MENU

África do Sul exige vacina contra a febre amarela para a entrada no país

África do Sul exige vacina contra a febre amarela para a entrada no país

Atualizado: Sexta-feira, 21 Maio de 2010 as 12:14

Quem vai viajar para a África do Sul para ver a Copa e ainda não tomou suas vacinas deve se apressar. Para entrar no país é obrigatória a imunização contra a febre amarela, e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda aos turistas que verifiquem se estão em dia com as vacinas de sarampo e rubéola, doenças que não estão totalmente controladas no país sul-africano.

"É importante levar o cartão de vacinação até um posto de saúde e fazer a verificação de todas as vacinas. Isso deve ser feito com três ou quatro semanas de antecedência", alerta a gerente de orientação de viajantes da Anvisa, Karla Baeta.

Além de se imunizar, o viajante deve obter um certificado de vacinação internacional contra a febre amarela. O documento deve ser requisitado pessoalmente em um posto da Anvisa. Para isso, o viajante deve apresentar a carteirinha de vacinação provando que já se imunizou. Em São Paulo, há postos desse tipo nos aeroportos de Congonhas, Viracopos e Guarulhos.

Mosquitos

Uma vez na África, um dos maiores cuidados que os turistas devem ter é com a picada de mosquitos, pois além da febre amarela e da malária há o perigo da febre de Rift Valley, uma espécie de gripe que pode evoluir para hemorragias.

Para se proteger contra os insetos, Karla recomenda o uso de repelentes, roupas de manga comprida e sapatos fechados. "É bom procurar se hospedar onde há mosquiteiro e ar condicionado", acrescenta.

As dicas são especialmente úteis para viajantes que pretendem se aventurar pelo interior, já que a ida à África do Sul é uma boa oportunidade para fazer safáris e conhecer de perto leões, elefantes e rinocerontes.

Perto dos animais, aumenta o risco das doenças causadas por carrapatos, como a febre maculosa. "A calça deve ficar por dentro da bota, e as pessoas devem evitar sentar diretamente na grama", aconselha Karla.

Cólera

Cuidados com a água e os alimentos também são importantes para quem não quer visitar o hospital. Na última década, a África do Sul registrou vários surtos de cólera, doença que provoca diarreias agudas e pode levar à morte.

O segredo para se proteger da cólera é tomar sempre líquidos embalados (água engarrafada, sucos de caixinha etc) e de procedência confiável. Alimentos crus ou mal cozidos também devem ser evitados, com exceção de frutas e vegetais que possam ser descascados.

Os mesmos cuidados servem para quem quer evitar a hepatite A. "Quando você viaja, bebe água na rua, come na rua, o risco de hepatite A aumenta. É uma das causas mais comuns de doenças em viagens", relata a médica Médica Isabella Ballalai, vice-presidente da  Associação Brasileira de Imunizações. Ela explica que há vacinas contra essa doença disponíveis em clínicas particulares.

Aids

Quem vai aproveitar o Mundial para namorar, o cuidado deve ser extremo. A áfrica do Sul registra um dos índices de contágio por HIV mais altos do mundo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que entre 15 e 20% dos adultos estejam infectados com o vírus. O número é cerca de 30 vezes maior que o brasileiro, onde o índice é de 0,6%. Para se proteger, camisinha, sempre.

Por Iberê Thenório

veja também