MENU

Gomes segue sedado, e novo boletim médico não apresenta novidades

Gomes segue sedado, e novo boletim médico não apresenta novidades

Atualizado: Segunda-feira, 5 Setembro de 2011 as 1:53

Os médicos que acompanham o técnico Ricardo Gomes no Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, divulgaram novo boletim sobre o estado de saúde do treinador na manhã desta segunda-feira. E, ao contrário do que era esperado, o quadro não sofreu alterações. O comandante cruz-maltino continua entubado, em ventilação mecânica. Não há previsão para que os sedativos sejam totalmente retirados, embora eles continuem sendo reduzidos gradativamente. De acordo com a nota, o quadro neurológico de Gomes é estável e ele alterna momentos de sonolência com respostas a alguns movimentos.

Ricardo Gomes segue fazendo fisioterapia motora, que consiste em o próprio médico estimular movimentos dos dedos, membros inferiores e superiores para que não haja atrofia muscular.

Ainda não há uma previsão de alta do CTI. O técnico está internado há oito dias. As visitas seguem restritas aos membros da família.

Na última quarta-feira, a sedação que induzia Ricardo Gomes ao coma havia sido retirada, e ele chegou a abrir os olhos, movimentar os membros e até sorriu. No entanto, na sexta-feira, o técnico precisou ser novamente sedado após apresentar um quadro de forte agitação.

Entenda o caso

Ricardo Gomes sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) no segundo tempo do clássico entre Flamengo e Vasco, no último domingo, no Engenhão. Foi levado inicialmente para o centro médico do estádio e, em seguida, encaminhado para o Hospital Pasteur, na Zona Norte do Rio de Janeiro, onde foi submetido a uma cirurgia que durou cerca de três horas e meia. A hemorragia no cérebro em decorrência do AVC sofrido pelo treinador foi estancada, e a circulação, restabelecida.

No ano passado, quando ainda comandava o São Paulo, Ricardo Gomes teve uma vasculite, considerada um pequeno AVC, e precisou ficar internado após o clássico contra o Palmeiras, pelo Campeonato Paulista. No entanto, o médico do Vasco Clóvis Munhoz assegura que o problema não é relacionado com o enfrentado pelo treinador na outra ocasião.          

veja também