MENU

Flu vira sobre Cerro e vai à final. Jogo termina em pancadaria

Flu vira sobre Cerro e vai à final. Jogo termina em pancadaria

Atualizado: Quinta-feira, 19 Novembro de 2009 as 12

O Fluminense perdia por 1 a 0 até os 47 minutos do segundo tempo quando o zagueiro Gum empatou em um lance confuso na área do Cerro Porteño. O resultado já garantia a classificação tricolor, mas a equipe da casa ainda marcaria o gol da vitória aos 49 minutos com Alan e venceria por 2 a 1, garantindo uma vaga na final da Copa Sul-americana para enfrentar o vencedor do confronto entre LDU, do Equador, e River Plate, do Uruguai.

Ao final da partida, após tomarem a virada, os jogadores do Cerro Porteño partiram para a agressão e provocaram cenas de selvageria no gramado do Maracanã. A polícia precisou intervir e encurralar os atletas do clube paraguaio no vestiário.

O jogo

O primeiro tempo começou com o Fluminense, apoiado por grande torcida, no ataque e logo no primeiro minuto, Conca arriscou de fora da área e a bola encobriu o travessão.

Só que o cartão de visitas tricolor não assustou o time paraguaio e, aos seis minutos, o Cerro abriu o marcador. Irazabal chutou da direita, Rafael defendeu parcialmente e a bola sobrou para Nanni chutar cruzado. Cáceres se antecipou aos zagueiros tricolores e colocou a bola nas redes de Rafael.

O gol não desanimou o time dirigido por Cuca que seguiu pressionando, mas sem criar grandes perigos para o gol de Barreto. E o Cerro quase ampliou aos 17 minutos em cabeçada de Britez depois de cruzamento de Recalde.

Aos 20 minutos, Conca cobrou escanteio e o goleiro paraguaio teve que se empenhar para evitar o gol olímpico. O Tricolor carioca mantinha a posse de bola, mas não conseguia entrar na área em condições de finalizar. Fred, muito marcado, era obrigado a sair da área para buscar jogo, o que facilitava a tarefa da zaga paraguaia.

A situação ficou mais complicada para o time brasileiro aos 31 minutos, quando o atacante Maicon sentiu um problema muscular e precisou ser substituído, privando o Fluminense de uma das suas armas principais de ataque.

A melhor chance do Fluminense ocorreu aos 35 minutos em chute de Mariano que foi muito bem defendido por Barreto. No minuto seguinte, em jogada confusa na área paraguaia, Digão chutou, mas a bola bateu em Alan e saiu para desespero da torcida, que não escondia sua impaciência com o andamento da partida.

Os dois times voltaram para o segundo tempo sem modificações. E o Fluminense teve logo a chance de empatar aos quatro minutos, mas o artilheiro Fred desperdiçou uma boa chance ao cabecear por cima um cruzamento de Alan. A resposta da equipe paraguaia foi rápida. Nanni arrancou e  chutou por cima, quando tinha tudo para ampliar o marcador.

O Fluminense não se assustou e seguiu tentando jogar com mais velocidade para tentar furar o bloqueio da equipe visitante, que continuava se defendendo bem e partindo no contra-ataque com perigo, como aconteceu aos sete minutos, quando Cáceres driblou dois zagueiros e chutou rasteiro, mas o goleiro Rafael defendeu com os pés.

Aos 10 minutos, Marquinho fez um lançamento perfeito para Fred que estava só diante de Barreto. O artilheiro tricolor encheu o pé, mas o goleiro paraguaio fez grande defesa impedindo o gol do empate. O tempo foi passando e os tricolores cariocas ficando cada vez mais nervosos com a forte marcação paraguaia. Aos 23 minutos, depois de grande pressão, Mariano chutou por cima quando estava na pequena área.

Cuca foi obrigado a trocar o zagueiro Digão, machucado, pelo meia Carlos Eduardo. mudança que tornou o time mais ofensivo. Aos 34 minutos, o time visitante teve a chance de ampliar quando o zagueiro Dalton furou, mas Nanni não conseguiu concluir para as redes. Na resposta, o goleiro Barreto evitou a cabeçada de Fred.

Aos 35, Fred recuou para Conca, que chutou forte e a bola desviou na zaga e saiu com grande perigo.

Depois dos 40 minutos, o Cerro recuou para defender o resultado deixando apenas o atacante Nanni isolado na frente. Aos 43 minutos, Adeilson levantou da esquerda e colocou a bola na cabeça de Fred, livre, na pequena área, mas o artilheiro cabeceou por cima para desespero da torcida tricolor.

Aos 47 minutos, quando tudo indicava que a vaga seria decidida nos pênaltis, o zagueiro Gum, que estava com a cabeça enfaixada, chutou a bola para as redes depois de confusão na área, empatando o jogo e garantido a festa tricolor no Maracanã.

Logo depois, Alan se aproveitou da saída errada do goleiro Barreto para garantir a vitória diante de um Maracanã enlouquecido. Depois do apito final, os jogadores paraguaios partiram para a agressão gerando grande confusão em campo.

veja também