MENU

Golaço de Dagoberto e bola parada de Assunção definem 'empate ruim'

Golaço de Dagoberto e bola parada de Assunção definem 'empate ruim'

Atualizado: Segunda-feira, 22 Agosto de 2011 as 8:30

          O Palmeiras precisava por fim à má fase, enquanto o São Paulo ainda lutava pelo título do primeiro turno. Apesar das motivações, o que se viu no Morumbi foi um jogo fraco diante de um público medíocre e um frio cortante. Graças a um golaço de Dagoberto e à famosa bola parada de Marcos Assunção, os rivais saíram de campo insatisfeitos com o empate por 1 a 1.

O São Paulo tem poucas chances de conquistar o título do primeiro turno na próxima rodada. A equipe chega a 34 pontos na terceira colocação atrás dos líderes Corinthians (37) e Flamengo (35) e ainda pode ser ultrapassado pelo Vasco que enfrenta o Fluminense neste domingo. Já o Palmeiras agrava seu mau momento e vai pressionado para o clássico contra o Corinthians, no próximo domingo, em Presidente Prudente. Além de enfrentar problemas internos e a ineficiência de seu ataque, a equipe chega à sexta partida seguida sem vitória.

Com três desfalques, entre eles Valdivia, Felipão armou um esquema precavido com Chico fazendo proteção à zaga e Márcio Araújo atuando ao lado de Kleber quase como um meia. O time começou melhor e mais organizado impondo uma forte marcação ao São Paulo. Logo no início, Rogério Ceni foi obrigado a trabalhar em um chute perigoso de Luan.

Mas, aos poucos, o São Paulo equilibrou o jogo igualando a marcação. O time do Morumbi cresceu com uma boa movimentação dos homens de ataque que confundia a defesa palmeirense. Dessa forma, chegava de forma incisiva e levava mais perigo, inclusive nas jogadas de bola parada.

Com falhas na marcação, as duas equipes conseguiam escapar e tinham chances, mas faltava qualidade na finalização. Melhor para os anfitriões, quando Rivaldo escapou de Chico, que já demonstrava dificuldades em acompanhá-lo, e deu bom passe para Dagoberto. O atacante fez o drible, viu Marcos adiantado e tocou por cobertura para fazer um golaço aos 43 minutos do segundo tempo.

No segundo tempo, Felipão colocou Maikon Leite no lugar de Márcio Araújo. O Palmeiras melhorou, passou a jogar com a bola nos pés, encurtou os espaços e diminuiu os erros. O time chegava ao ataque, mas não tinha poder de definição, um velho problema da equipe.

Até surgir Marcos Assunção, praticamente única opção de gol nos últimos jogos. Ele cobrou falta na cabeça de Henrique que deixou tudo igual aos 16 minutos.  O São Paulo sentiu o empate e não ameaçou o gol de Marcos. O Palmeiras tinha mais chances, mas faltava qualidade para virar. No fim, os dois times pareciam satisfeitos e desanimados para tentar o triunfo.           Vídeo: UOL

veja também