MENU

Fred não apressa retorno e diz ter consciência tranquila

Fred não apressa retorno e diz ter consciência tranquila

Atualizado: Sexta-feira, 20 Agosto de 2010 as 2:34

Sessenta jogos, 39 gols, sete lesões, 39 partidas como desfalque – duas por suspensão – e um contrato renovado. Os números de Fred em um ano e seis meses no Fluminense são impactantes, sejam positiva ou negativamente. Na mesma medida em que foi decisivo na campanha que evitou o rebaixamento em 2009, a frequência no departamento médico impede que ele seja uma aposta segura na luta pelo título do Brasileirão - por isso, Washington foi contratado. Na balança tricolor, no entanto, os prós pesaram mais do que os contras, e o atacante ampliou, com direito a significativo aumento de salário, até julho de 2015 seu vínculo com o clube.

Em fase final de recuperação de um estiramento grau dois na panturrilha esquerda, Fred completará o 40º jogo de ausência no período em que defende o Flu no clássico contra o Vasco, domingo, às 18h30m (de Brasília), no Maracanã, pela 15ª rodada do Brasileirão. Prestes a ser entregue definitivamente para a preparação física, o atacante viu, durante o período de tratamento fisioterápico, sua vida social estampar jornais e ouviu questionamentos sobre sua conduta extracampo – todos respondidos em seu blog.

A frequência no departamento médico, por sua vez, fez com que o camisa 9 recebesse outro tipo de indagação em entrevista coletiva nas Laranjeiras: se sentia-se em dívida com a camisa tricolor.

- Em dívida não estou, mas preciso ganhar títulos, como todos os outros. Principalmente os que chegaram com altos salários, que cada um tem o que merece pela qualidade que tem. Não é isso que vai aumentar ou diminuir a responsabilidade. Sou um vencedor, me cobro muito e tenho a consciência tranquila. Às vezes me cobro mais do que necessito. Se tirasse o pé do acelerador, talvez não me machucaria tanto - respondeu.   Com volta prevista para a próxima semana, Fred ainda não sabe se terá condições de encarar o Goiás, quarta-feira, ou somente o São Paulo, no domingo. O que o artilheiro tem certeza é de que não vai se expor como no fim de 2009, quando a urgência fez com que acelerasse o retorno ao time.

- Quero voltar o mais rápido possível. Estou fazendo trabalhos fisioterápicos e físicos. Mas não quero me precipitar. Essa lesão é um pouco traiçoeira. Não vou forçar, até porque a galera está bem, o time está ganhando. A necessidade não é a mesma do ano passado, quando estava capenga, todo arrebentado. Dessa vez, não vou queimar etapas.

Seu retorno ao time implicará diretamente em uma disputa com Washington pela posição de titular. Nada que possa atrapalhar o ambiente harmônico do grupo na opinião do artilheiro.

- Com vaidade não vamos ter problemas. Qualquer grupo tem probleminhas, mas não abrimos mão de resolvê-los internamente. Vaidade para mim é uma tremenda bobeira. Só tem vencedor no grupo. Lógico que todo mundo vai querer jogar, mas não vai ter nada de corpo mole. Capitão da equipe, Fred rechaça o rótulo de ídolo. Pelo menos por enquanto. Ele acredita que ainda tem muito o que conquistar pelo clube para que seja eternizado entre os maiores da história.

- O jogador para colocar o nome no clube tem que ter títulos. Depois que eu for um dos maiores goleadores e ser campeão pelo Fluminense, vou poder ser um ídolo. Todo ano trabalho para isso.

Trabalha para isso e também trabalha para voltar à seleção. Apontado por Muricy Ramalho como um dos convocados caso o treinador aceitasse substituir Dunga, o camisa 9 deixou claro o desejo de fazer parte da renovação proposta por Mano Menezes.

- Na última convocação, por exemplo, muitos jogadores que atuam no Brasil foram chamados. Estava na expectativa de ser convocado. Estou voltando com o pensamento de ir bem no Fluminense e, quando tiver convocação, ir bem na seleção. Quero crescer nessa era do Mano.

Com 32 pontos, o Fluminense é o líder do Campeonato Brasileiro, e Fred, ao lado de Alan e Emerson, é um dos artilheiros da equipe, com quatro gols.

veja também