MENU

Ginástica Artística: Brasil tem melhor participação por equipes de sua história

Ginástica Artística: Brasil tem melhor participação por equipes de sua história

Atualizado: Quarta-feira, 13 Agosto de 2008 as 12

Ginástica Artística: Brasil tem melhor participação por equipes de sua história

A ginástica artística viveu nesta quarta-feira um dia histórico. Pela primeira vez, o Brasil esteve presente na elite mundial da modalidade, entre as oito melhores equipes femininas dos Jogos Olímpicos. O oitavo lugar com 174.875 pontos representou a melhor participação brasileira em todos os tempos.

Durante alguns momentos, a equipe chegou a ficar em sexto lugar, sendo superada nos últimos dois aparelhos (barras assimétricas e trave). O Time Brasil terminou a competição com 174.875 pontos. O ouro foi para a China, com 188.900, para delírio do público que lotou o Ginásio Nacional da capital da China. Os Estados Unidos ficaram com a prata, com 186.525, seguidos da Romênia, bronze com 181.525.

A equipe formada por Daiane dos Santos, Jade Barbosa, Daniele Hypólito Ana Cláudia Silva, Ethiene Franco e Laís Souza começou sua apresentação na final competindo no solo, seguindo para o salto, barras assimétricas e finalizando na trave. Na final por equipes, apenas três atletas competem por aparelho.

No solo, maior especialidade do Brasil, o desempenho não foi como a equipe esperava. Ana Cláudia Silva, a primeira a se apresentar, ficou com a nota 13,375, menos que na fase eliminatória, quando a nota foi 14,800. Jade fez uma bonita apresentação, porém em um dos saltos pisou fora da área e perdeu alguns pontos. Daiane dos Santos, com seu tradicional "Brasilerinho", manteve a mesma nota das eliminatórias.

No salto, as brasileiras voltaram a ter desempenho pior que nas eliminatórias. Jade Barbosa, que disputou a final do aparelho, não conseguiu melhorar a nota. Nesta quarta, ela recebeu 15,025 ao pisar fora do limite. Mesmo assim, nesse momento o Brasil encontra-se na sexta colocação à frente de Japão e França. Nas barras assimétricas, a maior nota foi de Jade Barbosa, com 14,725. Já na trave, as brasileiras mostraram evolução em relação às eliminatórias, com 43,900 pontos no total. Mesmo assim, a equipe não conseguiu deixar a oitava colocação final.

Um das mais experientes do grupo, Daiane tem papel fundamental na equipe, aconselhando e incentivando as mais jovens. Mesmo satisfeita com o resultado histórico do Brasil, a gaúcha considera que o desempenho poderia ter sido melhor. "A gente podia ter ido melhor do que foi hoje. Nosso problema maior foi o solo, onde as notas foram mais baixas do que na fase de classificação. Pela primeira vez, participamos de uma final por equipes e era esse o nosso primeiro objetivo. Valeu pela experiência e para aprendermos que cada competição é diferente. O esporte é assim. Um dia se acerta, no outro erra. Tomara que na próxima a gente só acerte", avaliou Daiane.

Neste domingo, dia 17, Daiane terá a oportunidade de participar da final do solo e encerrar sua trajetória olímpica com chave de ouro. "Estou me sentindo bem fisicamente. No solo basta manter a tranqüilidade e cravar mais no chão. Me esforcei bastante e venho fazendo algumas coisas que nos outros anos não fiz e os resultados estão aparecendo agora. O ginásio estará lotado no domingo, exatamente como eu gosto", comentou.

Daniele Hypólito encerrou a carreira olímpica nesta quarta-feira, dia 13. "Encerro minha participação da melhor forma possível. Tive um bom desempenho nas barras, na trave e passamos muito bem nos aparelhos. Só de estar nesta final já considero como uma medalha para nós. A ginástica do Brasil brilhou em Pequim", destacou Daniele.

Ethiene considerou positivo seu desempenho nos Jogos. "Esta minha estréia internacional foi difícil de encarar. Como em todo torneio, a gente sempre fica nervosa. Na fase classificatória estávamos mais tensas. Agora vou treinar para garantir presença em Londres", contou a paranaense de 16 anos.

O Brasil terá outras oportunidades para conquistar uma medalha inédita na modalidade. Na próxima sexta-feira, dia 15, Jade Barbosa e Ana Cláudia Silva participam da final do individual geral. No domingo, dia 17, Jade tentará uma medalha no salto, enquanto Daiane dos Santos e Diego Hypólito vão brigar pelo pódio no solo individual.

veja também