MENU

Gol contra salva o Cruzeiro

Gol contra salva o Cruzeiro

Atualizado: Domingo, 27 Fevereiro de 2011 as 9:26

Em dia de festa em Teófilo Otoni, o Cruzeiro, convidado desagradável, venceu os donos da casa, o América-TO, por 2 a 1. A partida, realizada no estádio Nassri Mattar, no norte de Minas, foi válida pela quinta rodada do Campeonato Mineiro. Os gols foram marcados pelo iluminado Wallyson, para a Raposa, ainda no primeiro tempo, após linda jogada do argentino Montillo, e por Rodrigo Sena, contra. Para o Dragão, marcou Jonatas Obina.

A torcida do América-TO marcou grande presença e lotou o estádio. O Dragão usou no primeiro tempo uma camisa com 320 fotos 3x4 de torcedores que pagaram R$ 500 numa campanha para arrecadar fundos - o clube conseguiu R$ 160 mil. Mas para o Cruzeiro, o jogo era coisa séria.

Com disposição, a Raposa conquistou os três pontos. Com eles, conseguiu também a segunda colocação na tabela de classificação, com 12 pontos ganhos. A vantagem do Atlético-MG, primeiro lugar, é apenas no saldo de gols, embora o Galo ainda entrará em campo na rodada, diante do América-MG, neste domingo, às 16h (de Brasília), na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. O América-TO, com a derrota, a primeira na competição, permaneceu com seis pontos, na sexta posição.

O Cruzeiro voltará a campo, pelo estadual, somente no dia 9 de março, na quarta-feira de cinzas, às 21h50m, diante do Tupi, no estádio Mário Helênio, em Juiz de Fora. Antes, porém, enfrentará o Tolima, da Colômbia, na próxima quarta-feira, às 19h30m, na cidade de Ibagué, pela Taça Libertadores. O América-TO, por sua vez, tentará a recuperação contra o Funorte, no sábado, dia 12 de março, novamente em Teófilo Otoni.

Marca do iluminado

O Cruzeiro partiu para cima do América-TO, mesmo jogando fora de casa. Logo nos primeiros minutos, o time de Belo Horizonte tomou a iniciativa da partida e tentou a abertura do placar. Porém, não demorou muito para que a equipe da casa equilibrasse as ações. Com grande atuação de Wellington Bruno, que comandava o meio-campo, o Dragão passou a ter mais posse de bola.

Porém, mesmo assim, quem quase marcou foi o Cruzeiro, com o zagueiro Victorino. O uruguaio, de forma surpreendente, foi para o ataque e tabelou com o meia Montillo. O defensor saiu na cara do gol, mas pecou na finalização e chutou fraco, para a boa defesa do experiente goleiro Fábio Noronha, ex-Flamengo.

A propósito, todas as vezes em que a bola passava pelos pés de Montillo, as jogadas aconteciam. Em um desses lances, já no fim do primeiro tempo, aos 42 minutos, o argentino deu um toque de mestre e colocou Wallyson na cara do gol. O atacante, em uma fase iluminada, teve que tocar duas vezes, até tirar do goleiro e empurrar para o fundo das redes: 1 a 0 para o Cruzeiro.

A fase de Wallyson é realmente esplendorosa. Com quatro gols marcados em duas partidas pela Taça Libertadores, o jogador é um dos artilheiros da competição internacional. Tanto que o técnico Cuca tem optado pela escalação do atacante e deixado Thiago Ribeiro no banco de reservas.

Segundo tempo

O segundo tempo começou com uma alteração do técnico Gilmar Estevam. O comandante do América-TO tirou um volante, Júnior Pereira, e colocou um atacante, Chrys. A intenção era ter uma equipe mais ofensiva para buscar o empate. E foi isso que realmente aconteceu. Aos 12 minutos, em uma bobeada de toda a zaga celeste - Gil e Victorino ficaram olhando a bola passar -, o atacante Jonatas Obina tocou na saída de Fábio: 1 a 1.

Na sequência, o árbitro Emerson de Almeida Ferreira expulsou Wellington Bruno, que vinha sendo o destaque da equipe do interior. O jogador, por trás, fez falta duríssima em Montillo, e recebeu o cartão vermelho direto. Com um a mais, o Cruzeiro novamente subiu na partida.

A partir daí, foi um verdadeiro bombardeio do Cruzeiro sobre o goleiro Fábio Noronha. E o arqueiro do América de Teófilo Otoni mostrou toda a sua categoria e, com defesas incríveis, impediu que o Cruzeiro desempatasse a partida. Fábio Noronha fez veradeiros milagres em chutes de Marquinhos Paraná e Farías. Ao América, cabia apenas os contra-ataques, com Jonatas Obina e Rogélio Ávila, que teve um gol anulado, após marcação de impedimento.

E no último lance da partida, o Cruzeiro fez o gol da vitória. Everton chegou à linha de fundo e bateu forte, para dentro da área. Na tentativa de tirar a bola, Rodrigo Sena acabou empurrando-a para o fundo das redes. Gol contra: 2 a 1 para o Cruzeiro.

  Por GLOBOESPORTE.COM Teófilo Otoni, MG

veja também