MENU

Grêmio se recupera com vitória sobre o Atlético-PR na Arena

Grêmio se recupera com vitória sobre o Atlético-PR na Arena

Atualizado: Segunda-feira, 30 Maio de 2011 as 8:13

No livro-caixa do Campeonato Brasileiro, o Grêmio quita uma dívida. Na tarde deste domingo, a equipe gaúcha compensou a derrota em casa para o Corinthians, na abertura do Campeonato Brasileiro, vencendo em Curitiba o Atlético-PR por 1 a 0. Rafael Santos, zagueiro do Atlético, marcou o gol contra que deu a vitória ao Grêmio, na Arena da Baixada, aos 13 do primeiro tempo, em um erro dele e do goleiro Márcio, que se confundiram em um recuo de bola. Agora, os tricolores somam três pontos. Perdedores também na estreia, os rubro-negros ainda não pontuaram.

O Atlético volta a jogar às 18h30m (de Brasília) do próximo sábado, em São Paulo, contra o Palmeiras, pela terceira rodada. Às 16h de domingo, o Grêmio recebe o Bahia no Olímpico.

Mesmo na Arena da Baixada, o Grêmio venceu por 1 a 0 (Foto: Robertson Luz / Agência Estado)

  Fogo amigo

O que mais se ouviu partindo dos setores rubro-negros da Arena da Baixada foram vaias durante o primeiro tempo, e dirigidas ao zagueiro Rafael Santos. Toda vez que ele tocava na bola, ecoavam as manifestações de reprovação dos torcedores.     Um divórcio iniciado aos 13 minutos, quando o camisa 4 do Atlético surpreendeu o goleiro Márcio ao interceptar lançamento para o gremista Júnior Viçosa com um recuo. Em vez de passar para o goleiro, entretanto, Rafael Santos venceu Márcio, marcando contra, dando o gol ao time tricolor.

Apesar do incidente tragicômico, o 1 a 0 parcial para os visitantes não soou injusto. Pelo contrário. Combatendo com marcação forte e muita organização a partir do próprio campo, no confronto de duas equipes distribuídas no 4-4-2 com meio-campo em losango, o Grêmio bloqueou os espaços do Atlético, obrigando os anfitriões às trocas de passes laterais.

Com a bola, o Grêmio investiu nos contra-ataques no setor do lateral-direito Rômulo e do zagueiro Manoel, com Lins, Júnior Viçosa, Lúcio e Neuton. Estratégia de sucesso acentuado, é claro, pela tensão que irradiava das arquibancadas.

Victor suporta a pressão aérea

Desfeito o divórcio, os torcedores do Atlético acolheram um habeas corpus no julgamento sobre o gol contra de Rafael Santos. Deixaram de vaiá-lo e passaram a apoiar a equipe com mais disposição.

Alterado desde o intervalo, com Branquinho no meio-campo e Nieto no ataque, os rubro-negros em campo iniciaram a pressão, consorciados aos torcedores. Às vésperas do reencontro com a Seleção Brasileira, o goleiro Victor foi convocado a praticar boas defesas e intervenções precisas nos cruzamentos pelo alto. E quando ele não alcançou, nos acréscimos, Paulinho acertou cobrança de falta na trave.

Com Madson também chamado pelo técnico Adilson Batista, o Atlético intensificou a blitz ao redor da área tricolor. Reformulando o seu ataque ao tirar do banco Roberson e depois Escudero, Renato Gaúcho tentou renovar as baterias do contra-ataque cada vez mais raro.

Mas a perícia de Victor, somada à determinação dos jogadores na defesa garantiu a vitória tricolor fora de casa, ao som de 'Grêmio, Grêmio' pelo grito dos torcedores gremistas presentes.          

veja também