MENU

Grêmio mostra projeto do Arena, ainda sem financiamento

Grêmio mostra projeto do Arena, ainda sem financiamento

Atualizado: Quarta-feira, 24 Março de 2010 as 12

Ainda aguardando o financiamento de 45% da obra junto ao BNDES e as licenças junto à prefeitura de Porto Alegre, a construtora OAS mantém a previsão de início da construção da Arena do Grêmio para julho deste ano, com conclusão para dezembro de 2012. Afirmação foi feita nesta quarta, durante o anúncio da contratação, pela Grêmio Empreendimentos, empresa que representa o clube na condução das obras, de um consultor que vai revisar o projeto da Arena que o Grêmio pretende emplacar na Copa do Mundo de 2014.

"Mantemos o prazo de iniciar as obras em julho deste ano, terminando em dezembro de 2012. Só temos este prazo, não existe plano B", afirmou o representante da OAS, Carlos Eduardo Barreto Neto.

No total, a OAS estima em cerca de R$ 1,05 bilhão os investimentos em todo o complexo, que contará, além do novo estádio, com shopping, centro de convenções, hotel e edifícios residenciais. Só a Arena custará R$ 400 milhões.

Barreto informou que 55% dos recursos para a construção da Arena virão da própria construtora. O restante está sendo buscado junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a expectativa é que até o início das obras o financiamento esteja aprovado. "O BNDES vem elogiando muito o projeto", afirmou Barreto.

Para conseguir o financiamento da Arena, a OAS ainda espera a aprovação do Estudo de Viabilidade Urbana e do Estudo de Impacto Ambiental pela Prefeitura de Porto Alegre. "Todo o cronograma acordado com a Prefeitura vem sendo cumprido", garantiu Barreto. A previsão é de que as licenças sejam concedidas até o dia 31 de maio.

O restante do complexo segue outro cronograma e, segundo a OAS, começa a ser construído em dezembro deste ano. Para estas obras, a OAS ainda busca parceiros no setor imobiliário.

Para o dia 22 de abril está prevista uma audiência pública para discutir o projeto e seus impactos no bairro Humaitá, na zona norte de Porto Alegre. A OAS ainda precisará levar o projeto para o quinto Comando Aéreo Regional, já que as construções podem interferir na área de pousos e decolagens do aeroporto Salgado Filho. A previsão é de que sejam criados dois mil empregos direto, no ápice das obras.

Consultor contratado pelo Grêmio revisará projeto da Arena

No evento, a Grêmio Empreendimentos também anunciou três medidas que permitirão o andamento do projeto nos planos jurídico e técnico. O Conselho Deliberativo do clube aprovou na noite desta terça a mudança da Grêmio Empreendimentos de sociedade anônima para sociedade limitada. Além disso, nomearam os dois novos conselheiros - Evandro Krebs e Geraldo da Gama - que faltavam para a oficialização do Conselho de Administração da empresa.

De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo, Raul Régis de Freitas Lima, a partir destas mudanças, uma comissão do clube formatará o novo contrato da Grêmio Empreendimentos, que voltará à aprovação do conselho. Lima lembrou que, em dois anos, o Conselho Deliberativo do Grêmio já realizou nove reuniões para tratar da Arena.

A terceira medida anunciada foi a contratação do arquiteto Carlos de La Corte para ser consultor da Grêmio Empreendimentos e um elo com a OAS. De La Corte também integra o corpo técnico do comitê organizador da Copa de 2014.

"A contratação dele vai dar maior segurança na relação técnica coma nossa parceria, com a qual até hoje não tivemos qualquer tipo de divergência, mas entendemos que precisávamos de um suporte técnico mais efetivo", explicou o presidente da Grêmio Empreendimentos, Adalberto Preis.

De La Corte está revisando o projeto da Arena, mas isso não traria mudanças substanciais ao projeto, segundo Preis e os representantes da OAS. "Não é que não tenhamos convicção de haja algo errado. Queremos ter a segurança total de que todos os esforços tenham sido feitos para que não haja nenhum tipo de problema no futuro", afirmou Preis.

"Os primeiros contatos com o De La Corte nos surpreenderam", garantiu Barreto, da OAS. "Ele entendeu o projeto e fez observações que vão nos ajudar a melhorá-lo", declarou. Sem poder estar presente no evento, o arquiteto deixou um depoimento gravado em vídeo.

Por: Daniel Cassol

veja também