MENU

Gigante ferido: coleção de lesões impede Sorondo de engrenar

Gigante ferido: coleção de lesões impede Sorondo de engrenar

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 4:37

Os colorados sentiram que tinham uma nova referência na zaga quando apareceu de vermelho aquele gigante de 1,90m, ainda de cabelos compridos e munido do futebol que parece ser o RG dos zagueiros uruguaios. Era 2007. O desempenho inicial de Gonzalo Sorondo foi animador: excepcional pelo alto, seguro por baixo. Tinha tudo para der certo. Mas não foi bem assim. E por culpa de uma sequência quase inacreditável de lesões.

Quando o zagueiro deixou o campo do Passo D’Areia no segundo tempo do jogo desta quarta-feira, sentou na casamata e levou as mãos ao rosto, estava desenhado mais um capítulo de uma história escrita com letras de drama para o atleta. Ele fraturou a clavícula e ainda torceu o joelho na vitória de 1 a 0 sobre o São José. Pelo primeiro problema, ficará dois meses parado. E o segundo pode ser ainda pior.

Será o sexto período de afastamento do zagueiro desde que ele chegou ao Beira-Rio. Alguns deles foram extremamente graves. Em 2007, quando começava a animar a torcida, o Lalo desabou no gramado de São Januário. Era 4 de novembro daquele ano, e ele acabava de romper os ligamentos do joelho esquerdo. O retorno aconteceria só em maio de 2008, o ano mais turbulento da vida de Sorondo.

Curiosamente, a volta foi justamente contra o Vasco. Uma semana depois, porém, veio novo susto. Contra o Palmeiras, o zagueiro teve entorse justamente no joelho esquerdo. Ficou um mês e meio parado. Dez dias depois de voltar, em empate por 1 a 1 com o Grêmio, ele teve novos problemas: pancada no tornozelo e lesão na coxa em vitória de 1 a 0 sobre o Goiás.

Foi mais um mês de afastamento para o Lalo até o retorno na derrota de 2 a 0 para o Cruzeiro. O gol contra que o uruguaio fez no Mineirão não teve um pingo da dor que ele sentiria uma semana depois. Em Gre-Nal pela Sul-Americana, Sorondo voltou a machucar o joelho esquerdo. Foi necessária mais uma cirurgia. Ele só voltou a atuar na temporada seguinte.

O defensor viveu tempos mais calmos em 2009, mas com rendimento discreto. Curiosamente, sofreu grave acidente de carro, mas saiu ileso. Na temporada seguinte, ele seria importante na conquista da Libertadores, marcando um dos gols mais decisivos da campanha vermelha, o da vitória de 1 a 0 sobre o Estudiantes no Beira-Rio. Quando o Mundial se aproximava, porém, veio mais um baque. E dos fortes.

Sorondo precisou passar por nova cirurgia, desta vez para se livrar de uma hérnia inguinal. A recuperação foi lenta. E o uruguaio acabou fora da lista do Mundial, sob a alegação de que não teria tempo para chegar a Abu Dhabi em boas condições. Rodrigo, por problemas legais, acabou retirado da disputa, e o Inter tentou inscrever Sorondo no lugar dele. Não conseguiu.

Veio 2011, e a lesão de Bolívar permitiu que o Lalo começasse a temporada como titular. Sorondo foi bem. Ao lado de Índio, se consolidou aos poucos como figura com segurança similar à de 2007. E aí veio o jogo no Passo D’Areia. E mais uma lesão. Pior: duas.

- É uma infelicidade muito grande – resumiu o técnico Celso Roth.

Sorondo, por causa das cirurgias no joelho, tem uma tendência maior a sofrer problemas ali. Mas o que chama a atenção é o azar do zagueiro em lesões que nada têm a ver com as dores antigas. Agora, ele precisará de um pouco mais de paciência para retomar a rotina de recuperação com a qual está tão acostumado no Beira-Rio.

Gonzalo Sorondo Amaro, 31 anos, disputou 77 partidas pelo Inter. Marcou sete gols.      

veja também