MENU

Grêmio bate o Porto Alegre e mantém eficiência e boa fase

Grêmio bate o Porto Alegre e mantém eficiência e boa fase

Atualizado: Segunda-feira, 8 Março de 2010 as 12

A beleza não é a marca do futebol do Grêmio neste início de temporada, mas sobra eficiência. Neste sábado, o time de Silas conseguiu a sétima vitória seguida no Campeonato Gaúcho . Contra o Porto Alegre, clube criado e presidido por Assis, irmão de Ronaldinho Gaúcho, revelado no Olímpico, o Tricolor não teve força máxima, mas venceu em casa com tranquilidade e sem brilho. O atacante William fez o único gol da partida, válida pela segunda rodada da Taça Fábio Koff. Com o resultado, os gremistas chegam a seis pontos e assumem a liderança isolada do Grupo 1. Na mesma chave, o Porto Alegre ainda não pontou no returno.

Um dado importante: o Grêmio alcançou a marca de 47 jogos sem derrotas no estádio Olímpico e superou o recorde regional do Inter no período de 1973 a 1975 em jogos no Beira-Rio. A última derrota do Tricolor em casa ocorreu em 13 de setembro de 2008. A sequência gremista tem 35 vitórias e 12 empates. A colorada teve 37 vitórias e nove empates.  

No próximo domingo, os tricolores recebem o Inter de Santa Maria, também no Monumental, às 18h30m. No mesmo dia, só que às 16h, o Porto Alegre pega o Ypiranga, em casa.

De roupa nova, William faz o primeiro dele pelo Tricolor

Antes de a equipe do Grêmio entrar em campo de roupa nova, modelos e torcedoras apresentaram o uniforme que será usado ao longo desta temporada. O grupo de mulheres gremistas desfilou pela pista de atletismo do estádio Olímpico para mostrá-lo ao público.  

Não é fácil para o time se acostumar à ausência de Borges. O atacante, vice-artilheiro do Estadual com nove gols, ficará três semanas fora da equipe por conta de um problema muscular na coxa direita. É disparado o destaque do time na temporada. Cabe a Jonas e William a difícil missão de manter o bom nível na frente. A dupla tem se esforçado e, aos poucos, começa a mostrar entrosamento. Foi dela a jogada do gol da vitória sobre o Porto Alegre.

Jonas não para de se movimentar no ataque tricolor. É assim na maioria dos jogos. Quando funciona, facilita muito a vida do homem de área. Aos nove minutos, ele escolheu o lado direito para dar uma assistência preciosa. O cruzamento chegou baixo à área, mas William mergulhou de peixinho para abrir o placar. Um minuto depois, em lance idêntico, o camisa 9 escorou cruzamento com o pé esquerdo, mas o goleiro Fábio defendeu.

Contra o desgaste, Silas deu um descanso a quatro titulares: Rafael Marques, Fábio Santos, Douglas e Fábio Rochemback. O grupo nem sentiu. Não dá para dizer que o primeiro tempo gremista foi um primor, mas a equipe se mostrou sólida. A não ser por uma cobrança de falta perigosa de Thiago Correia, Victor teve pouco trabalho.

Sem forçar, o Grêmio assustou mais vezes. Numa delas, Jonas foi lançado no ataque, trombou com o zagueiro André desde a entrada da área, conseguiu chutar de esquerda, mas Fábio apareceu na frente para atrapalhar. Hugo só deu as caras quase no fim da etapa inicial. Aos 40, encarou a marcação pela esquerda da área, bateu firme, mas a bola se perdeu pela linha de fundo.

Segundo tempo de dar sono

Quem acordou cedo deve ter lutado contra o sono no estádio Olímpico. O segundo tempo foi de arrancar bocejos dos torcedores. Uma cobrança de falta de Hugo, aos três minutos, deu a entender que o Grêmio voaria em campo. O goleiro Fábio, no entanto, defendeu em dois tempos. Daí em diante, quase nada de emoção. Mesmo em desvantagem, o Porto Alegre se mostrou acomodado, talvez com receio de baixar a guarda e sofrer mais gols.

Sem criação, sem gana, os tricolores trocaram passes. Foram raras as investidas em busca do segundo gol. Depois de Hugo, só Maylson assustou. Aos 20, ele avançou pela direita de ataque, invadiu a área e foi derrubado. Pediu pênalti, mas a arbitragem mandou seguir.

William sumiu na etapa final e foi substituído por Mithyuê, que nada fez. Jonas, apesar de discreto, não deixou de tentar. Aos 39, ele bateu rasteiro da entrada da área, a bola passou sob o corpo do goleiro Fábio e por pouco não entrou. O camisa 1 do Porto Alegre se recuperou e conseguiu segurá-la sobre a linha.

Victor praticamente não sujou sua nova camisa, mas quando acionado não decepcionou. Aos 47, Givaldo apareceu em velocidade pela ponta esquerda, invadiu a área e disparou. O capitão gremista espalmou para afastar o risco de empate e assegurar três pontos. A torcida tricolor não gostou, e a equipe deixou o gramado do Olímpico vaiada.

veja também