MENU

Grêmio vence Inter-SM no Olímpico: 3 a 0

Grêmio vence Inter-SM no Olímpico: 3 a 0

Atualizado: Segunda-feira, 15 Março de 2010 as 12

Mais um jogo, mais uma atuação sem muita graça, mais uma vitória para o Grêmio. Em noite de repetição das partidas anteriores, a novidade do Tricolor nos 3 a 0 sobre o Inter de Santa Maria foi a boa presença do meia Maylson. O jogador de 21 anos foi a melhor figura em campo. Ele marcou dois gols, um em cada período. O outro foi do volante Fernando.

O resultado deixa o Grêmio na liderança provisória de sua chave na Taça Fábio Koff, com nove pontos em três jogos – 100% de aproveitamento no returno. Mas o Novo Hamburgo ainda pode retomar a ponta. Basta bater o Avenida por três gols de diferença fora de casa, nesta segunda-feira.

O próximo duelo gremista é pela Copa do Brasil. Nesta segunda, o elenco já viaja para o jogo contra o Votoraty, quarta, em Votorantim (SP). O Tricolor volta a campo pelo Gauchão no domingo, em Erechim, contra o Ypiranga.

Chances, gol e pouco futebol

Os primeiros minutos do Grêmio deram a falsa ilusão de que o time de Silas finalmente jogaria bem. Mas não foi exatamente isso. O Tricolor caiu de rendimento depois criar chances sequenciais na largada do jogo - com duas conclusões perigosas de William e um chute para fora de Maylson. Passou a maior parte do tempo passeando com a bola, tramando lances ofensivos, mas sem transformar o controle de jogo em ameaça real ao oponente.

A vantagem do Grêmio foi duelar com um adversário claramente inferior. O Inter de Santa Maria até tentou sair no contra-ataque, mandou uma ou outra bola na área tricolor, mas Victor praticamente não trabalhou. Com só um time atacando, foi natural o Tricolor criar outras chances. Aos 29 minutos, Fábio Santos cruzou na cabeça de Maylson. O meia cabeceou mal, torto. Jogou no lixo uma chance incrível. Mas ele mesmo recuperaria o desperdício depois.

Aconteceu aos 40 minutos. Jonas cruzou da direita, e o volante Cleitão cortou mal. A bola ficou com Maylson, que mandou pancada à queima-roupa. Tremeu o gol defendido por César. Em um primeiro tempo sem brilho, o Grêmio pelo menos conseguia um gol.

Controle tricolor

O segundo tempo foi um marasmo só em sua metade inicial. O Grêmio controlou, mas sem a ênfase necessária para dar alguma emoção à partida. Entre um e outro bocejo, criou chances de gol e poderia ter ampliado o placar antes diante de um rival com armas quase nulas.

Maylson seguiu como rara figura de destaque no Tricolor. Foi ele que, aos 13 minutos, protagonizou a melhor chance para a equipe azul antes dos outros gols. O meia recebeu lançamento de Jonas, passou pelo goleiro, fintou os defensores e mandou o chute, mas para fora. Antes, César havia defendido conclusão de Jonas.

Mesmo em marcha lenta, o Grêmio conseguiu ampliar. E novamente com Maylson. Aos 29 minutos, ele acionou Jonas, que tocou por cima do goleiro. A bola entraria mesmo sem nova participação do meia, que apareceu para bicar a bola quase em cima da linha.

Com o 2 a 0, restou ao Tricolor deixar o tempo passar. E comemorar mais um gol. Aos 43, foi a vez de Fernando, que havia entrado justamente no lugar de Maylson, completar para o gol após cruzamento de Mithyuê.

veja também