MENU

Goleiro, artilheiro, presidente: Ceni faz de tudo para ver o São Paulo brilhar

Goleiro, artilheiro, presidente: Ceni faz de tudo para ver o São Paulo brilhar

Atualizado: Quinta-feira, 24 Fevereiro de 2011 as 10:21

Dentro de campo, Rogério Ceni já marcou seu nome na história do São Paulo. Capitão da equipe desde 1997, ele alcançou uma carreira repleta de glórias e recordes. É o jogador com maior número de partidas disputadas pelo clube (958), com mais títulos conquistados (15) e maior goleiro artilheiro do mundo, com 98 tentos anotados, dos quais 55 de falta e 43 de pênalti. Mas o papel do camisa 1 dentro da equipe do Morumbi vai muito além das quatro linhas.  

Nas preleções, ele é o que mais fala. Usa discursos motivacionais, busca inflamar os companheiros. Com a comissão técnica, discute sobre esquemas táticos, opina sobre qual a melhor escalação. Com os dirigentes, indica reforços e até inicia algumas conversas. Não foram poucos os casos em que o goleiro-artilheiro foi o responsável pela chegada de alguns companheiros. O mais recente foi o pentacampeão Rivaldo, que fechou com o clube do Morumbi em parte graças a um papo com Ceni no vestiário do estádio em Mogi Mirim, logo após a partida entre as duas equipes pelo Campeonato Paulista.

Um episódio que merece ser lembrado foi a contratação do atacante Washington, que defendeu o clube de janeiro de 2009 até a metade do ano de 2010.

- Sentamos lado a lado na premiação da Bola de Prata, logo após o término do Campeonato Brasileiro de 2008. O Rogério puxou papo e perguntou detalhes do meu contrato, quando acabava meu vínculo com o Fluminense, falou que o São Paulo estava muito interessado, disse como as coisas funcionavam no clube. À noite, na festa da CBF, voltamos a conversar sobre o assunto. Eu me lembro que tinha ótima proposta do Grêmio, mas a conversa com ele me deixou balançado - lembrou o Coração Valente, que defendeu o Tricolor por uma temporada e meia e  recentemente se aposentou.

Washington disse que o goleiro, após parar, tem tudo para ser um dirigente de sucesso. - Eu não tenho a menor dúvida de que o Rogério será presidente do São Paulo um dia. Ele tem um papel importante demais. Quando sofreu aquela grave fratura em 2009, sentimos demais sua ausência, embora o Denis e o Bosco tenham muita qualidade. Ele tem essa característica, tudo o que ele construiu na carreira é por causa desse perfil vencedor - ressaltou.

Outro que veio para o Tricolor por indicação de Ceni foi o meia Souza, hoje no Fluminense. Ele chegou em 2003, logo após enfrentar o Tricolor pela semifinal do Campeonato Paulista com a camisa da Portuguesa santista.

- Ele é o presidente. Um cara bom demais, sujeito da melhor qualidade. Só tenho coisas boas para falar do Rogério, me ajudou demais na carreira. Se não fosse por ele, não teria chegado ao São Paulo - relembrou.

Responsável direto pelas contratações, o auxiliar Milton Cruz reconhece a importância do camisa 1 quando o assunto é reforços.

- Constantemente trocamos ideias sobre tudo o que pode ajudar a equipe. O Rogério tem muito conhecimento, é uma cara que já imagina como determinado jogador pode se encaixar na equipe. Ele nos ajuda bastante, sempre com muito respeito e sem passar por cima de ninguém - ressaltou o auxiliar.

Apesar dos muitos elogios, Rogério diz que só age pelo bem do São Paulo.

  - Se eu vejo algum jogador que tem futuro, eu falo. Estou aqui para ajudar. O caso do Rivaldo foi assim. Precisávamos de uma camisa 10. Eu me lembrei da Copa de 2002, o Rivaldo treinava demais, era um cara sério. Quando o vi no vestiário de Mogi Mirim, magrinho (risos), perguntei se era o último ano dele. Desse papo surgiu o acordo - disse.

Ceni também lembrou um caso de que uma indicação sua não resultou em contratação.

- Em 2010, enfrentamos a Ponte Preta em Campinas, ganhamos por 2 a 1 e eu fiquei encantado com o Tinga. Quando acabou o jogo, fiz questão de conversar com ele e dar parabéns porque jogou muito mesmo. Mas não deu certo, e ele foi para o Palmeiras. Mas eu tenho muito menos influência do que as pessoas pensam. Só quero ver o São Paulo bem.      

veja também