o placar.

O estádio praticamente vazio, mesmo com rodada dupla (o Botafogo venceu o Duque de Caxias no jogo das 21h50m), ajudou a dar contornos de treino ao confronto, que recolocou o Tricolor na liderança do Grupo A. O Flu tem os mesmos seis pontos de Flamengo, Boavista e Olaria, mas leva vantagem no saldo de gols: sete contra cinco, dois e dois, respectivamente. Por outro lado, o Tigres agoniza. Sem pontos no segundo turno, é o vice-lanterna na classificação geral, à frente apenas do Americano.

No próximo domingo, o Fluminense tem o Botafogo pela frente, domingo, às 19h30m (de Brasília), no Maracanã, no primeiro clássico da Taça Rio. Já o Tigres encara o Duque de Caxias, no mesmo dia, às 17h, no Marrentão.

Wellington Silva aponta os caminhos para vitória

Diante de um "tigre" com as garras nada afiadas, o Fluminense começou inofensivo mas, como um legítimo felino, esperou a hora certa para dar o bote e garantir a vitória já na primeira etapa. Sem sofrer sequer um arranhão, o Tricolor abriu 2 a 0 com facilidade nos 45 minutos iniciais.

Com amplo domínio territorial, o Flu não conseguia encontrar a trilha para o gol. O atalho, no entanto, atendia pelo nome de Wellington Silva. Escalado no ataque ao lado de Fred, o jovem de 17 anos recuou para armar o jogo e melhorou consideravelmente o futebol da equipe. Aos sete minutos, ele fez boa jogada individual, deixou Oziel para trás, mas chutou mal.

Dois minutos depois, o garoto se viu marcado por três adversários e ainda assim descolou um lindo passe para Fred. O atacante tentou servir Conca e foi desarmado. A animação de Wellington Silva, no entanto, não contagiava o time, até então displicente. O panorama se alterou somente aos 18, quando o Tigres finalmente rugiu.

Luiz Henrique chutou cruzado, e Leandro Euzébio fez o corte na frente de Rafael. Na sequência, Oziel bateu forte, mas Jefinho não conseguiu escorar no segundo pau. No lance seguinte, os defensores do time de Xerém cochilaram e deram a bola nos pés de Fred, que concluiu nas mãos de Rodolfo.

Assista aos gols da partida:

O Tricolor viu que era hora de pressionar. Aos 19, Wellington Silva deixou Conca na cara do gol. Em vez de finalizar, o meia tentou servir Fred, mas errou o passe. Um minuto depois, porém, o argentino cobrou escanteio na pequena área, e Fred subiu sozinho para cabecear e abrir o placar. Quarto gol dele no Estadual. Os três anteriores foram em cobranças de pênalti.

Aos 25, Conca tentou o tiro direto em falta de muito longe. A bola tinha endereço certo, mas Rodolfo voou e fez a defesa. Dez minutos depois, o goleiro do Tigres apareceu bem novamente. Após tabela com Fred, Mariano emendou forte cruzado e parou no rival. Foi quando Wellington Silva resolveu dar o ar da graça novamente.

Aos 39, o garoto recebeu, observou os companheiros e deu um lindo passe para Fred, por trás da zaga. O camisa 9 não foi fominha e serviu Everton que, livre na pequena área e sem goleiro, apenas escorou para ampliar e fechar o placar do primeiro tempo.

Tigres pressiona, Cuca muda esquema, e Conca marca

No volta para o segundo tempo, o Tigres se mostrou mais ousado e partiu para o ataque. Aos quatro, Luiz Henrique encheu o pé de longe para boa defesa de Rafael. Para variar, o lampejo de bom futebol do Tricolor foi de Wellington Silva, que gingou na frente da marcação e bateu forte no meio do gol, aos 12.

Nada que despertasse a equipe. Dois minutos depois, o ex-zagueiro do Flu, Zé Carlos, soltou uma bomba em cobrança de falta, e Rafael defendeu sem muita firmeza. Aos 17, o defensor teve mais uma grande oportunidade após cruzamento, mas, sozinho na pequena área, cabeceou para fora.

Abusado, o Tigres acuava o Flu. Aos 19, Luiz Henrique deu um chapéu em Julio Cesar e tocou para Jefinho, que chutou para fora. Preocupado, Cuca resolveu mudar o esquema, trocou Diogo por Digão e pôs a equipe no 3-5-2. Em seguida, tirou o xodó Wellington Silva e colocou Maicon em campo.

E o "Bolt" das Laranjeiras fez o Flu acordar. Aos 27, ele serviu Mariano no segundo pau, mas o lateral isolou. Em seguida, o camisa 2 acertou bom passe para Fred que, da marca do pênalti, concluiu para fora. E assim, sem pontaria, o Tricolor desperdiçou mais duas boas oportunidades, aos 31 e 32, com Julio Cesar e Conca, respectivamente.

Nervoso, Digão foi expulso aos 35 após dois cartões amarelos por carrinhos perigosos. Com um a menos, Conca chamou o jogo para si e quase fez o terceiro aos 40, chutando forte dentro da área para grande defesa de Rodolfo. Dois minutos depois, no entanto, o goleiro falhou. O próprio Conca cobrou falta do bico direito da área, a bola passou no meio da zaga e enganou o arqueiro: 3 a 0, placar final.

veja também