MENU

Grêmio abre vantagem duas vezes, mas cede empate ao Liverpool-URU

Grêmio abre vantagem duas vezes, mas cede empate ao Liverpool-URU

Atualizado: Quinta-feira, 27 Janeiro de 2011 as 8:20

O Grêmio esteve duas vezes na frente, mas acabou cedendo o empate ao Liverpool-URU, nesta quarta-feira, em Montevidéu. O 2 a 2, no entanto, não pode ser interpretado como um resultado ruim, uma vez que o gol qualificado deixa o Grêmio em vantagem para o duelo de volta, no Olímpico. Os quatro gols da partida saíram antes dos 30 minutos do primeiro tempo e foram decorrentes de falhas defensivas. No segundo tempo o time tricolor levou pressão, mas segurou o resultado.

Com dois gols marcados fora de casa, o Grêmio pode empatar em 0 a 0 ou 1 a 1 que garante a classificação para a fase de grupos da Libertadores. Obviamente, caso exista vencedor no duelo da próxima quarta-feira, às 22h, no Olímpico, este será o classificado para entrar no grupo 2 da competição ao lado de Júnior Baranquilla-COL, León de Huánaco-PER e Oriente Petrolero-BOL.

Renato Gaúcho seguiu as indicações de Andrey Lopes, que esteve observando o time do Liverpool na última semana. O relatório apontou que os defensores do time uruguaio eram baixos e fracos no jogo aéreo. Pensando nisso, Renato optou por colocar Júnior Viçosa na vaga deixada por Jonas, que se desligou do clube. A escolha foi a melhor, uma vez que os gols do time tricolor saíram em jogadas aéreas.

O jogo começou eletrizante. Antes dos 15 minutos de partida, três gols já haviam sido marcados. O Grêmio aproveitou sua principal característica e marcou logo aos 6 minutos. Douglas cruzou em um escanteio, André Lima dividiu com o goleiro Castro, cabeceou na trave e na volta a bola bateu em ambos até entrar, em lance confuso.

Porém, a alegria gremista durou pouco. 2 minutos mais tarde ocorreu algo fora do comum: falha de Victor. Uma falta cobrada por Franco subiu como um cruzamento, o goleiro gremista saiu para abafar, mas a bola acabou na rede. Sem tocar em nenhum jogador, o despretensioso lançamento resultou na igualdade.

De volta ao ataque, o Grêmio empatou em um lance igualmente estranho. Douglas cruzou de falta, André Lima tentou o cabeceio mas não alcançou. A bola quicou e encobriu Castro, aos 13 minutos. No entanto o árbitro deu gol do centroavante. Para desespero gremista, mais uma vez a felicidade foi efêmera. 12 minutos mas tarde, outro lance confuso, de bola parada, gerou novo empate. Guevara venceu a defesa brasileira de cabeça e voltou a empatar a partida: 2 a 2.

Dos 4 gols relâmpagos - únicos do primeiro tempo - ficou ao Grêmio as certezas que a defesa do Liverpool vaza sempre que forçada em jogada aérea e o goleiro não é confiável. Porém, os uruguaios perceberam que mesmo melhor tecnicamente e com tradição incomparável, o Grêmio poderia ser enfrentado de igual para igual.

Segundo tempo aberto, mas sem gols A tônica de falhas defensivas continuou na segunda etapa. Tanto que ambos os times estiveram perto de marcar nos primeiros minutos. O Liverpool voltou melhor dos vestiários e passou a pressionar o Grêmio, algo que não havia acontecido na partida. O Grêmio apresentou uma sensível queda de rendimento e aceitou a evolução do oponente.

O clima ficou tenso após uma dividida entre André Lima e o goleiro Castro. Vilson e o zagueiro Macchi se empurraram, mas ninguém foi expulso. O jogo ficou parado por algum tempo e "esfriou" a pressão exercida pelos uruguaios. Em sua última tentativa, Renato Gaúcho colocou o "amuleto" Diego Clementino, porém foi insuficiente para vitória.

O Grêmio defende vantagem no jogo de volta, em Porto Alegre. A partida está marcada para 2 de fevereiro, no estádio Olímpico, às 22. Adílson poderá voltar ao time pois cumpriu suspensão neste duelo devido a expulsão no último jogo da Libertadores de 2009.

veja também