MENU

Ganso corta intermediários e marca reunião para dar fim à novela

Ganso corta intermediários e marca reunião para dar fim à novela

Atualizado: Segunda-feira, 21 Março de 2011 as 10:31

Mais um capítulo da novela em que se transformou as negociações para renovação do contrato entre Paulo Henrique Ganso e Santos vai ao ar nesta terça-feira. Dessa vez, porém, com o personagem central da trama participando pessoalmente da reunião entre a diretoria alvinegra e a empresa que gerencia a carreira do jogador (e detém 45% dos direitos sobre o atleta).

As conversas começaram em agosto do ano passado, depois que Neymar aceitou o plano de carreira oferecido pelo Santos. A diretoria tinha esperança que Ganso também topasse. No entanto, até hoje não houve acordo. Foram várias reuniões, mas sempre sem a presença do jogador, que passou a maior parte desse período se recuperando de uma grave lesão no joelho.

Insatisfeito com a demora nas negociações e com o rumo com que as conversas tomaram - muitas informações

desencontradas, insinuações, trocas de acusações nos bastidores - o jogador resolveu acompanhar diretamente o assunto, sem intermediários. Tanto que dispensou a presença de familiares e solicitou o adiamento do encontro, que seria esta segunda. Pediu para ser na terça para poder comparecer (sua agenda na segunda está lotada).

Essa mudança de postura por parte do atleta anima o presidente do clube, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro. O dirigente esteve frente a frente com o jogador algumas vezes e ouviu do camisa 10 a garantia que ele gostaria de permanecer no clube. No entanto, quando a conversa era com os representantes do jogador, as conversas tomavam um outro rumo.

- Ele quer participar e para mim isso é ótimo. Sempre que se conversa com terceiros, dizem: 'O Ganso falou isso ou aquilo', e com ele na nossa frente não tem problema, pois é um sujeito verdadeiro - afirmou o mandatário alvinegro, em entrevista ao jornal A Tribuna, de Santos.

A expectativa é que a negociação seja encerrada definitivamente nesse encontro de terça-feira. O interesse da empresa e do jogador é que a multa rescisória de € 50 milhões (R$ 118,3 milhões) seja reduzida para € 35 milhões (82,8 milhões). O Santos está reticente. A tendência é que se acerte um valor intermediário, que agrade aos dois lados.      

veja também