MENU

Grêmio com camisa do Mazembe? Marketing trata assunto com cautela

Grêmio com camisa do Mazembe? Marketing trata assunto com cautela

Atualizado: Sexta-feira, 17 Dezembro de 2010 as 11:32

Nas redes sociais, a frase mais utilizada pelos gremistas para justificar a forte corneta sobre os colorados a partir da derrota do Inter para a Mazembe no Mundial de Clubes da Fifa é: 'quem bate esquece, quem apanha nunca esquece'. Se agora os tricolores aproveitam-se da eliminação do maior rival para fazer piada, em 1995 foram eles que sofreram o revés.

Em jogo decidido nas cobranças de pênaltis, à época o Grêmio perdeu para o Ajax o Mundial Interclubes. Porto Alegre parou. Colorados fizeram carreatas, buzinaços, e utilizaram-se até de frascos de um produto de limpeza homônimo para 'borrifar Ajax' nos tricolores.

Sete anos depois a corneta ainda persistia. Patrocinado pela empresa Topper, o Inter lançou em 2002 um terceiro uniforme inspirado no clube holandês - era o início da gestão Fernando Carvalho, que recém assumira a presidência colorada. Motivação para alguns torcedores gremistas pedirem a revanche: querem ver o Grêmio colocar nas prateleiras na próxima temporada uma camisa parecida com a dos africanos, algozes do Inter nos Emirados Árabes.

Para o novo executivo de marketing do Grêmio, entretanto, o assunto é delicado. E arriscado. Paulo César Verardi despede-se nesta sexta-feira do Atlético-PR, e assume oficialmente o cargo no tricolor gaúcho na semana que vem. Mas os boatos já chegaram a Curitiba, de onde ele falou com o GLOBOESPORTE.COM, por telefone:

- Não existe nada, de minha parte, até porque não assumi ainda a área. É uma situação que tem de ser vista com muito cuidado, isso envolve questões importantes, de uma marca do clube, que é maravilhosa. Tem de haver muito cuidado. Verardi faz um paralelo. Para ele, as ações espontâneas da torcida podem esgotar o assunto dentro do folclore entre rivais, sem a necessidade de envolvimento institucional do clube. A corneta ficaria restrita às ruas - onde circulam camisas artesanais que misturam Grêmio e Mazembe.

- Tem algumas ações espontâneas, feitas de maneira natural pela torcida, dentro da rivalidade saudável, que muitas vezes são mais eficazes do que a ação institucional. O efeito Mazembe já existe, já está muito presente. Minha preocupação é com o Grêmio, sobretudo.

O executivo do marketing tricolor lembra ainda que os uniformes do Grêmio precisam buscar exclusivamente na história do clube a inspiração. Mas não descarta avaliar os apelos dos torcedores.

- Camisas do Grêmio, com essa marca, têm de incluir um conteúdo conforme à história do clube. Mas precisamos também estar atentos a estas oportunidades. A avaliação tem de ser feita com muito cuidado.

O assunto é polêmico até mesmo entre a torcida. Muitos gremistas, que repudiaram a ação colorada há oito anos, não querem ver o Grêmio reprisar a mesma atitude.

veja também