MENU

Grêmio Prudente reage e vira contra o Santos na Vila Belmiro

Grêmio Prudente reage e vira contra o Santos na Vila Belmiro

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 7:17

A festa estava armada para o Rei ser homenageado. "Parabéns pra você" antes do jogo, camisa 70 para Neymar homenagea-lo e faixas com o seu rosto enfeitavam a Vila Belmiro neste domingo. Mas a noite não foi do Santos, vaiado pelos seus fãs. E Pelé, que não foi ao jogo, recebeu o pior presente no dia posterior ao seu aniversário. De grego. Do lanterna Grêmio Prudente, que não se importou com o clima festivo e fez 3 a 2 no time da casa - e de virada.

Wesley, autor de dois gols do time prudentino, fez o que quis da defesa santista na segunda etapa do jogo. Enquanto o Alvinegro abusava das falhas, ele se fazia, provocando a ira da torcida santista. Tudo no segundo tempo, em 17 minutos.

Com a derrota, o Santos se distancia da briga pelo título do Brasileiro e do sonho da Tríplice Coroa - é o quarto colocado, com 48 pontos, seis a menos que o líder Fluminense. Faltam sete rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro. Já o Grêmio Prudente segue na lanterna do Nacional, mas agora com 24 pontos.

No próximo sábado, às 16h, o Santos enfrenta o Internacional, no Beira-Rio. No mesmo dia, mas às 18h30, o Grêmio Prudente recebe o Cruzeiro, no Prudentão.

A volta do soco no ar

A expectativa era de goleada, como nos tempos em que o soco no ar era visto com frequência nas comemorações, entre os anos 50 e meados dos anos 70. Mas o Santos demorou a engrenar na primeira etapa. Nos primeiros minutos de jogo foi o Grêmio Prudente, lanterna do Brasileiro, quem viu o goleiro Rafael mais de perto. Aproveitando os erros de passes do Peixe, a dupla Wesley e Wilian só não marcou porque não foi bem na pontaria. Foram oito chutes durante o tempo inicial, mas apenas 25% levaram algum perigo à meta alvinegra.

Com Keirrison ainda sem ritmo, o Peixe apostava no entrosamento de Neymar e Wesley. E, com eles, passou a dominar a partida gradativamente. Até chegar ao primeiro gol, aos 19 minutos. Depois de boa jogada tramada pela dupla, Danilo cruzou e o camisa 9 aproveitou para fazer 1 a 0. Na comemoração, homenagem ao maior atleta da história do futebol. Alan Patrick, Zé Eduardo, Neymar e Keirrison formaram a quadra que deu um soco no ar para lembrar Pelé, que não esteve na Vila Belmiro.

Aos 36, o Santos ampliou a conta. Alan Patrick cobrou falta, Zé Eduardo desviou e Durval completou para o fundo das redes de Giovani, que nada pôde fazer para evitar os 2 a 0. Mas a torcida santista comemorou mais três vezes, mesmo sem ver os gols. Cada vez que o sistema de som anunciava um gol de Obina para o Atlético-MG, as arquibancadas vibravam pela queda do Cruzeiro, rival na briga pelo título. Em campo, o Peixe fazia fintas e trocava belos passes para enfeitar ainda mais o presente de Pelé.

Pane Alvinegra

Nem parecia o Santos das belas jogadas, dos dribles desconcertantes e dos gols. A pane tomou conta do Peixe na segunda etapa. E o que parecia improvável aconteceu na Vila Belmiro. Em 17 minutos, o Grêmio Prudente, último colocado do Campeonato Brasileiro, virou a partida. Três gols, dois do atacante Wesley, que fazia o que queria da dupla Durval e Edu Dracena.

Logo no primeiro minuto, o camisa 11 zombou da defesa alvinegra e aproveitou uma falha de Léo para descontar. Depois, aos nove minutos, o empate em cobrança de pênalti de Gilmar. A infração foi marcada depois que Danilo errou um passe e obrigou Edu Dracena a apelar, fazendo falta em Wilian. Aos 17, o golpe final. O Prudente avançou em velocidade, Rhayner bate errado, mas Wesley conseguiu virar o jogo para 3 a 2.

O Prudente debochava do time de Pelé. Fazia o que queria da defesa santista. E deixava enfurecida a torcida alvinegra, que esmurrava os vidros de proteção das arquibancadas. Não adiantava nem mesmo o sistema de som anunciar a vitória elástica do Galo sobre o Cruzeiro. A torcida que no início se preparava para comemorar uma vitória um dia após o aniversário do Rei estava irada. Profundamente irritada com a postura do time de Martelotte.

A situação só começou a melhorar depois que o Prudente teve dois jogadores expulsos em menos de cinco minutos. O primeiro a sair foi Leonardo, depois de falta dura em Zé Eduardo. Em seguida, o atacante santista sofreu pênalti, obrigando a arbitragem a mandar Flávio mais cedo para o chuveiro. Até o improvável aparecer novamente na Vila. Carregando nas costas o número 70, Neymar se preparou para a cobrança. Mas a camisa parecia ter pesado para o garoto prodígio do Santos. E ele errou. Acertou o travessão de Giovani, que comemorou muito. Era o fim da festa sem graça para Pelé.

veja também