MENU

Garotada do Brasil mostra eficiência e dá goleada na Hungria

Garotada do Brasil mostra eficiência e dá goleada na Hungria

Atualizado: Quarta-feira, 10 Novembro de 2010 as 9:08

A Seleção Brasileira de futsal fez a alegria da torcida, na noite desta terça-feira, em Joinville (SC), no segundo jogo contra a Hungria pelo Desafio Internacional. Com uma equipe renovada e média de idade inferior a 25 anos, o Brasil venceu por 6 a 0, no Centreventos Cau Hansen. Os gols da partida foram marcados por Darlan, Dieguinho (2), Pixote, Murilo e Gadeia. No primeiro duelo, no último domingo, o time comandado pelo técnico Marcos Sorato havia vencido por 4 a 2.

O Brasil entrou em quadra com o goleiro Franklin, os alas Darlan, Murilo e Guina e o pivô Vander Carioca e abriu o placar logo no primeiro minuto. Darlan aproveitou lateral rápido cobrado pela direita e completou de primeira para abrir o placar. A Hungria tentou segurar a Seleção canarinho com uma forte marcação, mas acabou levando o segundo gol aos oito minutos. O pivô Dieguinho recebeu pela direita e bateu rasteiro, por entre as pernas do goleiro, para ampliar.

Com vantagem, a garotada comandada pelo técnico Marcos Sorato, o Pipoca, passou a abusar dos toques e dribles rápidos e não demorou a fazer o terceiro. O ala Pixote dominou no peito pela esquerda, chutou forte e a bola ainda desviou no adversário antes de entrar: 3 a 0. Aos 12, quase o quarto gol. Murilo tabelou com Vander e soltou uma bomba na trave. Atrás no marcador, a seleção húngara passou a atacar mais e deu espaços para o contra-ataque brasileiro. A três minutos do fim, Dieguinho recebeu livre e, de frente para o gol, mandou outra bola na trave.

Goleada na etapa final

No intervalo de jogo, uma queda de energia no ginásio atrasou o retorno dos times para a etapa final em mais de 20 minutos. Com a bola rolando, o Brasil tentou ampliar a vitória, mas só não levou o primeiro gol porque Franklin defendeu o pênalti cobrado pelo pivô Sivák, logo aos três minutos. Na cobrança, o arqueiro levou uma bolada no rosto e precisou ser substituído pro Djony.

A equipe verde-amarela não ficou abalada e tratou de responder. Após cobrança de escanteio pela esquerda, Murilo pegou de voleio no cantinho e fez o quarto. Um minuto depois, mais um gol. O ala Gadeia tabelou com o ala Deives e bateu com categoria no canto. A partir daí, o Brasil passou a valorizar a posse de bola e ainda conseguiu espaço para fazer mais um gol, com Dieguinho: 6 a 0.

Por: Leonardo Simonini e Rodrigo Fuscaldi

veja também